Um em cada oito adultos no mundo é obeso, alerta OMS

Agência Brasil – No Dia Mundial da Obesidade, lembrado hoje (11), a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que um em cada oito adultos em todo o planeta é obeso. A projeção é de que, em 2025, cerca de 2,3 bilhões de indivíduos estejam com excesso de peso, sendo mais de 700 milhões com obesidade. Já o número de crianças com sobrepeso e obesidade pode chegar a 75 milhões caso nada seja feito – incluindo 427 mil crianças com pré-diabetes, 1 milhão com hipertensão arterial e 1,4 milhão com aumento do acúmulo de gordura no fígado.

Continue lendo



Cresce ódio ao jornalismo, diz organização Repórteres sem Fronteiras

Casos de ódio contra o jornalismo aumentam no mundo

ABr – O mundo passa por um momento de crescimento do ódio ao jornalismo e aos jornalistas, o que ameaça as democracias, diz a edição 2018 do Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa. Os dados foram divulgado hoje (25) pela organização Repórteres sem Fronteiras (RSF), em sete eventos simultâneos pelo mundo, incluindo no Rio de Janeiro.

Segundo o diretor regional da organização para a América Latina, Emmanuel Colombié, a liberdade de imprensa funciona como um termômetro do vigor da democracia e o índice global vive seus piores momentos. “Estamos com 3.826 pontos, caiu muito desde que o rankingcomeçou a ser feito em 2002.”

No ranking geral, o país com mais liberdade de imprensa é a Noruega, seguido pela Suécia e pelos Países Baixos. Os países no fim da lista são Coreia do Norte, Eritreia e Turkomenistão.



Levantamento estima gasto de US$ 360 bilhões de seguradoras com catástrofes em 2017

Levantamento estima gasto de US$ 360 bilhões de seguradoras com catástrofes em 2017

As catástrofes naturais e de origem humana custarão ao todo cerca de US$ 360 bilhões em 2017. As estimativas que foram feitas pela seguradora suíça Swiss Re, atingem quase o dobro do registrado em 2017, quando a os valores chegaram US$ 188 bilhões.

Do montante deste ano, cerca de US$ 136 bilhões foram assumidas por seguradoras, enquanto no ano passado os valores foram bem menores, de US$ 65 bilhões.

Entre as catástrofes deste ano que causaram danos e, consequentemente, gastos estão os furacões Harvey, Irma e Maria, que atingiram parte do Caribe e o sudeste dos Estados Unidos. Somente com furacões, o prejuízo estipulado é de US$ 93 bilhões.

Ainda nos Estados Unidos, os incêndios causaram danos de cerca de US$ 7,3 bilhões em imóveis.

Outro país que sofreu com desastres naturais foi o México. Foram diversos terremotos em 2017 e os gastos com seguros ultrapassam os US$ 2 bilhões.

O levantamento da Swiss Re é feito desde 1970.