Pesquisa sobre Segurança Pública vai levantar prioridades para o setor no RN

Delegada, Paoulla Maués, se reuniu com presidente do TJRN

Paoulla Maués, presidente da Associação dos Delegados de Polícia Civil do Rio Grande do Norte (Adepol/RN), reuniu-se com o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Expedito Ferreira, para divulgar a realização da pesquisa de opinião pública “Eu decido a segurança do RN”.

O dirigente do Poder Judiciário destacou durante o encontro a importância do levantamento, que vai colher o posicionamento do cidadão potiguar sobre quais são as prioridades para a segurança pública. Com isso a associação vai poder encaminhar e discutir essas sugestões junto aos oito candidatos ao governo do Estado, com eleição marcada para 7 de outubro.

Para acessar a pesquisa clique aquihttps://www.eudecidoasegurancadorn.com.br

A pesquisa é fruto de uma parceria entre a Adepol e a inPACTA-UFRN (Incubadora de Processos Acadêmicos, Científicos e Tecnológicos Aplicados da Escola de Ciências e Tecnologia). Segundo Paoulla “A ideia é extrair uma percepção da população a respeito da segurança pública, quais são os crimes que causam maior preocupação para a população do Rio Grande do Norte, o que eles mais temem, quais são as prioridades que eles elegem para que o próximo governador execute na área da segurança”.

Para a presidente da Adepol é importante que os responsáveis pela segurança formal do Estado estejam unidos e engajados para articular com todos os atores neste processo de construção de uma sociedade mais segura.



Pesquisa mostra que mais de um quarto dos eleitores votariam nulo ou em branco para presidente

Pesquisa mostra que mais de um quarto dos eleitores votariam nulo ou em branco para presidente

Foi divulgada na sexta-feira (13) uma nova pesquisa com a intenção de voto dos pré-candidatos à Presidência da República. A pesquisa, encomendada pela XP Investimentos, foi realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas, o Ipespe, entre os dias 9 e 11 de julho. Em três dos quatro cenários pesquisados, o percentual de votos nulos ou brancos é superior ao de qualquer pré-candidato.

Na opinião do cientista político Christian Lohbauer, isso prova que as eleições deste ano permanecem indefinidas.

“Qualquer pessoa que der alguma indicação de que sabe o que vai acontecer, não sabe. É falso. Essa eleição está totalmente aberta, vale a vitória para qualquer um dos candidatos que teria alguma chance”.

Continue lendo



População sente mais medo do desemprego, aponta CNI

Desde 1996, o brasileiro poucas vezes esteve tão preocupado com o desemprego como agora. Em pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o índice mostra aumento de 4,2 pontos acima do registrado em março, chegando a 67,9 pontos em junho.

O indicador pode variar de 0 a 100 pontos e quanto maior o número, maior o medo do desemprego. Esse valor registrado é o maior da série histórica, empatando com os valores registrados de 1999 e em junho de 2016.

O gerente-executivo de pesquisas da CNI, Renato da Fonseca, explica o porquê do medo da sociedade.

Continue lendo



Pesquisa Datafolha: Lula lidera com 30%; sem Lula, Bolsonaro é o primeiro com 19%

O ex-presidente Lula (PT), condenado e preso por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, continua liderando as pesquisas para presidência da República.

Se ele fosse candidato e as eleições fossem hoje, o petista teria 30% de votos, segundo a mais nova pesquisa Datafolha, divulgada neste domingo (10).

O G1 apresentou todos os cenários pesquisas, de primeiro e segundo turno.

Continue lendo



Pesquisa diz que 95% dos internautas navegam na web enquanto veem TV

Assistir à TV e navegar na internet ao mesmo tempo tornou-se um hábito de praticamente todas as pessoas com acesso à web. Segundo pesquisa do Instituto Ibope Conecta, divulgada hoje (15), 95% dos brasileiros na rede mundial de computadores têm essa prática como parte do cotidiano. Em 2015, quando houve levantamento semelhante, o índice era de 88%.

