Três suspeitos de assalto no Paraguai morrem em confronto com a polícia

Carro usado por bandidos foi localizado e três morreram em confronto com a Polícia

Agência Brasil – Três assaltantes que participaram do mega-assalto à sede da empresa de transportes de valores Prosegur, em Ciudad del Este, no Paraguai, morreram hoje (24) após troca de tiros com agentes das polícias Federal (PF) e Rodoviária Federal (PRF). Segundo a PRF, três veículos usados pela quadrilha, que roubou cerca de US$ 40 milhões na madrugada desta segunda-feira, foram localizados. Ainda não há informações sobre a recuperação de valores.

De acordo com a PRF, no início da tarde de hoje, houve uma perseguição a uma caminhonete em que estavam entre oito e dez envolvidos no assalto. Em um trecho da BR-277, no Paraná, os bandidos pararam e iniciaram o confronto. Dois morreram no local, um ficou ferido, foi socorrido, mas não resistiu e morreu no hospital. Os demais conseguiram fugir.

Na caminhonete havia um fuzil calibre 762, com 16 munições. Em um dos três veículos abandonados pela quadrilha e localizados por agentes da PRF, havia sete quilos de explosivos.

O presidente Michel Temer colocou a PF à disposição das autoridades paraguais para a investigação do crime.

Mega-assalto

Na madrugada de hoje, um grupo de aproximadamente 50 pessoas assaltou a sede da Prosegur em Ciudad del Este, na Tríplice Fronteira. Eles conseguiram roubar cerca de US$ 40 milhões (o equivalente a R$ 125 milhões).

O dinheiro estava em um cofre que foi aberto com uso de explosivos e fuzis antiaéreos. O jornal paraguaio La Nación informou que o assalto foi liderado por membros da facção criminosa brasileira Primeiro Comando da Capital (PCC), que também atacaram a sede da polícia e do governo. Um policial identificado morreu no enfrentamento com os assaltantes.

PF prende estudante com 5,6 quilos de ecstasy no aeroporto de Natal

PF apreende droga em aeroporto do RN – (Foto: Comunicação Social/PF/RN)

A Polícia Federal prendeu na madrugada deste domingo (23/4) no aeroporto internacional Governador Aluízio Alves em São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal, um estudante paranaense, 28 anos, acusado de tráfico de drogas. Ele reside em Curitiba/PR e desembarcou de um voo vindo de Portugal trazendo na bagagem 5,6 quilos de ecstasy.

A prisão aconteceu logo após os policiais serem avisados pela Receita Federal de que ao ser submetida à inspeção de raios X, havia sido detectada uma bagagem de conteúdo suspeito. De imediato, o estudante foi identificado como sendo o proprietário da mala, a qual, após ser vistoriada, continha em um fundo falso, envoltos em fitas plásticas, três tabletes contendo um pó branco com característica de substância entorpecente.

O homem recebeu voz de prisão e em seguida foi conduzido para autuação na sede da Polícia Federal no bairro de Lagoa Nova, onde a substância encontrada passou por perícia e deu resultado preliminar positivo para MDMA.

Quando do seu interrogatório, porém, o suspeito invocou o direito constitucional de permanecer em silêncio e negou-se a responder a todas as perguntas que lhe foram formuladas.

Além da droga, foram apreendidos ainda com o acusado: Celulares, passaporte e um bilhete de passagem em seu nome com origem em Bruxelas, Bélgica, onde os policiais acreditam que o ecstasy tenha sido adquirido.

Indiciado na lei de tráfico internacional de drogas, o preso foi submetido a exame de corpo de delito e encontra-se custodiado na Superintendência da PF, à disposição da Justiça.

Esta foi a 2ª. apreensão de droga sintética realizada pela PF este ano no aeroporto Aluízio Alves. O total de ecstasy apreendido no período já ultrapassa a marca dos 19 quilos.

Agentes da Polícia Federal realizam Ato Público e decretam estado de greve

Agentes da Polícia Federal realizam Ato Público e decretam estado de greve

Na manhã desta quarta-feira (05), o Sinpef-RN realizou uma Assembleia (ato público) em frente a Superintendência da Polícia Federal, em Natal. Durante o ato, o Sinpef-RN aprovou por unanimidade a decretação do Estado de Greve, em protesto contra a PEC 287, que acaba com a Aposentadoria Policial e com o direito de todos os brasileiros se aposentarem.

Ressalte-se que estranhamente, na mesma data, o STF proíbe greve de policiais em todo o Brasil. Mesmo assim, manteremos nossa determinação em lutar contra a PEC287, utilizando outros meios legais“, observou o presidente do Sinpef-RN, José Antônio Aquino.

