RN tem média de quase duas crianças estupradas ou maltratadas por dia

“A maior parte das vítimas do estupro de vulnerável sofre o abuso dentro de casa”, disse a Delegada Dulcinéia Costa – (Imagem Ilustrativa)

Estatísticas da Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente do Rio Grande do Norte (DCA) revelam um dado preocupante. Todos os dias, quase duas crianças sofrem abuso sexual ou maus-tratos no estado. A média exata é de 1.8, quando calculados os casos registrados entre os meses de janeiro e maio deste ano. Nos casos de estupro de vulnerável (onde as vítimas são menores de 14 anos), os homens são os maiores infratores. Já nos casos de maus-tratos, as mães são as maiores vilãs.

O Agora RN teve acesso aos relatórios que somam os boletins de ocorrência registrados pela DCA. Quando comparados os casos de estupro de vulnerável registrados entre janeiro e maio de 2019 (77 casos) com o mesmo período de 2020 (107 casos), fica constatado um aumento de 39%. Quanto aos casos de maus-tratos, nos primeiros cinco meses do ano passado foram registradas 302 ocorrências, contra 176 ocorrências no mesmo período deste ano – o que significa uma redução de quase 42%.

Para a delegada Dulcinéia Costa, que já foi titular da DCA e atualmente está na assessoria de comunicação da Polícia Civil, “o aumento dos casos de estupro de vulnerável, especialmente neste período de pandemia, provavelmente se deve porque o isolamento social acabou aumentando o fator de risco, que é a convivência”, destacou.

Continue lendo

João de Deus é condenado a 40 anos de prisão por estupro

O médium João de Deus foi condenado por estupros – (FOTO: Marcelo Camargo/Agência Brasil) .

O médium João Teixeira de Faria, popularmente conhecido como João de Deus, foi condenado a 40 anos de reclusão em regime fechado por ter estuprado cinco mulheres durante atendimentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO), segundo informações divulgadas pelo Tribunal de Justiça de Goiás nesta segunda-feira (20).

A sentença foi proferida pela juíza Rosângela Rodrigues dos Santos, em processo que corre em segredo de Justiça. Segundo o tribunal, é a terceira condenação do acusado, cujas penas já somam 63 anos e quatro meses de prisão.

Continue lendo

Brasil registra 10 estupros coletivos por dia, segundo estudo

Brasil registra 10 estupros coletivos por dia, segundo estudo

Em cinco anos, o número de estupros coletivos mais que dobrou. Entre 2011 e 2016, houve um aumento de 125% nas notificações, passando de 1.570 para 3.526, o equivalente a dez casos por dia em cinco anos. Os dados são do Ministério da Saúde e trazem uma realidade ainda mais alarmante: a de que esses números podem ser ainda maiores. Segundo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o Ipea, somente 10% desses casos são notificados. De acordo com a psicóloga e terapeuta cognitivo-comportamental Alline Cristina Silva, existem várias razões para que a vítima sinta medo ou vergonha de falar sobre o ocorrido.

“Existem algumas hipóteses, uma delas é a proximidade entre vítima e agressor. Medo, nesse caso, de expor para a família ou expor na sociedade a situação de abuso, as consequências e até as implicações da denúncia sob a dinâmica social, uma vez que pode afetar o relacionamento com a família, o relacionamento na escola, pode afetar o círculo de amizade e ter outros desdobramentos.”

De acordo com a pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde, os estados com mais casos notificados de estupro coletivo são o Acre, Tocantins e Distrito Federal, porém nem todos os estados forneceram números. Rondônia, por exemplo, registrou crescimento de 113% nos últimos cinco anos.

No início de agosto, o Senado apresentou um projeto que torna o crime de estupro inafiançável e imprescritível. Isso significa que a vítima poderá denunciar o crime a qualquer momento. Atualmente, a lei determina que a prescrição do crime pode variar de acordo com cada caso.