Procuradores da Lava-Jato na PGR pedem demissão coletiva na noite desta sexta (26)

Procuradores da força tarefa que atuam em Brasília pediram demissão

O site O Antagonista divulgou por volta das 20hs30min da noite desta sextsa-feira (26) a notícia dando conta do pedido de demissão coletiva dos procuradores da Lava-Jato, em Brasília/DF.

De acordo com a notícia, o grupo está saindo por descordar da forma de trabalho do Procurador Geral de Justiça, Augusto Aras.

“A gota d’água foi a manobra de sua auxiliar, Lindora Araújo, que quis copiar bancos de dados sigilosos das investigações da Lava Jato, informalmente e sem apresentar documentos ou justificativa”, destaca O Antagonista.

A vice-PGR, Lindôra Araújo, determinou que fossem copiados os arquivos do MPF em Curitiba com todas as investigações – inclusive as que ainda não foram deflagradas. A medida foi denunciada pelos procuradores à Corregedoria-Geral do Ministério Público.

No documento, obtido por O Antagonista, a Procuradoria da República informa que Lindôra “buscou acesso a informações, procedimentos e bases de dados desta força-tarefa em diligência efetuada sem prestar informações sobre a existência de um procedimento instaurado, formalização ou escopo definido”.


MPF denuncia João Maia e mais 10 envolvidos em corrupção junto ao Dnit

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o ex-deputado federal João Maia e mais 10 pessoas por envolvimento no esquema de corrupção que reunia (entre os anos de 2009 e 2010) integrantes da Superintendência do Dnit no Rio Grande do Norte e representantes de construtoras. Os 11 foram alvo da Operação Via Trajana, realizada no último dia 31 de julho e que é um desdobramento da Operação Via Ápia, deflagrada em 2010.

(…) pelos elementos colhidos por meio dos acordos de colaboração celebrados e demais provas coligidas nessa fase da investigação, verificou-se, a bem da verdade, que João da Silva Maia era o verdadeiro chefe mor de todo o esquema de corrupção operado no Dnit/RN”, destaca a denúncia do MPF.

Continue lendo