Esse hábito se dá principalmente pelo celular. Dos entrevistados, 81% afirmaram usar um dispositivo móvel quando navegam e ficam ligados na TV. Na edição anterior do estudo, o índice era de 65%. Já o computador de mesa perdeu espaço. O percentual de pessoas que dividem a atenção entre esse equipamento e a televisão caiu de 28% para 16% na comparação entre as duas pesquisas.

Mas o que fazem as pessoas enquanto assistem TV? Segundo o levantamento, a maioria acessa redes sociais (53%), como Facebook, WhatsApp e Instagram. Uma parcela menor (44%) aproveita para navegar passando o tempo durante os comerciais. Além destes, 34% disseram usar o tempo para resolver outras coisas e 9% relataram usar a web para interagir com a transmissão.

A pesquisa foi realizada em abril e entrevistou 2 mil brasileiros que acessam a internet. A amostra abrangeu pessoas das classes A, B, C e D de todas as regiões do Brasil.



Fátima Bezerra lidera corrida ao Governo do RN com 25,6%, segundo pesquisa Fiern/Certus

Cenário para o Governo do RN

Do Jornal De Fato – Se as eleições fossem hoje, o senadora Fátima Bezerra (PT) e o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) passariam para o segundo turno da disputa pelo Governo do Rio Grande do Norte. São os dois primeiros, segundo pesquisa Fiern/Consult.

No quesito estimulado, Fátima lidera com 25,60%, seguida de Carlos Eduardo com 14,54%. A diferença de um para o outro é de 11,06%.

Essa diferença vai para apenas 1,56% no quesito espontâneo, com Fátima aparecendo com 5,89% contra 4,33% de Carlos Eduardo.

Veja os cenários:

ESTIMULADO

Fátima Bezerra (PT) – 25,60%

Carlos Eduardo Alves (PDT) – 14,54%

Geraldo Melo (PSDB) – 7,66%

Outros candidatos – 11,84%

Nenhum – 31,49%

Não sabe – 8,87%

ESPONTÂNEO

Fátima Bezerra – 5,89%

Carlos Eduardo Alves – 4,33%

Não sabe – 61,56%

Nenhum – 22,34%

SEGUNDO TURNO

Para o 2º turno, na pesquisa estimulada contou com 18 cenários. Se as eleições fossem hoje, nas simulações de 2º turno, Fátima Bezerra seria eleita em todos os cenários.

Carlos Eduardo ganharia de todos os candidatos, com exceção de Fátima. E o governador Robinson Farias (PSD) não seria eleito em nenhum dos cenários.

VOTO CASADO:  GovernadorXPresidente

Quando questionado o voto casado de Governador e Presidente, entre os eleitores de Fátima Bezerra 18,39% votam em Fátima e candidato do PT, 16,14% Fátima e Ciro e 10,76% Fátima e Marina Silva.

Entre os que dizem votar em Carlos Eduardo, o voto casado fica 11,27% Carlos e Marina Silva, de 8,45% Carlos com Ciro Gomes e 8,45% também no voto casado em Carlos e Candidato do PT.

A pesquisa foi elaborada no período de 27 a 30 de abril, com 1410 entrevistados, em 7 regiões, 40 municípios e com margem de erro de 3% para mais ou para menos.

O perfil do entrevistado foi de 46,24% homens e 53,76% mulheres.

A pesquisa está registrada na justiça eleitoral sob os números RN-01096/2018 e BR-08786/2018.

VEJA MAIS

Mesmo preso, Lula tem a preferência do eleitor potiguar

Governador Robinson Faria é o mais rejeitado



Datafolha: Lula aparece na frente, seguido por Bolsonaro e Marina Silva

O Instituto Datafolha divulgou neste domingo (15) uma pesquisa sobre as eleições presidenciais deste ano comparando diferentes cenários e analisando a chance de os candidatos chegarem ao segundo turno. Pelos dados, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera com 31% das intenções de voto, seguido pelo deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), com 15% e pela ex-ministra Marina Silva (Rede) com 10%.

