Médicos decretam greve no Rio Grande do Norte

Médicos do RN deflagram greve

A categoria médica se une as outras categorias de servidores do Estado e decreta greve a partir da segunda-feira, 13. Os médicos aprovaram a medida em assembleia realizada no último dia 07/11, no Sindicato dos Médicos do RN (Sinmed RN).

A paralisação da categoria por tempo indeterminado se dá pelos constantes atrasos salariais do Governo do Estado – desde janeiro de 2016 – que chega a acumular dívida de dois meses com os servidores, sem apresentar calendários de pagamento, desrespeitando a legislação estadual que prevê o pagamento do funcionalismo até o último dia útil do mês.

Anunciaram greve também os servidores da saúde estadual, funcionários do Detran e Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Policiais Civis.

Os servidores da segurança, no entanto, têm a promessa do Governo de normalizar o pagamento até o dia 13 de novembro, para evitar que a categoria entre em greve. Fato esse que preocupa as outras categorias. “Quem o Governo vai prejudicar para manter os salários de apenas uma categoria em dia?”, questionou Geraldo Ferreira, presidente do Sinmed RN.

Simone Dutra, Coordenadora do Sindsaúde, participou da assembleia com os médicos e enfatizou o momento de união das categorias para exigir o pagamento do Estado e demonstrou preocupação com esta divisão de pagamento que deixa de ser por faixa salarial e passa a ser por categoria: “Ou dizemos que existimos ou seremos secundarizados nesta questão”, declarou.

Ato público

Os sindicatos da saúde SOERN, SINDSAÚDE, SINDERN e SINMED RN, organizam um ato público para o dia 10 de novembro, no Hospital Walfredo Gurgel, a partir das 9h.

Em seguida, 10h30, os manifestantes seguem em carreata até a sede da Governadoria onde acontece a concentração do Ato do Fórum de Servidores do Estado.



Sessão solene proposta por Vivaldo deverá reunir médicos 50 anos após formatura

Sessão solene na ALRN vai reunir médicos formado após 50 anos

O deputado Vivaldo Costa (PROS) reunirá a turma concluinte do curso de medicina formada pela UFRN no ano de 1967. A proposta foi apresenta no plenário da Assembleia Legislativa e acatada pelos parlamentares. A sessão solene já tem data e foi definida, por uma comissão de médicos que estão organizando a cerimônia, para o dia 7 de dezembro. A turma deverá participar de uma missa seguida de almoço que acontecerá dia 10 de dezembro.

Vivaldo, que é pediatra, esteve reunido com outros dois membros da turma e traçaram algumas diretrizes, os médicos José Humberto (ortopedista) e Eduardo Afonso (psiquiatra). Em 2017 a turma concluinte estará celebrando meio século de formatura. O momento está sendo aguardado por todos. “Será um momento de nos reencontrarmos e relembrarmos boas histórias”, garantiu o parlamentar.



Médicos que fazem cirurgias eletivas no Hospital do Seridó ameaçam parar

Os médicos que fazem cirurgias eletivas no Hospital do Seridó em Caicó, poderão paralisar suas atividades nos próximos dias por causa da falta de pagamento da produção. A informação foi confirmada por uma fonte do Blog Sidney Silva na manhã desta segunda-feira (21). Nesta semana deve acontecer uma reunião entre os profissionais para tratar sobre o assunto.

Os repasses financeiros para os médicos estariam atrasados há cerca de 3 meses. Na mesma situação, ou seja, com os salários atrasados, estão os funcionários da referida unidade de saúde.

Porém, um detalhe chama atenção. O repasse financeiro para pagamento de produção de Média e Alta Complexidade Ambulatorial e Hospitalar dos Municípios que pactuam com Caicó e do Ministério da Saúde, não está atrasado.

Em Janeiro, Caicó recebeu: R$ 958.494,38

Em Fevereiro: R$ 1.077.834,38

Em Março: R$ 1.398.096,06

Em Abril: R$ 1.329.905,05

Em Maio: R$ 1.008.264,38

Em Junho: R$ 1.144.169,03

Em Julho: R$ 1.203.701,91

Em Agosto: R$ 1.022.537,44

A Secretária de Saúde de Caicó, Sandra Brilhante, disse ao repórter Willacy Dantas, que a informação do atraso no pagamento não procede. Disse ainda que o que está atrasado, é o pagamento das AIHs (Autorização de Internamento Hospitalar), mas, a questão será resolvida o quanto antes.



Entidades médicas anunciam campanha “Médicos contra a violência”

Entidades médicas anunciam campanha Médicos contra a violência

A insegurança vivenciada pelos profissionais médicos e por toda sociedade potiguar foi o principal motivo para uma coletiva de imprensa realizada pelas entidades médicas do Estado: Conselho Regional de Medicina – CREMERN, Academia Norte Riograndense de Medicina, Associação Médica do RN e Sindicato dos Médicos do RN – Sinmed, na tarde desta quinta-feira (10), no auditório da Associação Médica. Na oportunidade foi anunciada a campanha “Médicos contra a violência“.

