MPF quer que pastor Valdemiro Santiago pague indenização por anúncio de falsa cura da covid-19

Alerta de fake news removido do site do Ministério da Saúde

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou uma ação civil pública para que o pastor evangélico Valdemiro Santiago e a Igreja Mundial do Poder de Deus paguem pelo menos R$ 300 mil de indenização por danos sociais e morais coletivos. A cobrança se deve à divulgação de vídeos nos quais o religioso anunciava a venda de sementes de feijão com a falsa promessa de que, se cultivadas, elas curariam a covid-19. Valdemiro chegou a citar o caso de um fiel cuja recuperação plena da doença usando os feijões estaria comprovada por um atestado médico.

O Ministério da Saúde, representado pela União, também responderá à ação por ter removido de seu site uma mensagem de alerta contra os anúncios enganosos de Valdemiro. A publicação, feita após pedido do MPF, ficou no ar durante poucos dias, foi removida sem explicações e não voltou mais à página da pasta.

Continue lendo

Até aqui, chuvas favoreceram plantação de milho, feijão, sorgo e outras culturas no Seridó

Plantação de milho na comunidade Manhoso em Caicó

As chuvas registradas na região Seridó e em outras localidades do Rio Grande do Norte, não foram suficientes para encher os grandes reservatórios que tem sua água utilizada para o abastecimento humano, como é o caso do ITANS em Caicó; Gargalheiras em Acari; Cruzeta, na cidade de mesmo nome, entre outros, mas, o homem do campo conseguiu plantar.

Na comunidade rural, “Manhoso” em Caicó, foi plantado, milho, feijão e outras culturas e, as imagens mostram que no passo que vai, nas próximas semanas, já vai ser possível fazer a colheita.

Algumas gestões municipais têm garantido o corte de terra para os trabalhadores rurais. Quem não consegue, paga do próprio bolso.

Plantação de milho e feijão na comunidade rural Manhoso em Caicó