VÍDEO/ENTREVISTA: Sessões do Júri Popular são retomadas em Caicó

Juiz, Luiz Cândido Villaça, em audiência virtual com réu preso – (FOTO: Sidney Silva)

As sessões de julgamento popular estão sendo retomadas na Comarca de Caicó. As atividades estavam paralisadas por causa da pandemia do novo coronavírus.

Nesta quarta-feira (18), o juiz, Luiz Cândido Villaça, concedeu entrevista ao Blog Sidney Silva. Sobre o júri, ele disse que se fazia necessário concluir alguns julgamentos que são necessários e importantes. Nas próximas semanas, devem acontecer mais 3 sessões de julgamento. “Esses são processos mais urgentes. Para o próximo ano, fazer com que as pautas transcorram naturalmente”, afirmou.

Audiência aconteceu de forma remota

Quanto ao acesso ao plenário para assistir ao júri, o juiz disse que como são sessões abertas, as pessoas podem participar, mas, se o número aumentar, então terá que impor um limite por causa do que pedem os órgão de saúde mundiais que é o distanciamento social.

Quando nós chegamos, o magistrado estava para dar início a uma audiência realizada de forma virtual com um réu preso na Penitenciária Estadual do Seridó, uma atividade que não deixou de acontecer durante a pandemia. “A gente está sempre realizando as audiências, utilizando esses recursos de tecnologia, o que vem funcionando muito bem. E, esses recursos, devem ser utilizados, mesmo depois que a gente atravesse essa etapa, porque facilita muito, tanto a vida dos advogados, como a do estado, gera uma economia”, disse.

*Assista a entrevista:


Luiz Cândido Villaça, assume a presidência da AMARN

Luiz Cândido Villaça está na presidência da AMARN

O juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça, está exercendo de forma interina, a presidência da Associação dos Magistrados do Rio Grande do Norte – AMARN.

Em conversa com o Blog Sidney Silva, o magistrado disse que fará, na ausência do juiz Herval Sampaio, trabalho atendendo as demandas dos magistrados de todas as regiões do estado.

“Nós também temos que tratar com os juízes, temas como a criação dos juízes das garantias e a Lei de Abuso de Autoridade que já entrou em vigor”, disse.