Joaquim Barbosa assina ficha de filiação do PSB

Joaquim Barbosa se filia ao PSB

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa assinou ficha de filiação ao PSB na noite desta sexta-feira (6/4), em São Paulo.

O presidente Carlos Siqueira saudou a filiação do ministro. “Joaquim Barbosa é um homem público honrado, de trajetória admirável, que vem reforçar e qualificar os quadros do partido.

É uma satisfação contar com o ministro no PSB neste momento tão desafiador do nosso país”, afirmou. Siqueira ressaltou a atuação de Barbosa à frente da Suprema Corte. “Ele deixou sua marca pessoal de firmeza e independência, e, ao colocar em discussão na corte pautas progressistas contribuiu para um significativo avanço civilizatório da sociedade brasileira”, disse.

Trajetória

Ministro do STF de 2003 a 2014, Barbosa foi presidente da corte entre 2012 e 2014 e desempenhou papel de destaque no julgamento da Ação Penal 470.

Doutor e mestre pela Universidade de Paris-II Panthéon-Assas, o ex-ministro é professor licenciado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Em sua longa carreira pública, antes de chegar ao Supremo, atuou quase 20 anos como procurador do Ministério Público Federal.

Natural de Paracatu (MG), Barbosa mudou-se para Brasília nos anos de 1970, concluiu os estudos secundários e ingressou no curso de Direito da Universidade de Brasília.



Joaquim Barbosa deve se filiar ao PSB na próxima semana

Ex-ministro do STF deve se filiar ao PSB

As especulações sobre a possível candidatura de Joaquim Barbosa ao Palácio do Planalto ganharam força nesta semana. Isso porque o ex-ministro Supremo Tribunal Federal (STF) teria acertado sua filiação ao PSB, em reunião com o presidente da sigla, Carlos Siqueira. A oficialização deve ocorrer nos próximos dias, já que a janela para filiação partidária se encerra no dia 7 de abril.

A candidatura de Barbosa à presidência é defendida por grande parte da bancada do PSB na Câmara. No entanto, o nome ex-ministro é rejeitado por alas mais à esquerda no partido.

De acordo com a última pesquisa Datafolha, Joaquim Barbosa registra de 3% a 5% da preferência do eleitorado. No levantamento, o jurista está à frente de pré-candidatos já oficializados, como Manuela D’Ávila (PC do B) e Guilherme Boulos (PSOL).



Joaquim Barbosa admite possibilidade de candidatura em 2018

Joaqui Barbosa admite que poderia ser candidato a Presidência da República – (Foto: Reprodução STF)

O Diário de Pernambuco destaca em sua edição nesta quinta-feira (08) que o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa admitiu nesta quarta-feira, 7, a possibilidade de se candidatar à presidência da República, embora tenha ressaltado que “ainda hesita” em relação a isso. Após solenidade, à tarde, no Supremo, quando foi descortinado o retrato dele na galeria de ex-presidentes da Corte, Barbosa disse que está refletindo sobre o assunto, não ignora as pesquisas eleitorais, já conversou com Marina Silva, da Rede, e com o PSB, mas disse não saber “se decidiria dar este passo”.

Eu sou um cidadão brasileiro, um cidadão pleno, há três anos livre das amarras de cargos públicos, mas sou um observador atento da vida brasileira. Portanto, a decisão de me candidatar ou não está na minha esfera de deliberação. Só que eu sou muito hesitante em relação a isso. Não sei se decidirei positivamente neste sentido“, disse o ex-ministro do Supremo.

Barbosa admitiu conversas sobre uma possível candidatura, mas negou ter assumido compromisso com algum partido.

Já conversei com líderes de partidos políticos, dois ou três. Até mesmo quando estava no Supremo fui sondado, sondagens superficiais. Ano passado, tive conversas com Marina Silva. Mais recentemente, tive conversas, troca de impressões, com a direção do PSB“, disse. “Mas nada de concreto em termos de oferta de legenda para candidatura, mesmo porque eu não sei se eu decidiria dar este passo. Eu hesito“, disse o ex-ministro.