Continue lendo



CNI divulga hoje pesquisa do Ibope sobre as eleições de 2018

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgará nesta terça-feira (13) a pesquisa inédita Retratos da Sociedade Brasileira – Perspectivas para as eleições de 2018, feita em parceria com o Ibope com 2 mil pessoas em 127 municípios. A pesquisa aponta o que o brasileiro defende que seja o foco do próximo presidente da República, as características pessoais e profissionais que buscam nos candidatos, quais partidos políticos têm mais simpatia dos eleitores, entre outras informações. O resultado da pesquisa tem recortes por região do país.

Continue lendo



Fátima Bezerra lidera pesquisa pro Governo e 31% diz não votar em nenhum dos nomes

Tribuna do Norte – Pesquisa eleitoral do Instituto Consult feita em parceria com a rádio 98 FM para governador do Estado, aponta que, na sondagem estimulada, a deputada federal Fátima Bezerra (PT) está em primeiro com teria 27,12% da preferência dos eleitores do Rio Grande do Norte. Em seguida, fica o prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), com 13,29%. Em terceiro, aparece o ex-governador e ex-senador Geraldo Melo (sem partido), com 7,29% das intenções de votos.

Continue lendo



Segundo pesquisa do AgoraSei, 81% dos seridoenses se declaram católicos

Pesquisa foi feita no mês de fevereiro de 2018

Pesquisa realizada pelo Instituto Agorasei, em fevereiro deste ano, aponta que o Seridó antigo do Rio Grande do Norte é uma das regiões do Estado com maior fidelidade à Igreja Católica. Segundo dados do trabalho, 81% dos seridoenses entrevistados se declararam fiéis ao catolicismo.

A título de comparação, o Censo 2010 do IBGE mostrou que no Brasil o número de católicos no País correspondia a 64,6% naquele ano. Dados mais recentes, de uma pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha, revela que em 2017 o percentual seria de apenas 52%.

Ainda de acordo com a pesquisa Agorasei, 11,4% dos entrevistados disseram ser evangélicos; 1,2% de outras religiões; 5,8% declararam não seguir nenhuma religião e apenas 0,3% afirmaram ser ateus. Aqueles que preferiram não responder à pergunta somaram 0,3%.

A pesquisa ouviu 1.200 pessoas, com idade igual e superior aos 16 anos, nas 24 cidades do Seridó antigo. Acari, Bodó, Caicó, Carnaúba dos Dantas, Cerro-Corá, Cruzeta, Currais Novos, Equador, Florânia, Ipueira, Jardim de Piranhas, Jardim do Seridó, Jucurutu, Lagoa Nova, Ouro Branco, Parelhas, Santana do Seridó, São Fernando, São João do Sabugi, São José do Seridó, São Vicente, Serra Negra do Norte, Tenente Laurentino Cruz e Timbaúba dos Batistas foram os municípios pesquisados.

O trabalho foi realizado entre os dias 18 e 23 de fevereiro deste ano e ouviu 1.200 entrevistados, nas zonas urbana e rural dos 24 municípios pesquisados. O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de 2.8 pontos percentuais, para mais ou para menos sobre os resultados totais da amostra.

*Fonte: Blog do Marcos Dantas



Pesquisa revela que brasileiro não tem hábito de poupar e fazer planejamento financeiro

Poupar não é hábito dos brasileiros

Colocar os gastos na ponta do lápis tem se mostrado um desafio e tanto quando o objetivo é economizar. Prova disso é que 56% dos brasileiros assumiram não fazer orçamento doméstico ou familiar e 69% afirmaram não ter poupado nenhuma parte da renda recebida nos últimos 12 meses, conforme aponta levantamento do Banco Central.