Foram apresentados aos jornalistas dados sobre a insegurança no RN, baseados em números de vítimas da violência no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel. “No maior hospital público do Estado, 36% dos óbitos são consequência de homicídios. A média de atendimento mensal de vítimas de violência é de 62% neste ano, sendo 4% maior que em 2016. Além disso, 80% do Hospital é ocupado por consequência de violências urbanas em geral, como agressões e acidentes“, argumentou o presidente do CREMERN, Marcos Lima de Freitas.

Os médicos também chamaram atenção para a questão da influência dessa insegurança afetar psicologicamente os profissionais da área de saúde e trabalhadores em geral.

A campanha deverá ser deflagrada ainda na segunda quinzena de agosto, onde os médicos pretendem sensibilizar inclusive outras categorias profissionais para que sejam cobradas das autoridades providências concretas para reverter o caos na segurança pública do Estado.

Além do presidente do CREMERN, Marcos Lima de Freitas, estiveram presentes os médicos Maciel Matias, presidente da Academia Norte Riograndense de Medicina, José Rosendo, presidente da Associação Médica do RN e Manoel Marques, diretor do Sindicato dos Médicos do RN.



Sesap faz reunião sobre pagamento de profissionais do Hospital Regional de Caicó

Reunião na Sesap tratará sobre pagamentos de profissionais do Regional de Caicó

Os médicos e profissionais de saúde que trabalham no Hospital Regional de Caicó, tiveram o salário referente ao mês de abril deste ano, pago na última sexta-feira (23). Eles estavam ameaçando paralisar as atividades caso o pagamento não fosse realizado. Mas, a possibilidade ainda existe. É que o Município de Caicó está se recusando a fazer o repasse financeiro para a unidade hospitalar.

O Governo do Estado repassa cerca de 300 mil reais para a Prefeitura de Caicó para que o ente repasse para o Hospital Regional. Esse valor juntamente com o que é produzido pelo Hospital como AIHs e outros serviços, e, com uma pequena contrapartida do Município é feito o pagamento da folha da referida casa de saúde.

Diante da possibilidade de paralisação dos profissionais que atuam no Hospital, o secretário George Antunes, titular da Sesap, convocou uma reunião com a direção do Hospital, a Secretaria de Saúde de Caicó, representante dos médicos, do Município e outros técnicos para tratar sobre o repasse financeiro.



Médicos plantonistas do Hospital Regional podem suspender atendimentos

Médicos plantonistas do Hospital Regional poderão parar por atraso no pagamento

Médicos e enfermeiros que trabalham no Hospital Regional do Seridó, na condição de contratados estão sem receber os salários de abril e maio, e prestes a entrar para o terceiro mês. O pagamento é feito, graças a uma parceria antiga entre o Governo do Estado e o Município de Caicó.

A folha mensal gira em torno de 500 mil reais, e destes, 300 mil é garantido pelo Governo Estadual, o Hospital consegue produzir algo em torno de 150 mil com procedimentos ambulatoriais e AIHs, e ao Município cabe a menor parcela para completar a folha. Porém, todos os repasses são feitos para o Município, que é quem tem a competência de pagar a folha completa.

Em contato com o Blog do Marcos Dantas, profissionais confirmaram que muitos estão desestimulados em manter os seus plantões. “O transtorno não é nem pelos dois meses de atraso, porque quem trabalha no SUS já está acostumado a conviver com esse atraso. Desde a época quando Bibi era prefeito que a gente recebe assim. O que deixou a turma chateada foi o Município ter dito simplesmente que não tem dinheiro para fechar a folha, e não deu qualquer previsão de quando receberemos, pelo menos o mês de abril”, disse um interlocutor ouvido pelo Blog.

A direção do Hospital Regional, pelo que o Blog conseguiu apurar se reuniu com a secretária de Saúde, Sandra Brilhante, que se comprometeu em agilizar o repasse, porém a informação vinda da secretaria de Finanças, que tem como titular o auditor-fiscal Marcos Airton, era de que o município não dispõe de recursos e que o pagamento não seria feito.

É muito difícil convencer o pessoal a trabalhar sem receber.  Algumas cirurgias não conseguiram ser feitas hoje, e não sei quem vai querer trabalhar amanha, mesmo sabendo que não tem previsão para receber. Quem está no vinculo do Estado continuará trabalhando, mas como a grande maioria dos demais profissionais é por esta parceria, não sabemos como ficará a situação, enquanto o pagamento não for feito”, disse a fonte ao Blog.