Dados revelam que a região Nordeste trata apenas 36,22% do esgoto coletado

Segundo dados do Instituto Trata Brasil, apenas 36,22% do esgoto no Nordeste é tratado. Dessa forma, a região é a segunda do Brasil com pior saneamento básico, atrás apenas do Norte, que trata apenas 18,3% do esgoto coletado.

No Brasil, cerca de 100 milhões de pessoas não têm coleta de esgoto e apenas 44,92% dos resíduos são tratadas. Além disso, outro dado preocupante é que mais de 3,5 milhões de brasileiros, nas 100 maiores cidades do país, despejam esgoto irregularmente, mesmo tendo redes coletoras disponíveis.


Esgoto de Natal é despejado no rio Potengi e MPRN pede intervenção na Caern

Estação de Tratamento do Bairro Jardim Lola

O esgoto de Natal está sendo despejado pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) sem o devido tratamento ou até mesmo in natura no rio Potengi. É o que apontam resultados laboratoriais elaborados pela UFRN e pela Funcern, e vistorias técnicas feitas pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e pelo Idema nas oito Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) da cidade.

Até mesmo na ETE do Baldo, inaugurada em 2011 ao custo de mais de R$ 80 milhões, foi flagrado em abril deste ano o lançamento de esgoto bruto para o rio sem passar antes pelo sistema de tratamento. Diante desses fatos, o MPRN pediu à Justiça potiguar que nomeie interventor para atuar na Caern.

Continue lendo


Cerca de 80% da água consumida nas cidades vira esgoto

No Brasil, as políticas e os investimentos em recursos hídricos precisam ser eficientes para defender as bacias, preservar as florestas, os rios, os mananciais e, ainda, promover o tratamento do esgoto em todas a cidades.

De acordo com dados da Agência Nacional de Águas, a ANA, as cidades têm os maiores desafios na defesa dos recursos hídricos. As áreas urbanas brasileiras consumiram cerca de 500 mil litros de água por segundo, dos mais de dois milhões de litros retirados na natureza para o abastecimento do país em 2016.

Quanto ao descarte da água, após o uso pela população, os números da ANA revelam um cenário preocupante: dos 500 mil litros de água retirados da natureza por segundo ao ano, quase 400 mil são descartados como esgoto nas cidades. Destes, menos de 40% são coletados e tratados.