Os dados revelam que 72% dos entrevistados pensam se poderão pagar uma compra, mas na prática o comportamento muitas vezes é contraditório. Dos 31% que disseram poupar parte da renda, mais da metade guardou menos do que 10% do dinheiro recebido nos últimos 12 meses.

Na opinião do educador financeiro Reinaldo Domingos, os números demonstram uma tendência nacional: poucos têm o hábito de poupar e os que poupam guardam apenas uma pequena parte da renda. Para o especialista, esse comportamento afeta todas as faixas etárias, principalmente pessoas com menor renda, o que resulta na baixa capacidade de arcar com despesas imprevistas. “O primeiro passo para se economizar, para se ter uma realidade de um sonho sendo realizado é você estabelecer um percentual até mesmo dentro da sua realidade. Tem pessoas que (aplicam) 10%, 5%, 7%, 15%, 20%, é importante fazer a lição de casa, saber para onde está indo cada centavo do nosso dinheiro. Para isso, eu recomendo fazer um diagnóstico financeiro, saber extamente o que estou gastando no item padaria, no item balada, ou seja, até no cafezinho e na gorjeta que você dá”.

O especialista em finanças domésticas Carlos Sampaio ressalta que a falta de informação e planejamento ainda prejudicam os brasileiros na hora de realizar objetivos pessoais.



Pesquisa revela erros no nome de batismo e data de nascimento de padre Cícero

Do G1/CE – O Padre Cícero, considerado santo popular no interior do Ceará, não nasceu em 24 de março de 1844. E nome de batismo dele nem é precisamente Cícero Romão Batista, como se acredita. As revelações foram feitas pelos pesquisadores Daniel Walker e Renato Casimiro, a partir de documentos digitalizados do santo popular.

O documento está registrado no livro de batismo da paróquia de Nossa Senhora da Penha, no Crato, na região Cariri cearense. Conforme Walker, já havia suspeitas sobre a verdadeira data de nascimento, que agora foi “comprovada” com um documento oficial.

Ainda segundo os pesquisadores, o documento original não permite um estudo claro do texto. A partir da digitalização, Walker e Casimiro realizaram um estudo aprofundado da caligrafia e descobriram as falhas.

O padre nasceu na verdade um dia antes, em 23 de março, e dois de seus sobrenomes tiveram a ordem invertida por opção própria do pároco, sendo o real nome de batismo Cícero Batista Romão, e não Cícero Romão Batista.

A próxima etapa do estudo da dupla é investigar por que Cícero utilizou, ao longo de toda a vida, a data de aniversário diferente do dia registrado em sua certidão. “Isso ainda é um mistério”, diz Daniel Walker.

Leia a notícia completa aqui



Pesquisa aponta que Nordeste tem maior taxa de analfabetismo do país

Pesquisa aponta que Nordeste tem maior taxa de analfabetismo do país

Mais da metade da população brasileira de 25 anos ou mais tinham concluído apenas o ensino fundamental em 2016. O dado foi divulgado nesta quinta-feira (21) pela Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio, a PNAD contínua, feita pelo IBGE. Ao todo, mais de 66 milhões de brasileiros nesta faixa etária tinham apenas o ensino fundamental completo, enquanto menos de 20 milhões (15%) tinham o ensino superior completo.

A taxa de analfabetismo em 2016 ficou em torno de 7,2%, o que representa cerca de 11,8 milhões de pessoas. Entre as regiões mais afetadas pela falta de alfabetização está o Nordeste, com mais de 14,8% da população, longe dos 3,6% da região Sul. O Nordeste registra ainda cerca de 52,6% da população de 25 anos ou mais sem o ensino fundamental completo.

