Caso F. Gomes: Agentes Penitenciários localizaram Gilson Neudo na casa de familiares em Areia Branca

A Secretaria de Justiça e Cidadania que administra os presídios do Rio Grande do Norte e a direção do Presídio de Caraúbas confirmaram na manhã desta quarta-feira (30), que Gilson Neudo Soares do Amaral, está novamente recolhido na unidade prisional.

Ele foi localizado por agentes penitenciários na casa de familiares na cidade de Areia Branca/RN, por volta das 2 horas da manhã desta quarta. No momento da abordagem, Gilson Neudo, não ofereceu resistência.



Caso F. Gomes: Após confusão com informações, Gilson Neudo é solto no presídio de Caraúbas

O ex-pastor Gilson Neudo Soares do Amaral, foi posto em liberdade no final da manhã desta terça-feira (29). Ele estava detido preventivamente e atualmente no Cadeia Publica de Caraúbas, no Oeste do estado. A direção da unidade prisional confirmou a informação para o Blog Sidney Silva.

Sua prisão foi revogada pelo juiz Edilson Chaves de Freitas, da comarca de Pau dos Ferros/RN. A decisão foi proferida no dia 21 de agosto deste ano. O juiz atuou no processo da Operação Elefante Branco. No mesmo dia, a juíza da 1ª Vara Criminal da Comarca de Natal, Eliana Alves Marinho, manteve a prisão preventiva antes decretada pelo juiz criminal de Caicó, Luiz Cândido Villaça. A magistrada atuou no processo da morte do jornalista F. Gomes, em relação a Gilson que foi desaforado para Natal. Por causa disso, ele não poderia ter sido solto em Caraúbas. Por coincidência, as duas decisões foram proferidas no mesmo dia e ambas constavam nos processos que o réu responde.

O magistrado de Pau dos Ferros disse que se fazia necessária a expedição do alvará de liberdade para o réu por causa do tempo em que se encontrava preso. “Como já transcorreu prazo superior a três anos entre a decretação das prisões preventivas até o presente momento e tendo em vista que o processo ainda não está concluso para sentença, a revogação da prisão preventiva dos acusados que ainda se encontram presos é medida que se impõe“.

A juíza, Eliane Alves Marinho, destacou em sua decisão que não vislumbrava nenhum fato para alterar as razões que deram ensejo à decretação da preventiva do réu Gilson Neudo Soares do Amaral. Disse ainda que “a materialidade e os indícios de autoria estão configurados nos depoimentos prestados perante a autoridade judicial e ainda no laudo de exame cadavérico“. E acrescentou que “também está configurada a necessidade de se garantir a ordem pública, dado que o réu foi pronunciado por crime grave, homicídio triplamente qualificado, além do que responde a outros processos criminais“.



Promotor, Juíza e Defensor Público explicam não realização do júri de Lailson e de Gilson

As sessões de julgamento popular dos réus Lailson Lopes e do ex-pastor Gilson Neudo Soares do Amaral, que aconteceriam na comarca de Natal nesta quarta-feira (26), não ocorreram, primeiro porque o advogado Aneziano Ramos foi destituído pelo Gordo. O outro motivo é uma discussão por parte do defensor de Gilson Neudo. Ele alega que os processos tinham que estar separados por causa de provas existentes em um e outro outro processo que não podem ser juntadas.

Ouça os áudios do promotor Augusto Azevedo, do defensor Serjano Vale e da Juíza Eliana Alves Marinho.

 

 



Justiça julga dois dos réus apontados como mandantes da morte de F. Gomes

Nesta quarta-feira (26), acontece no Fórum Miguel Seabra Fagundes, o julgamento popular de dois dos réus apontados como mandantes da morte do jornalista caicoense, Francisco Gomes de Medeiros (F. Gomes). A sessão do júri está prevista para começar às 08hs. Os dois réus, o comerciante Lailson Lopes e o ex-pastor evangélico, Gilson Neudo Soares do Amaral.

O processo foi desaforado da comarca de Caicó e agora tramita na 1ª Vara Criminal de Natal. O julgamento, mesmo em Natal, já foi adiado. Antes, iria ocorrer no dia 05 de julho, depois no dia 19 de julho e reagendado para esta quarta-feira, dia 26.

O jornalista foi assassinado na noite do dia 18 de outubro de 2010, na calçada de sua residência na Rua Professor Viana no Bairro Paraíba em Caicó. O autor material, ou seja, o executor do crime, foi o moto-taxista, João Francisco dos Santos (Dão) que já foi julgado e condenado. Atualmente ele que é réu confesso do crime, encontra-se preso no Sistema Penitenciário Federal.

De acordo com o Ministério Público, os réus do processo, os já mencionados, além do advogado Rivaldo Dantas de Farias, se consorciaram para matar o jornalista por causa do seu trabalho.

O promotor José Augusto Azevedo, vai atuar na acusação dos réus, enquanto o advogado Anenizano Ramos, defende Lailson Lopes e o defensor público Serjano Marcos Torquato Vale, atua na defesa de Gilson Neudo.

