Cobrado a entregar vacinas, Butantan pergunta ao Ministério da Saúde quantas doses ficarão em São Paulo

Ministério da Saúde requisitou todas as vacinas que estão no Butantan

O Butantan questionou o Ministério da Saúde nesta sexta-feira (15) sobre quantas doses da CoronaVac serão destinadas ao estado de São Paulo no Plano Nacional de Imunização. A vacina contra a Covid-19 é produzida pelo instituto em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

A pergunta foi enviada após a pasta ter emitido um ofício, na tarde desta sexta, solicitando a entrega “imediata” de todas as 6 milhões de doses prontas do imunizante que haviam sido importadas da China e estão em São Paulo.

A gestão João Doria (PSDB) estima que São Paulo tem direito a cerca de 1,5 milhão de doses – o cálculo é feito com base no tamanho da população do estado.

A CoronaVac foi adquirida do governo paulista pelo Ministério da Saúde, mas ainda é necessária a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que possa ser aplicada na população brasileira.

G1


Governadora cobra agilidade da União na definição do calendário de vacinação

Encontro com o Ministro Pazzuelo aconteceu em Brasília – (Foto: Joel Dias)

Na reunião dos governadores do Nordeste com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, nesta terça-feira (08) em Brasília, a governadora Fátima Bezerra pediu urgência na definição pelo Governo Federal de um calendário para a vacinação contra a Covid-19.

Precisamos de datas e um calendário definido com as etapas e fases prioritárias. Isso requer urgência. É necessário também incluir entre as prioridades os professores e profissionais da educação“, afirmou a governadora. Ela registrou que as ações que cabem aos estados estão sendo realizadas. “A logística de distribuição, os equipamentos e insumos necessários para aplicação da vacina às pessoas, tudo isso está sendo providenciado pelos Estados“, declarou Fátima Bezerra.

Continue lendo

Vacinação contra sarampo para quem tem de 20 a 49 anos é prorrogada

Brasileiros com idade entre 20 e 49 anos têm até o dia 31 de outubro para se vacinar contra o sarampo. O prazo terminaria na próxima segunda-feira (31), mas o Ministério da Saúde anunciou nesta tarde a prorrogação do prazo. Devido à pandemia – e à preocupação com os riscos de contaminação pela covid-19 – a campanha deste ano acabou atingindo um público menor do que o esperado.

Novo prazo da vacinação vai até o dia 31 de outubro – (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Dados preliminares das secretarias estaduais de saúde, registrados no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações, apontam que, do início da campanha em 16 de março até o dia 17 de agosto, 5.299.087 de pessoas na faixa etária de 20 a 49 anos foram vacinadas.

O número corresponde a apenas 5,8% das 90 milhões de pessoas que têm entre 20 e 49 anos, público-alvo da quarta etapa da Mobilização Nacional de Vacinação contra o Sarampo, doença considerada “grave e de alta transmissibilidade”, uma vez que cada pessoa contaminada poder transmiti-la a até 18 pessoas, principalmente por via aérea, ao tossir, espirrar, falar ou mesmo respirar.

De acordo com as autoridades de saúde, a principal medida de prevenção e controle do sarampo é a vacinação. Nesse sentido, alertas têm sido dados à população sobre “a importância da vacinação contra o sarampo, mesmo com a pandemia de covid-19 em evidência no país”.

Agência Brasil


Bilionário que queria fazer recontagem de mortos por covid desiste de aceitar cargo no Ministério da Saúde

Bilionário desistiu de cargo no Ministério da Saúde – (Foto: Sforza Holding/Divulgação)

O Brasil agradece de joelhos a decisão do bilionário sem noção Carlos Wizard de não aceitar o cargo todo-poderoso no Ministério da Saúde.

Como ele começou mal, sugerindo imbecilmente a recontagem dos mortos por covid no Brasil, levou muita porrada nas redes sociais – mesmo não disponibilizando os comentários públicos – e achou melhor dizer que não aceitaria mais ser auxiliar no Ministério.

Pelo menos oficialmente, Wizard não será mais “conselheiro” do atual ministro Eduardo Pazuello.

O empresário que adora tirar foto com personalidades da política, vinha participando de reuniões sobre a pandemia do coronavírus.

Ele não chegou a ser nomeado no “Diário Oficial da União” e, por isso, também não recebeu dinheiro público.

Leia nota publicada pelo empresário Carlos Wizard neste domingo, anunciando sua decisão:

Nota

Informo que hoje (7/junho) deixo de atuar como Conselheiro do Ministério da Saúde, na condição pro bono.

Além disso, recebi o convite para assumir a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos da pasta.

