Produtos do Google apresentam instabilidade

Serviços já voltaram ao normal

Diversos produtos do Google apresentam instabilidade, na manhã de hoje (14). A dificuldade de acesso a serviços como o Gmail e o YouTube foram relatados em redes sociais e apontada pela equipe Downdetector, site que emite avisos quando situações como essa ocorrem.

Em alguns locais, parte dos serviços já voltou ao normal. Porém, usuários das redes sociais ainda relatam que não conseguem acessá-los ou que a interface funciona apenas parcialmente.

De acordo com o site, também ficaram fora do ar o Google Drive, o Google Play e o Google Maps. O Google Meet, serviço que permite a realização de videoconferências por vídeo, foi outra plataforma que ficou indisponível.

A assessoria de imprensa do Google disse que é possível acompanhar o status de cada serviço pelo painel do Google Workspace.

Agência Brasil


Google vai veicular notícias com acesso aberto em nova ferramenta

Novo serviço deve estar disponível até o fim do ano – (Foto: Shutterstock)

Agência Brasil – O Google anunciou uma nova ferramenta por meio da qual veículos jornalísticos parceiros poderão disponibilizar para acesso gratuito notícias pelas quais cobram de forma aberta. O serviço deverá ser lançado no Brasil até o fim do ano. A previsão é que outros países, como Alemanha e Austrália, também tenham a novidade ainda em 2020.

O novo produto será incluído no agregador de notícias da empresa, o Google News. Nele aparecerão seções específicas para cada um dos veículos convidados para a parceria. Cada um destes escolherá quais conteúdos deixarão de ter a limitação de acesso pago (ou paywall na linguagem técnica em inglês).

Continue lendo

Covid-19: Apple e Google anunciam monitoramento para combater pandemia

Foto: Marcelo Casal Jr – Agência Brasil

Os conglomerados de tecnologia Google e Apple, dos Estados Unidos, anunciaram uma iniciativa conjunta de rastreamento de pessoas para ser utilizada por governos para monitorar os fluxos de circulação de pessoas como forma de controle da disseminação da pandemia do novo coronavírus.

A tecnologia vai envolver interfaces de programação de aplicação (APIs, na sigla em inglês) no nível de sistemas operacionais para facilitar que aplicações de autoridade de saúde possam utilizar os dados dos smartphones para medir o fluxo de pessoas. O Google é o detentor do sistema operacional Android e a Apple, do iOS, concentrando quase a totalidade de smartphones do planeta.

Os apps oficiais de governos poderão ser baixados nas lojas (Play Store do Google e Apple Store da Apple).

Continue lendo

Google, Facebook, Twitter e WhatsApp vão aderir ao Programa de Enfrentamento à Desinformação do TSE

O Programa de Enfrentamento à Desinformação com Foco nas Eleições 2020 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ganhará o reforço das quatro principais plataformas de mídia social e de serviço de mensagens do mundo: Google, Facebook, Twitter e WhatsApp. A adesão ao programa acontecerá nesta terça-feira (22), às 18h15, no Gabinete da Presidência do Tribunal, em Brasília, e contará com a presença da presidente da Corte, ministra Rosa Weber.

Com as novas adesões, o programa passará a contar com 40 instituições parceiras no desenvolvimento e execução de ações conjuntas capazes de reduzir os efeitos negativos que a desinformação pode causar no trato de temas que dizem respeito à Justiça Eleitoral e às eleições, como o sistema eletrônico de votação.

Continue lendo