Caicó: Paredões estão proibidos na reta final da campanha eleitoral

Paredões estão proibidos na reta final da campanha em Caicó

Em reunião realizada nesta segunda-feira (09), coordenada pelo Juiz da 25 ZE em Caicó, José Vieira, e que teve participação de representantes dos candidatos a prefeitura, ficou decidido que nesta reta final de campanha eleitoral, não será mais permitido o uso de paredões.

O comandante da Cipam, Tenente PM Rafael Vitor, que também participou da reunião, em contato com o Blog Sidney Silva, a quantidade de eventos que aconteceram nos últimos dias com som alto preocuparam e motivaram a reunião.

Nós temos que manter a ordem. Existe uma lei que regula o som desses equipamentos e ela estava sendo desrespeitada”, disse.


Coligação Caicó Seguindo em Frente emite nota sobre mandados de busca da Justiça Eleitoral em seu comitê é fábrica de camisas

Neste dia 30 de outubro de 2020, servidores da Justiça Eleitoral deram cumprimento a um mandado de busca e apreensão emitido pelo juízo da 25ª Zona Eleitoral, tendo como alvos o nosso comitê central de campanha e a loja Fenart Confecções.

A busca e apreensão teve como objetos camisetas de cor verde, onde estivessem escritos os dizeres “o homem disparou”, fabricadas e vendidas à população da região pela empresa acima mencionada.

Quando da visita ao Comitê 15, nenhum produto semelhante foi encontrado pelos servidores da Justiça Eleitoral. E não poderia ser diferente, já que não existe qualquer tipo de vinculação entre a coligação “Caicó Seguindo em Frente”, que tem como candidato à reeleição o Prefeito Robson de Araújo (Batata) e a Fenart Confecções.

Nenhuma camiseta foi confeccionada ou distribuída à população a mando ou autorização da coligação, candidato ou comitê, de modo que temos certeza que a verdade dos fatos restará comprovada nos autos do processo judicial.

A representação eleitoral ajuizada pela coligação do candidato Judas Tadeu é inventada e precipitada, buscando ludibriar a Justiça Eleitoral com fatos totalmente distorcidos.

Ao ingressarem com a representação eleitoral com acusações de distribuição de material de propaganda irregular, utilizando-se de mentiras que saltam aos olhos facilmente, a coligação “A Força da União” e o candidato Judas Tadeu apenas seguem com a sua lamentável estratégia de tentar, a todo custo, prejudicar o candidato Batata.

Desta vez, infelizmente, acabaram atingindo também uma empresa séria, que nada tem a ver com a disputa eleitoral.

Temos certeza que a verdade, mais uma vez, prevalecerá.

Assessoria Jurídica da coligação Caicó seguindo em frente


Faltam 27 dias: TSE auxilia eleitor a saber mais sobre seu candidato

O dia de exercer a democracia se aproxima. Faltando exatamente 27 dias para o primeiro turno das Eleições Municipais 2020, a ser realizado em 15 de novembro, muitos eleitores ainda não escolheram seus candidatos. Aqueles cidadãos que quiserem saber mais sobre os concorrentes de cada cargo em disputa podem acessar o DivulgaCandContas, disponível no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Além de disponibilizar as informações biográficas sobre o candidato, como nome completo, data e local de nascimento, a página também informa o número a ser utilizado na campanha e na urna, o partido, a coligação e a situação da candidatura. Nesta última opção, o eleitor saberá se o candidato está apto a concorrer ou se teve seu registro indeferido pela Justiça Eleitoral. Para uma consulta mais minuciosa, basta acessar os arquivos que detalham a proposta de governo, a lista de bens declarados e as certidões criminais, por exemplo.

A consulta aos candidatos também pode ser realizada por meio dos assistentes virtuais nas redes sociais do TSE. Para isso, basta visitar os perfis oficiais do Tribunal (@TSEJus no Facebook e @TSEjusbr no Twitter), enviar uma mensagem pelo botão em destaque e, nesse campo, perguntar sobre os candidatos desejados ou navegar por um menu de opções.

Também no Portal do TSE o eleitor pode simular sua votação com candidatos fictícios antes do dia da eleição.


Calendário Eleitoral tem autorizações e datas para votação nos dois turnos

Calendário Eleitoral 2020

Os interessados na disputa pelas cadeiras de prefeito e vice e de vereador, devem ficar atentos ao Calendário Eleitoral.

No período, o TSE autoriza uma série de atividades a serem promovidas pelos candidatos e ainda determina as datas para a votação em primeiro e segundo turno.

Confira as datas:

26 de setembro: prazo para registro das candidaturas;
– a partir de 26 de setembro: prazo para que a Justiça Eleitoral convoque partidos e representação das emissoras de rádio e TV para elaborarem plano de mídia;
após 26 de setembro: início da propaganda eleitoral, também na internet;
– 9 de outubro: início da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV
– 27 de outubro: prazo para partidos políticos, coligações e candidatos divulgarem relatório discriminando as transferências do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (Fundo Eleitoral), os recursos em dinheiro e os estimáveis em dinheiro recebidos, bem como os gastos realizados;
– 15 de novembro: primeiro turno da eleição;
– 29 de novembro: segundo turno da eleição;
até 15 de dezembro: data-limite para o encaminhamento à Justiça Eleitoral do conjunto das prestações de contas de campanha dos candidatos e dos partidos políticos, relativamente ao primeiro turno e, onde houver, ao segundo turno das eleições;
– até 18 de dezembro: será realizada a diplomação dos candidatos eleitos em todo país, salvo nos casos em que as eleições ainda não tiverem sido realizadas.


