Sethas suspende laticínio que fornecia leite irregular

A Secretaria de Trabalho, Habitação e Assistência Social (Sethas-RN) publica no Diário Oficial do Estado, desta sexta-feira (29), a suspensão de um dos laticínios envolvidos na investigação de contaminação de amostras de leite fornecido para o Programa Leite Potiguar (PLP). A Associação dos Pequenos Agricultores do Sertão de Angicos (APASA), será suspensa por até 90 dias. Durante esse prazo uma nova vistoria será realizada pela autoridade sanitária. Se as novas análises mostrarem que o produto está em condições ideais, o laticínio será liberado para realizar novamente o fornecimento do leite.

Os outros dois laticínios (Maila Macedônea Agroindustrial e Nutritiva Indústria de Laticínios), suspensos temporariamente, apresentaram à Sethas justificativas comprovando que os laudos do Ministério Público se referiam ao programa PAA-Leite, do Governo Federal, e não do PLP. Durante a suspensão da APASA, a Sethas fará a redistribuição do leite, por meio da cota de outros laticínios, garantindo que o programa não deixe de chegar às 8.513 famílias afetadas.

A Sethas-RN está seguindo todas as recomendações do Ministério Público e já está em tramitação um novo termo de referência para realizar licitação e dentro de 15 dias ele será apresentado ao MP para possíveis ajustes. O PLP custa R$ 47 milhões ao ano, atendendo a mais de 85 mil famílias em todos os 167 municípios do Estado.



Seminário patrocinado pelo BNB destaca projeto de bovinocultura leiteira em Parelhas

Como produzir e lucrar no Semiárido nordestino? A resposta a essa questão é o tema central do evento Demonstrações Práticas de Resultados de Fazenda Eficiente em Bovinocultura Leiteira no Rio Grande do Norte, que será realizado no domingo, dia 20, no Sítio Cachoeira, município de Parelhas-RN. O projeto, da empresa Pecuária Intensiva Consultoria e Treinamento, foi contemplado no edital de patrocínio 2017 do Banco do Nordeste.

Composto de um dia de campo para demonstrar in loco aos produtores rurais da região como obter melhores resultados, mesmo no cenário desafiador de uma região semiárida, o evento inclui visitação a todos os setores produtivos da propriedade e a realização de palestras de capacitação.

Serão tratados a utilização de tecnologia específica aplicada no Sítio Cachoeira e que pode ser replicada em outras propriedades; a questão mercadológica, retratando o cenário regional, estadual e nacional da cadeia produtiva do leite; e a temática do crédito rural, a cargo do Banco do Nordeste. A instituição, inclusive, atua para o fortalecimento da cadeia produtiva do leite na região com o Programa de Desenvolvimento Territorial (Prodeter).

O agente de desenvolvimento da agência Caicó, Marcial Araújo Batista, falará sobre os produtos e serviços oferecidos pelo BNB e também dos instrumentos legais de renegociação de dívidas rurais: a Lei 13.340/16, da Presidência da República, e a Resolução 4.591/17, do Conselho Monetário Nacional.

Continue lendo



Governo e UFRN assinam acordo para controle de qualidade do leite

Governo e UFRN assinam acordo para controle de qualidade do leite – (FOTO: Cícero Oliveira)

O leite cru produzido no Rio Grande do Norte terá controle de qualidade realizado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio de acordo de cooperação firmado nesta quinta-feira, 06, entre a instituição e a Secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (SAPE). Válido por cinco anos, o documento foi assinado na Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), em Macaíba, com a presença do vice-reitor da UFRN, José Daniel Diniz Melo, e do secretário de Agricultura, Guilherme Moraes Saldanha.

Na ocasião, os visitantes conheceram as instalações do LabLeite, onde as análises das amostras serão realizadas, e os laboratórios de Aquicultura, nos quais são desenvolvidas espécies para consumo humano, reintrodução na natureza e ornamentação de aquários. Também participaram da visita o diretor-presidente da Empresa de Pesquisa Agropecuária (Emparn), Alexandre Medeiros Wanderley, o diretor da EAJ, Júlio César de Andrade Neto, e o diretor do Pronatec-EAJ, João Ignácio Filho, além de pesquisadores dos cursos de Zootecnia e Aquicultura.



Representantes da cadeia produtiva de queijo discutem soluções na ALRN

Representantes da cadeia produtiva de queijo discutem soluções na ALRN

Produtores, consultores, técnicos e políticos da região do semiárido lotaram o Plenário Cortez Pereira em audiência pública para discutir a cadeia produtiva do queijo artesanal no Rio Grande do Norte. O debate foi proposto pelo deputado estadual Hermano Morais (PMDB), e contou ainda com a colaboração e sugestões de Fernando Mineiro (PT) e Gustavo Fernandes (PMDB).

O queijo artesanal integra uma importante característica histórica e cultural do Estado, especialmente pela habitualidade do consumo e produção. A modernização e definição das condições de fiscalização são imperiosas para dar segurança jurídica aos investidores do setor, notabilizada pela dificuldade em apurar a produção clandestina e sem os devidos padrões de higiene“, justifica Hermano.

Continue lendo