Odair diz que deu folga à servidores e que computadores da Câmara estão danificados

Câmara teve sessão tumultuada nesta quarta-feira

O vereador Odair Diniz (PSDC), presidente da Câmara Municipal de Caicó, confirmou em entrevista na Rádio Caicó que realmente deu folga para os servidores alegando que alguns trabalharam até tarde no dia anterior. Ele também confirmou que alguns computadores amanheceram danificados.

O vereador mandou os equipamentos para o conserto e disse que os Edis do G8 poderão ter acesso aos mesmos quando passarem por análise técnica. É que na manhã de hoje, os Alisson Jackson, Pastor Erinaldo e Diogo Maia, estiveram na Câmara e encontraram a secretaria fechada e sem os computadores.



Câmara terá cinco dias de folga nesta semana; trabalhos no Senado serão reduzidos

Na quarta-feira desta semana, dia 15 de novembro, se comemora o dia da Proclamação da República. Portanto, o feriado nacional proporcionará um dia de folga para todos os Brasileiros, com exceção dos deputados federais. Isso porque a Câmara dos Deputados dispensou os parlamentares do trabalho de toda a semana. O presidente da casa, Rodrigo Maia justificou a folga alegando que seriam feitos ‘gasto desnecessário’ em viagens de ida e volta dos parlamentares a suas bases eleitorais.

Pelo menos oito medidas provisórias (MPs) que precisam passar pelo plenário da Câmara estão próximas de perderem a validade, a maioria delas no dia 28 de novembro.

Já no Senado Federal, as atividades serão mantidas, segundo o presidente da casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE). De acordo com ele, haverá deliberação tanto na segunda (13), como na terça-feira (14). Mesmo com os trabalhos mantidos, não existem projetos para serem votados na semana pela casa.

A semana praticamente paralisada no Congresso será utilizada pelo governo para intensificar as articulações para viabilizar a votação da reforma da Previdência. Na última semana, o governo se reuniu com lideranças partidárias da Câmara para tentar chegar a um consenso para a análise da medida. Depois disso uma espécie de novo texto do projeto foi elaborada. O objetivo, agora, é tentar vender os argumentos de que a reforma não atingirá os mais pobres e nem prejudicará a imagem dos deputados para uma futura eleição.