Continue lendo



Pesquisa feita em Natal aponta Carlos Eduardo na frente da corrida pelo Governo do Estado

Da Tribuna do Norte – A um ano das eleições para governador (o primeiro turno será no dia 07 de outubro de 2018), a maioria dos natalenses (52,80%) ainda não se definiu por um candidato e diz que não votará em ninguém. Mas, dos quatro nomes mais citados na mídia ou que, segundo o presidente do Certus, Mardone França, “de alguma forma já manifestaram interesse” na disputa pelo governo, a liderança entre os eleitores com votos já definidos é do prefeito de Natal, Carlos Eduardo (PDT), com 22,77%; seguido pela senadora Fátima Bezerra (PT), com 17,66%; pelo governador Robinson Faria (PSD), com 3,14%, e o desembargador Cláudio Santos (sem partido), com 2,97%.

Os dados são do Instituto Certus, pesquisa e consultoria, em pesquisa realizada somente em Natal, nos últimos dias 07 e 08 deste mês, para a Rádio 98FM. Foram aplicadas 606 entrevistas domiciliares, com eleitores maiores de 16 anos, de vários estratos socioeconômicos e nas quatro zonas geográficas da capital. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos.

A opção por nenhum é a manifestação da insatisfação do eleitor com relação ao quadro de desgaste dos políticos, diante da crise ética, moral e econômica que vive o pais”, avalia Mardone França. Outra hipótese, levantada por ele, é de quem o eleitor espera por “novos nomes, que possam suscitar confiança”. Os percentuais de quem afirma que não votará em ninguém ou que ainda não sabe que candidato eleger são ainda maiores na pesquisa espontânea, quando nenhum nome é apresentado para a escolha do entrevistado. Neste caso, 40,26% afirma que não votará em “nenhum” e 53,30% que “não sabe” em quem votar. Entretanto, o prefeito de Natal mantém a liderança, com 2,64% das citações, seguido pela senadora Fátima Bezerra (1,49%) e pelo governador Robinson Faria (1,32%).

Indagados quanto à rejeição aos nomes que aparecem como prováveis candidatos, a maioria dos entrevistados se dividiu entre os que “rejeitam todos” (29,54%) e os que “rejeitam Robinson Faria” (29,04%). O segundo percentual de rejeição individual é da senadora Fátima Bezerra (12,87%), seguida pelo prefeito Carlos Eduardo (4,95%) e pelo desembargador Cláudio Santos (4,79%). Entre os entrevistados, 11,88% disseram “não rejeitar nenhum” dos nomes citados.

Leia a matéria completa aqui



Pesquisa mostra que 26% dos pediatras sofrem atos de violência no trabalho

Dois nem cada 10 pediatras afirma sofrer algum tipo de violência

Dois em cada dez pediatras no Brasil têm sido submetidos frequentemente a atos de violência em seu ambiente de trabalho. O dado está presente em uma pesquisa elaborada pelo Instituto Datafolha, sob encomenda da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), que captou, em janeiro, a percepção de 1.211 pediatras de todos os estados. O resultado foi apresentado hoje (11), no 38º Congresso Brasileiro de Pediatria, em Fortaleza.

Em estruturas da rede pública de saúde, a incidência de tais casos aproxima-se de  30%, atingindo 26% do universo de médicos dessa especialidade. Em hospitais e consultórios privados, o indicador é de 12%. Outra revelação do levantamento é que 53% dos profissionais dividem o tempo entre expedientes das duas esferas.

Para a presidente da SBP, Luciana Rodrigues Silva, a lastimável situação é uma realidade que não fica restrita somente aos pediatras brasileiros, constituindo-se na vida da maioria dos médicos. Para que esse quadro seja desenredado, ela diz que os órgãos representativos da categoria precisam se mobilizar.

Enquanto 17% dos pediatras consultados declaram enfrentar agressões, 24% das profissionais mulheres sofrem com isso. Quando consideradas ocorrências dos últimos 12 meses anteriores à entrevista, a percentagem de mulheres atacadas sobe para 26%. Além disso, o nível de estresse ocasionado pelas condições de trabalho é o maior registrado entre as médicas nos últimos cinco anos: 66%.