Direção do Hospital Regional espera autorização para Clínica do Rim fazer hemodiálise em pacientes de sua UTI

Luciana Kadidja, diretora do Hospital Regional de Caicó Foto Sidney Silva
Luciana Kadidja, diretora do Hospital Regional de Caicó – (Foto: Sidney Silva)

A diretora do Hospital Regional em Caicó, Luciana Kadidja, fez um apelo a médica nefrologista Nilma Rodrigues, que é proprietária da Clinica do Rim, que atualmente está localizada em nova sede, na BR 427, saída de Caicó para Jardim do Seridó, para que seja firmada parceria entre os dois entes com o objetivo de instalar na Unidade de Terapia Intensiva do referido Hospital, o serviço de Nefrologia Agudo.

Nós temos passado grandes problemas com a falta desse serviço. Quando o paciente está na UTI e precisa passar por Hemodiálise, tem que ficar esperando regulação de vaga, e isso dificulta a recuperação do paciente. O Estado já começou o processo licitatório para resolver a questão, mas, nós sugerimos que como a Clínica do Rim já está instalada em Caicó, que possa estender esse serviço para nós do Regional“, afirmou.

Médica Nilma Rodrigues cofirmou que Clínica do Rim tem know-how para prestar o serviço, mas, precisa de autorização do Governo – (Foto: Sidney Silva)

A médica Nilma Rodrigues, reconheceu a parceria mantida por muitos anos entre a Clinica e o Hospital. “Foram 15 anos que a Clínica ficou usando às dependências do Hospital. Quanto nós estávamos no interior do Hospital, era realmente, mais fácil para fazer esse atendimento e como a gente saiu de lá, nós só somos credenciados para fazer pacientes crônicos e não agudos, porque, a estrutura é diferente. Esses pacientes que Luciana fala, são os que estão na UTI, entubados, que precisam de respirador artificial, então não tem como ele fazer na Clinica. Quando estávamos nas dependência do Regional, tudo bem, nós levávamos o equipamento para a UTI, mas, agora…porém, nós temos todo o know-how para esse tipo de serviço, basta apenas se adquirir alguns equipamentos, nós participamos de uma licitação e nós temos toda condição de prestar o serviço. Agora, nós precisamos da autorização do Governo do Estado“, comentou a médica.