Justiça realiza audiência com acusados de integrar grupo de extermínio suspeito de mais de 100 homicídios no RN

Audiência aconteceu de forma virtual

O juiz Diego Dantas, em atuação na Comarca de Ceará-Mirim, presidiu, nesta terça-feira (25), audiência de instrução que envolve integrantes de um grupo de extermínio, com atuação em Ceará-Mirim, acusado pelo assassinato de mais de 100 pessoas e uma quantidade superior a 40 processos. Durante a audiência, foram ouvidos seis réus, sendo um preso na Penitenciária Estadual de Alcaçuz; quatro em Ceará-Mirim e outro no Presídio Federal de Catanduvas (SP).

Este é o maior grupo de extermínio já identificado no estado. O combate à organização criminosa contou com a participação da Força Nacional e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Federal. Os acusados ouvidos hoje estão presos desde 2018. O grupo conta com mais de 15 integrantes, com alguns policiais civis e militares entre os suspeitos.

A organização é acusada, além da prática de homicídios, de realizar roubos e portar armas de fogo irregularmente. Os seis integrantes foram ouvidos pela Justiça por meio do sistema de videoconferência utilizado pelo TJ potiguar (cisco/webex). O próximo passo no trabalho do Judiciário neste caso é a análise a ser feita pelo magistrado sobre se eles devem ir ou não a júri popular.

Os crimes atribuídos ao grupo de extermínio foram praticados entre os anos de 2016 e 2017.


Polícia Civil prende suspeito de homicídio e participação em grupo de extermínio

Homem foi preso por participar de grupo de extermínio

Policias civis da Divisão Especializada em Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), juntamente com policiais da Força Nacional, prenderam, nesta terça-feira (19), José Cristiano da Silva Pinheiro, conhecido como “Magão”, 33 anos. José Cristiano foi indiciado por homicídio qualificado, associação criminosa, constituir, organizar, integrar e manter grupo de extermínio, além de roubos.

O suspeito é investigado pelo homicídio de Pedro Alves de Oliveira, que ocorreu na madrugada do dia 27 de junho de 2017, no conjunto Formigueiro, em Ceará-Mirim. A vítima foi assassinada a tiros de armas curtas e de calibre 12, na presença de esposa e filhos.

Além de José Cristiano, onze suspeitos foram indiciados pelos crimes citados e tiveram o pedido de prisão deferido, alguns já estão presos e outros foragidos. Todos os indiciados são integrantes de um grupo de extermínio.