Período da propaganda eleitoral começa neste domingo (26)

Período autorizado pela Justiça Eleitoral começa neste domingo

As datas foram definidas pelo TSE. Veja exemplos do que passa a ser permitido aos candidatos a partir de domingo:

Realizar comícios;
Carreatas;
Distribuir material gráfico;
Fazer propaganda na internet.

O horário eleitoral na televisão e no rádio começa no dia 9 de outubro e vai até 12 de novembro.


Supremo decide que voto impresso é inconstitucional

STF se manifestou contrário a instituição do voto impresso

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que é inconstitucional a adoção do voto impresso, ao concluir que a medida viola o sigilo e a liberdade do voto. O julgamento foi encerrado às 23h59 da última segunda-feira (14) no plenário virtual do STF, uma plataforma online que permite que os ministros analisem casos sem se reunirem pessoalmente ou por videoconferência.

O voto impresso era uma das exigências previstas na minirreforma eleitoral, sancionada com vetos, em 2015, pela presidente cassada Dilma Rousseff (PT). Em novembro daquele ano, o Congresso derrubou o veto de Dilma ao voto impresso – ao todo, 368 deputados e 56 senadores votaram a favor da impressão, proposta apresentada pelo então deputado federal Jair Bolsonaro.

Continue lendo

TSE define divisão de recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha

Dinheiro será usado pelos partidos

Foi divulgada nesta segunda-feira (8) a distribuição dos valores aos quais 32 dos 33 partidos políticos registrados na Corte terão direito do total de R$ 2.034.954.824,00 de recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha, também conhecido como Fundo Eleitoral.

A publicação, que ocorrerá na edição do Diário de Justiça Eletrônico do Tribunal Superior Eleitoral (DJe/TSE) desta terça-feira (9), atendeu à determinação do presidente do Tribunal, ministro Luís Roberto Barroso.

Dia 16 de junho é o fim do prazo, estabelecido na Lei das Eleições, para que o TSE divulgue, em sua página na internet, o montante total do Fundo e os valores individuais apurados com base nos critérios previstos na lei. Depois disso, a Corte procederá à distribuição dos recursos em parcela única, aos diretórios nacionais dos partidos políticos, cumpridos os requisitos do parágrafo 7º do mesmo dispositivo, segundo o qual, tais recursos ficarão à disposição da legenda somente após a deliberação – que pode ser feita por certificado digital – sobre os critérios para a sua distribuição.

*Confira a distribuição do Fundo Eleitoral, por partido:

  • PT: R$ 200.925.914,05
  • PSL: R$ 193.680.822,47
  • PSD: R$ 157.180.452,52
  • MDB: R$ 154.867.266,21
  • PP: R$ 140.245.548,54
  • PSDB: R$ 26.028.246,07
  • PL: R$ 123.291.771,52
  • DEM: R$ 114.582.014,53
  • PSB: R$ 109.473.374,53
  • Republicanos: R$ 104.420.877,14
  • PDT: R$ 99.268.623,40
  • PODE: R$ 88.650.237,68
  • PROS: R$ 44.662.782,92
  • Solidariedade: R$ 42.226.143,46
  • PSOL: R$ 40.671.705,00
  • Cidadania: R$ 39.432.103,26
  • Novo: R$ 36.593.934,06
  • PTB: R$ 35.104.450,75
  • PSC: R$ 33.174.133,61
  • PCdoB: R$ 30.975.329,95
  • Avante: R$ 28.147.299,59
  • Patriotas: R$ 27.486.008,90
  • PV: R$ 20.513.797,41
  • Rede: R$ 20.420.046,72
  • PMN: R$ 5.872.173,76
  • PTC: R$ 5.634.758,31
  • DC: R$ 4.025.171,90
  • PCB: R$ 1.233.305,95
  • PCO: R$ 1.233.305,95
  • PMB: R$ 1.233.305,95
  • PRTB: R$ 1.233.305,95
  • PSTU: R$ 1.233.305,95
  • UP: R$ 1.233.305,95
  • Total: R$ 2.034.954.823,96

Juízes podem assumir prefeituras se eleições forem adiadas

Eleições ainda não foram modificadas

A possibilidade de adiar as eleições deste ano por causa da pandemia de Covid-19 no país pode levar juízes ao comando das prefeituras do país. A disputa está marcada para outubro, mas a falta de perspectiva de quando a crise se encerrará preocupa políticos e magistrados, que já discutem cenários para o caso de não ser possível a população ir às urnas neste ano.

Entre as alternativas cogitadas nos bastidores estão postergar as eleições até dezembro, unificá-las com as disputas de 2022 ou realizá-las no início do ano que vem, mas sem prorrogar mandatos dos atuais prefeitos e vereadores, o que poderia gerar contestações de adversários políticos. Nestes dois últimos cenários, a linha sucessória prevê que o juiz responsável pela comarca da cidade assuma a administração local provisoriamente em caso de ausências de prefeito, do vice e do presidente de Câmara Municipal.

Continue lendo