Dono de lava jato no Maranhão é preso pela PRF com um quilo de cocaína; Veja vídeo

Cocaína foi apreendida pela PRF em Mamanguape

Um empresário foi preso pela Polícia Rodoviária Federal com um quilo de cocaína, no início da noite desta quinta-feira (20), em uma fiscalização de rotina na BR 101, em Mamanguape, Zona da Mata Norte da Paraíba. O suspeito viajava como passageiro em um ônibus de linha interestadual.

Policiais do Núcleo de Operações Especiais (NOE) da PRF abordaram o ônibus da empresa Progresso que tinha como destino a cidade de São Luis (MA). Além do veículo e motorista, todos os passageiros foram fiscalizados. Durante a revista aos pertences dos ocupantes, os agentes encontraram um pacote contendo um quilo de cocaína com um deles. O homem que portava a droga tem 33 anos de idade e é proprietário de um lava jato em São Luis.

Os policiais descobriram ainda que ele responde na Justiça pelo crime de assalto a mão armada. O suspeito disse que pegou a droga em Natal (RN) e entregaria a uma pessoa na capital maranhense. Pelo “trabalho” receberia R$ 1 mil.

O flagrante foi registrado na Delegacia da polícia Civil em Mamanguape. Caso condenado pelo crime de tráfico de drogas, poderá pagar uma pena de reclusão que varia entre cinco e quinze anos.

Explosivos e cocaína são apreendidos pela PRF em Mamanguape/PB

PRF apreende droga e explosivos em Mamanguape

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu um quilo e meio de explosivos, além de um quilo de cocaína, na noite de ontem, durante fiscalização de rotina, na BR 101, em Mamanguape, Zona da mata Norte da Paraíba.

Os agentes da PRF abordaram um táxi Chevrolet Meriva com dois ocupantes para que fosse feita uma fiscalização rotineira. Quando deram início à inspeção ao veículo encontraram no seu porta-malas artefatos explosivos dos tipos espoletas e cordel detonante. A dupla disse que pegou o carregamento na cidade de Natal (RN) e entregaria a uma pessoa em um posto de combustível localizado próximo ao local da fiscalização. Declararam ainda que receberiam R$ 1 mil pelo serviço. A comercialização e transporte de explosivos é controlado pelo Exército Brasileiro. O transporte sem autorização é considerado crime.

Explosão de caixas eletrônicos – Espoletas, cordéis detonantes e dinamite são materiais muito visados por criminosos que praticam uma modalidade conhecida como “explosão de caixas eletrônicos”.

A mesma equipe de policiais rodoviários federais que flagrou o transporte de explosivos abordou, dez minutos depois, um ônibus da empresa Nordeste, que fazia a linha entre Natal e Campina Grande, para realizar uma fiscalização ao veículo, motorista e passageiros. E foi com um dos passageiros que os agentes encontraram um quilo de cocaína. A droga estava escondida debaixo do assento do mesmo. O jovem de 21 anos disse aos policiais que comprou a cocaína em Natal e que tinha o objetivo de vendê-la em João Pessoa.

As duas ocorrências foram encaminhadas para a Delegacia da Polícia Civil de Mamanguape.