Maluf pode cumprir pena em presídio, aponta novo laudo do IML

De acordo com o novo laudo do Instituto Médico Legal (IML) do Distrito Federal, não há impedimentos para que deputado Paulo Maluf, do PP de São Paulo, continue preso na Penitenciária da Papuda, em Brasília. O parlamentar foi condenado por receber propina em contratos públicos com as empreiteiras Mendes Júnior e OAS quando era prefeito de São Paulo, entre 1993 e 1996.

Este foi o segundo laudo entregue à Justiça e serviu para responder a questionamentos dos advogados do parlamentar. Isso porque a defesa de Maluf não concordou com o primeiro laudo apresentado pelo IML, que também atestou a capacidade do parlamentar em cumprir a pena na Papuda. Os advogados alegam que Maluf deve cumprir prisão domiciliar por ter câncer de próstata, problemas cardíacos e na coluna, além de hérnia de disco.

Apesar disso, o novo laudo do IML concluiu que ele tem doenças graves, mas que não há algum impedimento ao cumprimento da pena privativa de liberdade recolhido no Centro de Detenção Provisória, o CDP, desde que seja assistido pela equipe médica.

O deputado cumpre pena definitiva de sete anos e nove meses, definida pelo Supremo Tribunal Federal (STF).



Gilmar solta mais cinco e Maluf vai pra prisão

Não faltaram memes esta semana com o presidente do Superior Tribunal Eleitoral e o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes. Tudo que se relacionava à soltura de presos poderosos, lá estava o magistrado. Na penúltima semana do ano letivo, Gilmar abriu a porteira e concedeu habeas corpus de soltura de vários presos sob suspeita de corrupção. Foram os agraciados: o ex-governador do Rio Anthony Garotinho; a mulher do também ex-governador Sérgio Cabral, Adriana Anselmo, e o ex-ministro dos Transportes e presidente do PR, Antônio Carlos Rodrigues. Também foram pra casa os empresários Miguel Iskin e Gustavo Estelita, presos sob suspeita de integrarem um esquema de fraudes em licitações na Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro.

Continue lendo