O réu Gilson Neudo, ainda não foi julgado por causa de manobras por ele como a de destituir seu advogado quando uma das sessões iria começar no Fórum Amaro Cavalcante.

O réu, Lailson Lopes, já foi julgado e condenado, mas, a assistência do Ministério Público recorreu para pedir o aumento da pena. O Tribunal de Justiça do RN decidiu então, que na verdade, deveria ser feita uma nova sessão para julgá-lo. Alguns meses depois, Lailson foi posto em liberdade. Seu advogado alegou no pedido de soltura, excesso de prazo na prisão. Quando foi marcada a nova data para o júri, o pedido de desaforamento foi feito e aceito junto ao TJRN. Os desembargadores seguiram decisão já tomada em relação ao réu Gilson Neudo.

O réu, Rivaldo Dantas de Farias, ainda não teve a data de seu julgamento marcado pela Justiça.



Julgamento dos réus acusados de mandar matar F. Gomes é adiado novamente

Mais uma vez o julgamento popular dos réus do processo da morte do jornalista Francisco Gomes de Medeiros (F. Gomes), foi adiado. É a segunda vez que o júri é adiado depois de ter sido desaforado de Caicó para Natal. A primeira vez estava previsto para no dia 5 de julho, ser julgado, o ex-pastor Gilson Neudo. Quando chegou o processo de Lailson Lopes, a magistrada resolveu unificar os dois e fazer num dia só, remarcando para o dia 19. Agora, fez um novo adiamento.

Desta vez a juíza que está presidindo o processo, Eliana Alves Marinho, informa no despacho que “em vista da certidão, dando conta da impossibilidade de comparecimento do advogado dativo do acusado Lailson Lopes (Aneziano Ramos), à sessão de julgamento que se encontra aprazada para o dia 19/07/17, em razão de possuir outras audiências na mesma data que foram anteriormente marcadas, determino o seu adiamento para o dia 26 de julho do corrente ano, às 08hs“.

No júri em destaque, sentarão no banco dos réus, Gilson Neudo Soares do Amaral e o Lailson Lopes. Ambos foram denunciados pelo Ministério Público como sendo mandantes do crime juntamente com o advogado Rivaldo Dantas de Farias, sendo que este último está pronunciado para ser julgado, mas, ainda falta aprazar a data.

O autor material e confesso do crime, o sãofernandense, João Francisco dos Santos (Dão), está condenado pela morte de F. Gomes e atualmente cumpre pena no Presídio Federal.

O julgamento popular de Lailson Lopes e de Gilson Neudo, vai acontecer em Natal, no Fórum Miguel Seabra Fagundes.



Caso F. Gomes: Juíza decide julgar Gilson Neudo no mesmo dia que Lailson Lopes

A juíza da Vara Criminal de Natal, Eliana Alves Marinho, decidiu nesta segunda-feira (03), adiar o julgamento popular do ex-pastor evangélico, Gilson Neudo Soares do Amaral, que seria realizado na próxima quarta-feira (05), para o dia 19 de julho. Nesta mesma data e sessão, também será julgado o outro réu do mesmo processo, o comerciante Lailson Lopes (Gordo da Rodoviária).

A magistrada afirma na decisão que somente agora (dia 03) é que chegou às suas mãos, o processo tendo como réu Lailson Lopes, cujo julgamento foi anulado, e, posteriormente, entendeu o TJRN por também desaforar o referido a fim de resguardar a imparcialidade dos jurados. “Assim, encontrando-se ambos os processos, (o de Gilson Neudo e o de Lailson Lopes) em condições de serem julgados, e, tratando-se do mesmo fato, determino, em atenção aos princípios da celeridade e da economia processual, a unificação dos processos, para que sejam os réus submetidos ao Tribunal do júri, conjuntamente“, destacou a juíza.

A nova data para o julgado, agora, dos dois réus, é 19 de julho de 2017, às 08hs no plenário do Tribunal do Júri do Fórum Miguel Seabra Fagundes em Natal.



Caso F. Gomes: Júri de Gilson Neudo acontecerá dia 5 de julho em Natal

Julgamento de Gilson Neudo acontecerá no Fórum Miguel Seabra Fagundes em Natal – (Foto: Rosivan Amaral)

O ex-pastor evangélico, Gilson Neudo Soares do Amaral, vai ser julgado no próximo dia 5 de jul, às 08hs no Fórum Miguel Seabra Fagundes no Bairro de Lagoa Nova em Natal, como réu  no processo da morte do jornalista Francisco Gomes de Medeiros (F. Gomes).

O júri ocorrerá em Natal porque a defesa de Gilson Neudo, patrocinada pelo defensor público Serjano Marcos Torquato Valle, ingressou com pedido de desaforamento que foi julgado procedente pelo Tribunal de Justiça.

O promotor Augusto Flavio de Araújo Azevedo, vai atuar na acusação. A juíza Eliana Alves Marinho presidirá a sessão de julgamento. O processo agora, está tramitando na 1ª Vara Criminal de Natal.

O ex-pastor Gilson Neudo Soares do Amaral, foi apontado pela Polícia Civil como partícipe da morte do jornalista. O Ministério Público o denunciou como sendo um dos autores intelectuais do crime.