Ibope: Bolsonaro tem 32% da intenção de votos; Haddad, 23%

Nova pesquisa Ibope divulgada na noite desta quarta-feira (2) mostra crescimento dos líderes na corrida presidencial. Em comparação com os números da última segunda-feira (1º), Jair Bolsonaro (PSL) subiu de 31% para 32%, enquanto Fernando Haddad (PT) cresceu dois pontos percentuais, de 21% para 23%. Ciro Gomes (PDT) caiu nas intenções de voto e agora tem 10%, Geraldo Alckmin (PSDB) tem 7% e Marina Silva (REDE), 4%.

Na sequência, aparecem João Amoêdo (Novo) e Henrique Meirelles (MDB), com 2% da preferência do eleitor. Alvaro Dias (Podemos) e Cabo Daciolo (Patriota) somam 1% cada Brancos e nulos são 11%, não sabem ou não responderam, 6%.Nas simulações de segundo turno feitas pelo Ibope, Haddad teria 43% e Bolsonaro, 41%. Ciro Gomes (PDT) também venceria o candidato do PSL: 46% a 39%. Assim como Geraldo Alckmin (PSDB), que seria eleito presidente em segundo turno com 41%, contra 40% de Bolsonaro. O militar reformado só ganharia de Marina Silva (REDE): 43% a 39%. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Segundo o Ibope, foram ouvidos 3.010 eleitores entre 1º e 2 de outubro. A pesquisa foi contratada pela TV Globo e O Estado de S.Paulo.



Pesquisa Ibope: Bolsonaro, 26%; Ciro, 11%; Marina, 9%; Alckmin, 9%; Haddad, 8%

Do G1 – O Ibope divulgou nesta terça-feira (11) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. A pesquisa ouviu 2.002 eleitores entre sábado (8) e segunda-feira (10). A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes:

Jair Bolsonaro (PSL): 26%
Ciro Gomes (PDT): 11%
Marina Silva (Rede): 9%
Geraldo Alckmin (PSDB): 9%
Fernando Haddad (PT): 8%
Alvaro Dias (Podemos): 3%
João Amoêdo (Novo): 3%
Henrique Meirelles (MDB): 3%
Vera (PSTU): 1%
Cabo Daciolo (Patriota): 1%
Guilherme Boulos (PSOL): 0%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Eymael (DC): 0%
Branco/nulos: 19%
Não sabe/não respondeu: 7%

*Veja aqui os demais resultados da pesquisa, principalmente os dados do possível segundo turno.

Sobre a pesquisa

Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
Entrevistados: 2.002 eleitores em municípios
Quando a pesquisa foi feita: de 8 a 10 de setembro
Registro no TSE: BR-05221/2018
Nível de confiança: 95%
Contratante da pesquisa: Ibope Inteligência



Ibope expõe fraquezas de candidatos à presidência

Jair Bolsonaro (PSL) enfrenta forte resistência no eleitorado feminino. Marina Silva (Rede) patina entre os homens. Ciro Gomes (PDT) não convence os evangélicos. Geraldo Alckmin (PSDB) não atrai os mais jovens. Fernando Haddad (PT), provável substituto de Luiz Inácio Lula da Silva, tem desempenho pífio no interior.

É provável que esse quadro se mantenha, em um primeiro momento: as equipes de campanha dos principais concorrentes não planejam fazer agora esforços para conquistar eleitores mais resistentes. Pelo contrário, a estratégia é reforçar os laços com eleitores de perfil mais afeito ao discurso de cada um.



89% dos brasileiros escutam rádio, aponta pesquisa do Ibope

89% dos brasileiros escutam rádio

Além do consumo do rádio e o seu perfil demográfico, a Kantar IBOPE Media apresenta, pela primeira vez, a audiência comportamental do meio, na 3º edição do Book de Rádio. O estudo também traz insights sobre os hábitos, preferências, opiniões e consumo dos seus ouvintes.

A partir do TGR Rádio, lançado no fim do ano passado, é possível saber que 80% dos ouvintes de rádio, em São Paulo, acreditam que é muito importante estar bem informado. Já no Rio de Janeiro, 64% sempre procuram os melhores preços ao comprar equipamentos eletrônicos e, em Recife, 85% dos ouvintes gostam de produtos que facilitem o dia a dia.

O TGR Rádio, que cruza os dados de aferição regular do meio e do estudo single source Target Group Index, permite que anunciantes e agências estruturem, de forma mais personalizada e efetiva as suas campanhas de rádio”, explica Dora Câmara, diretora comercial Brasil da Kantar IBOPE Media.

Também de acordo com dados do Book de Rádio, o meio continua a desempenhar um papel fundamental no dia a dia do brasileiro. Em 2016, o rádio alcançou 89% das pessoas nas 13 regiões metropolitanas, onde a audiência é aferida pela empresa, o equivalente a 52 milhões de indivíduos. Em média, o brasileiro escuta 4 horas e 36 minutos ao dia – com destaque para a Grande Goiânia, onde os ouvintes dedicam 5 horas e 34 minutos do seu dia para o meio.

“O rádio é um meio versátil e ágil, ligado ao movimento. Além de ouvir em casa, as pessoas escutam rádio no carro indo para o trabalho, pelo celular enquanto caminham, na academia enquanto se exercitam. O meio é o grande companheiro dos ouvintes”, analisa Dora.

O estudo completo – com insights sobre o perfil do ouvinte, incluindo leituras do comportamento por praça e dados sobre a compra de espaço publicitário no meio – está disponível no site da Kantar IBOPE Media.