Agradeço ao ministro Eduardo Pazuello pela confiança, porém decidi não aceitar para continuar me dedicando de forma solidária e independente aos trabalhos sociais que iniciei em 2018 em Roraima.

Peço desculpas por qualquer ato ou declaração de minha autoria que tenha sido interpretada como desrespeito aos familiares das vítimas da Covid-19 ou profissionais de saúde que assumiram a nobre missão de salvar vidas.

Carlos Wizard Martins

Blog de Thaisa Galvão


Câmara do MPF instaura procedimento para apurar exclusão de dados divulgados pelo Ministério da Saúde

Pazuello deve informar ao MPF o motivo de retardar divulgação do boletim Covid-19

A Câmara de Direitos Sociais e Fiscalização de Atos Administrativos em Geral do Ministério Público Federal (MPF) instaurou no sábado (6) um procedimento extrajudicial para apurar os motivos que levaram o Ministério da Saúde a mudar o formato de divulgação e excluir do Painel de Informações da Covid-19 o número acumulado de mortes e de casos confirmados da doença.

Para fundamentar o pedido, o órgão cita a Constituição que assegura ‘a todos o acesso à informação’ e a Lei de Acesso à Informação, que prevê a transparência do poder público. A nova forma de divulgar o boletim de casos de coronavírus foi alvo de críticas de autoridades e especialistas.

O despacho determina o envio de ofício ao ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, para que ele forneça, no prazo de 72 horas, informações detalhadas sobre o assunto. A decisão de abrir o procedimento, foi tomada pela subprocuradora-geral da República Célia Regina Delgado, e pelo coordenador do Grupo de Trabalho Saúde da pasta, procurador da República Edilson Vitorelli.

*Leia a notícia completa do G1, aqui


RN tem mais 251 leitos de UTI habilitados pelo Ministério da Saúde; Em Caicó, são 42

Leitos de UTI estão sendo habilitados no RN

De sexta-feira (15) até esta quarta-feira (20), foram habilitados novos 2.352 leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), com investimento de R$ 334,6 milhões em todo o Brasil. A medida foi anunciada pelo secretário-executivo substituto, Élcio Franco, durante coletiva de imprensa, no Palácio do Planalto, em Brasília.

As novas unidades, de acordo com informações da pasta, representam um crescimento de 61,2% e vão beneficiar 13 estados brasileiros: Alagoas (10), Bahia (46), Ceará (212), Maranhão (128), Mato Grosso do Sul (77), Mato Grosso (263), Pará (304), Pernambuco (84), Piauí (32), Rio de Janeiro (5), Rio Grande do Norte (251) e Rio Grande do Sul (280).

Para a cidade de Caicó, estão sendo habilitados 42 leitos de UTI, sendo 28 no Hospital Regional do Seridó e 14 na Escola Multicampi de Ciências Médicas.

Esse recurso está sendo repassado para estados e municípios na cota integral dos 30 dias. Está sendo pago de maneira adiantada para 90 dias. Todos os leitos voltados exclusivamente para pacientes graves ou gravíssimos do coronavírus. Os leitos recebem o dobro do valor normal”, explicou.

Leitos habilitados no RN de sexta-feira (15) até quarta-feira (20):

*Via Blog do BG


Ministério da Saúde diz que Nordeste, RJ e ES poderão ter surto de dengue em 2020

Todos os estados do Nordeste, assim como Espírito Santo e Rio de Janeiro, poderão ter um surto de dengue a partir de março de 2020, afirma o Ministério da Saúde.

“A dengue é uma doença sazonal e o quadro é dinâmico e pode mudar em pouco tempo, mas, no momento, os nove estados do Nordeste e as regiões do Sudeste com grande contingente populacional pouco afetadas em 2019 estão no nosso alerta”, afirmou ao G1 o porta-voz do Ministério da Saúde, Roberto Said.

O Brasil registrou 1.544.987 casos de dengue no ano passado, com 782 mortes, segundo dados da pasta, um aumento de 488% em relação a 2018, um ano considerado atípico pelo Ministério.

*Leia a notícia complete do G1, aqui


Campanha de Vacinação contra Influenza será prorrogada até o dia 15 de junho

Campanha de vacinação será prorrogada

A 20ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, que iniciou em 23 de abril e estava prevista a encerrar no dia 01 de junho, será prorrogada até 15 de junho, em função da greve do transporte rodoviário. O Ministério da Saúde informou ainda que a partir do dia 18 de junho, os municípios que ainda não atingiram a meta estabelecida (90%), deverão buscar estratégias para continuar vacinando os grupos prioritários, em especial, crianças, gestantes, idosos e pessoas com comorbidades.

Continue lendo