Pai de crianças mortas a pauladas na zona rural de Jardim de Piranhas, em 1995, diz que nunca pensou em vingança

Gerilúzia, de 10 anos, Gilderlan, de 9 anos

Um crime que chocou à todos, ocorrido na zona rural da cidade de Jardim de Piranhas/RN, completou 25 anos neste dia 10 de agosto de 2020.

Os irmãos Gerileusa, de 11 anos, Gerilúzia, de 10 anos, Gilderlan, de 9 anos e Gilderlane, de 7 anos, foram atacados a pauladas no dia 10 de agosto de 1995, por volta das 13hs30min, por Paulo Fabrício de Oliveira conhecido por Paulo Veio.

De acordo com relatos do pai das vítimas, o professor, Geraldo Raimundo, enviado ao Blog Sidney Silva, o causador da tragédia chegou à residência onde estavam as crianças, sozinhas, procurando pela esposa. Geraldo Raimundo, tinha viajado à cidade de Jardim de Piranhas enquanto a mãe da crianças lavava roupas no Rio.

As crianças responderam a “Paulo Veio” que sua esposa não estava alí. Ele insistiu e mandou que abrissem a porta, como não atenderam, à derrubou com um pedaço de pau. Enfurecido, Paulo passou a agredir às crianças.

Os vizinhos ouviram os gritos das crianças e correram para socorrê-las. Ao chegar na casa, elas estavam no chão com muitos ferimentos. O homem foi contido e amarrado. A Polícia foi acionada e o agressor encaminhado para a Delegacia em Jardim de Piranhas.

Passado algum tempo, o réu conseguiu atestado de insanidade mental e se tornou inimputável.

Hoje, segundo se sabe, reside na cidade de Mossoró, com familiar.

A pessoa com quem vivia à época do fato, o deixou. Eles eram primos.

O pai das crianças, Geraldo Raimundo, foi informado do ocorrido e seguiu para o Hospital do Seridó, em Caicó. Entrevistado pelo repórter Gilmar Cardoso, foi perguntado o que ele como pai, podia dizer? “Não penso em vingança, por que, vingança não traz bem pra ninguém”, respondeu.

Sua resposta causou revolta em algumas pessoas que pensavam diferente.”Sofri além da dor da perda dos meus filhos. Sofri blasfêmias, calúnias e todo de tipo de fofocas”, disse.

Das crianças atacadas, escaparam, a filha mais velha, Gerileusa, à época com 11 anos e a mais nova, Gilderlane, à época com 7 anos, inclusive, ela passou 18 dias internada no Walfredo Gurgel, em Natal.

Faleceram, Gerilúzia, de 10 anos e Gilderlan, de 9 anos.

Em conversa com esse repórter, Geraldo disse que não passou um dia sem que lembrasse dos filhos que perdeu.