ATENÇÃO: Caicó retoma vacinação contra a gripe nesta quinta

Campanha de vacinação será retomada em Caicó nesta quinta

A coordenadora de promoção de saúde da Secretaria de Saúde de Caicó, Lizy Carol, confirmou ao Blog Sidney Silva que às doses da vacina contra H1N1, H2N3 e Influenza B, que estavam faltando, chegaram. “Uma nova remessa chegou à Caicó nesta quarta-feira (16) e nesta quinta, a gente vai reabastecer as unidades básicas de saúde da cidade para dar continuidade a campanha de vacinação nesta quinta“, disse ela.

A campanha é toda coordenada pelo Ministério da Saúde. É o ente federal quem faz o repasse das doses para os estados e as Secretarias Estaduais de Saúde para os municípios.



Mais casos de H1N1 em Caicó, são boatos; leia a notícia e entenda

Mais casos de H1N1 em Caicó, são boatos

A quantidade de boatos dando conta de pacientes internados nos Hospitais de Caicó com sintomas parecidos com a gripe H1N1, é muito grande. A situação se intensificou depois que uma mulher morreu no Regional com a gripe.

Um dos primeiros boatos espalhados foi que uma criança estava internada no Hospital do Seridó, no isolamento, com os sintomas. Na verdade, o que aconteceu foi que, realmente, uma criança foi atendida na referida unidade de saúde e encaminhada para Natal com uma Síndrome Respiratória Aguda Grave.

O outro, foi de um paciente de Currais Novos, que também estaria internado, só que no Hospital Regional, com os sintomas da gripe H1N1. A informação repassada ao Blog Sidney Silva pelo médico coordenador da UTI do Regional, Belísio Neto, é que a referida pessoa, na verdade, de acordo com o diagnóstico clínico, está acometida de tuberculose.

Do Blog

Como já dito na notícia, os dois casos “irradiados” não procedem. É de uma irresponsabilidade grande ficar divulgando notícias falsas. Só atrapalha o trabalho dos profissionais de saúde e causa pânico na população.



Secretaria Municipal de Saúde de Caicó emite nota técnica sobre H1N1

A Secretaria Municipal de Saúde de Caicó elaborou esta nota informativa, para informara a população sobre um óbito por Influenza H1N1 ocorrido no município na última semana. “Estamos todos vigilantes quanto às últimas ocorrências e até o momento não há motivos para maiores preocupações, apenas solicitamos a compreensão e colaboração de toda população para que juntos adotemos as medidas preventivas”, diz a nota.

A H1N1 é uma infecção viral aguda do sistema respiratório, de elevada transmissibilidade. O contágio da doença ocorre através de contato direto e/ou íntimo de pessoa a pessoa, por meio de pequenas gotículas de aerossol, expelidas pelo indivíduo infectado, ao falar, espirrar e tossir, e também por meio do contato com as secreções do doente. O quadro clínico tem início abrupto (rápido), com febre maior ou igual a 39 graus, tosse continua e seca, dor de garganta leve, dores musculares de forte intensidade, dor de cabeça extrema, prostração (cansaço intenso), forte ardência nos olhos além de dificuldade de respirar.

A nota da secretaria ainda cita algumas recomendações e orientações:

– A vacina é a melhor estratégia disponível para a prevenção da influenza e suas consequências; As pessoas que se encaixam dentro dos grupos prioritários devem procurar a unidade mais próxima para vacinar-se.

– Higienize bem as mãos com água e sabão, depois de tossir e espirrar, após usar o banheiro, antes das refeições, antes de tocar os olhos, boca e nariz. Evitar tocar os olhos, nariz ou boca, após o contato com superfícies;

– Se possível tenha sempre disponível álcool em gel para a higienização das mãos;

– Proteger com lenços (preferencialmente descartáveis a cada uso) a boca e nariz, ao tossir ou espirrar, para evitar disseminação do vírus;

– Evite sair de casa enquanto estiver doente (até 5 dias após o início dos sintomas da gripe) período de transmissão da doença;

– Evitar entrar em contato com outras pessoas suscetíveis, principalmente aperto de mão e abraços, além do contato íntimo;

– Evitar aglomerações (locais com grande quantidade de pessoas) e ambientes fechados (procurar manter os ambientes ventilados);

– Mantenha hábitos saudáveis: alimente-se bem ingerindo frutas e verduras;

– Beba muita água e repouse bastante;

– Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas.





Ministério da Saúde manda quantidades pequenas de vacinas para estados

O Ministério da Saúde está disponibilizando quantidades muito baixas da vacina contra as gripes H1N1, H2N3 e Influenza B. A cidade de Caicó, por exemplo ficou, na semana passada, por vários dias sem as doses necessárias para dar continuidade a vacinação que começou no mês de abril.

Inclusive, na manhã do sábado, 12, que foi o dia D de vacinação, os técnicos da Secretaria de Saúde de Caicó, tinham preocupação quanto a quantidade de doses. Eles achavam que iria dar para o dia todo.



Mulher morreu no Hospital Regional de Caicó com H1N1

Uma mulher de 57 anos de idade que faleceu no último dia 10 de maio na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Regional de Caicó, morreu em decorrência da gripe H1N1. A informação foi confirmada à IV Ursap pelo Laboratório Central – Lacen nesta segunda-feira (14).

A coordenadora de promoção de saúde de Caicó, Lizy Carol, confirmou ao Blog Sidney Silva que a Secretaria Municipal está adotando os procedimentos necessários para dar tratamento a possíveis outros casos. O medicamento que é usado para tratar pessoas com sintomas de H1N1 e o Tamiflu.

“Nós estamos em contato com os dois hospitais e demais unidades de saúde para identificar os estoques de Tamiflu e providenciando os demais detalhes, providências”, disse.

Os funcionários do Hospital Regional que tiveram contato com a paciente, passaram por profilaxia nas próximas horas. A medida é necessária e de praxe.



Segundo Sesap, não há casos confirmados de H1N1 pandêmica no RN

Não há casos confirmados de H1N1 pandêmica

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) divulgou o número de casos atualizados da Influenza no Rio Grande do Norte. O boletim compreende os dados coletados até o dia 07 de abril. Foram notificados 43 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no RN, sendo 38 (88,3%) com amostras coletadas e enviadas ao Laboratório Central de Saúde Pública do RN (Lacen). Das amostras coletadas 5,2% (02/38) foram classificados como SRAG por Influenza, 18,4% (07/38) como outros vírus respiratórios.

Continue lendo