PF cumpre mandados de busca e apreensão na Assembleia de Alagoas

A Operação Sururugate investiga indícios de que beneficiários do programa Bolsa Família constavam da folha de pagamento da Assembleia – (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

ABr – A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã de hoje (30), uma operação para apurar fraudes na folha de pagamentos da Assembleia Legislativa de Alagoas. Realizada em parceria com o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU), a chamada Operação Sururugate também investiga indícios de que beneficiários do programa Bolsa Família constavam da folha de pagamento da assembleia.

Segundo a CGU, durante as investigações iniciais foram identificadas falhas de controle na folha de pagamentos do órgão legislativo. Entre as irregularidades estão a subdeclaração de informações da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS); acumulação ilegal de cargos e empregos públicos e benefícios sociais, previdenciários e da reforma agrária em desacordo com a lei; e pagamentos a servidores após registro de óbito no Sistema de Controle de Óbitos (SISOB).

As investigações apontaram que, somente entre 2010 e 2013, a Assembleia pagou cerca de R$ 15 milhões a indivíduos cadastrados em programas sociais do governo federal.

A operação conta com a participação de cerca de 80 auditores da CGU e policiais federais que cumpriram mandados de busca e apreensão na Diretoria Financeira e de Recursos Humanos. Os envolvidos no esquema podem responder pelos crimes de participação em organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro.

Ministério da Agricultura emite nota sobre a operação “Carne Fraca”

O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento emitiu uma nota neste sábado sobre os acontecimentos que vieram à tona com a operação “Carna Fraca” da Polícia Federal deflagrada nesta sexta-feira (17).

Brasília (18/03/2017)

1.       O Serviço de Inspeção Federal é considerado um dos mais eficientes e rigorosos do mundo. Tem um quadro de 2.300 servidores e inspeciona 4.837 unidades produtoras habilitadas para exportação para 160 países. Foi com este Serviço que construímos uma reputação de excelência na agropecuária e conseguimos atender às exigências rigorosas de diferentes nações.

2.       Alguns fatos pontuais começaram a ser investigados após denúncia de um servidor da área de fiscalização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Ao todo, 33 fiscais federais estão sob investigação e três plantas foram interditadas, enquanto outras 21 estão sob fiscalização especial.

3.       O governo brasileiro, através dos seus serviços de fiscalização, da Polícia Federal e outros órgãos de controle, cumpre seu papel de garantir a qualidade e sanidade, tanto dos produtos alimentícios destinados ao mercado externo quanto ao mercado interno, sejam de origem animal ou vegetal.

4.       A investigação da Polícia Federal e a pronta reação das nossas autoridades do Ministério da Agricultura são a maior prova de que nosso sistema de proteção e fiscalização está alerta e funcionando plenamente, e servem como garantia ao consumidor da qualidade dos produtos de origem agropecuária de nosso país.

 

PF prende homens com 3 quilos de cocaína no aeroporto de Natal

PF apreendeu drogas com três homens em Natal

A Polícia Federal prendeu na tarde desta quinta-feira (16/3) no aeroporto internacional Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, região metropolitana de Natal, um vendedor, amazonense, 20 anos e um comerciante, colombiano, 37 anos, acusados de tráfico de drogas. Eles chegavam em um voo de Manaus/AM que fez conexão em Brasília/DF e traziam na bagagem, três quilos de cocaína que seriam levados para a Europa.

A ação ocorreu quando os policiais federais fiscalizavam passageiros no setor de embarque doméstico e suspeitaram de um homem com sotaque estrangeiro que se fazia acompanhar de um brasileiro. Ao serem formalmente entrevistados, eles se mostraram apreensivos e, sobre o motivo da viagem disseram ser apenas “turistas”, porém, negaram estar viajando juntos. Desconfiados, os policiais os conduziram até a sala da PF, onde foram revistados e suas bagagens passaram por uma rigorosa inspeção. Pouco tempo depois, uma das malas, mesmo após ser esvaziada, apresentou um peso excessivo e, ao ser perfurada com o auxílio de uma chave de fenda, notou-se a presença de um pó branco, o qual foi submetido ao exame do narco-teste e deu resultado positivo para cocaína.

De imediato, os suspeitos receberam voz de prisão e foram conduzidos para autuação em flagrante na Superintendência da PF, no bairro de Lagoa Nova, onde a mala foi inteiramente desmontada. A cocaína estava escondida em um fundo falso, prensada entre lâminas de acrílico, enquanto uma outra quantidade da droga foi achada em sacos plásticos e camuflada em meio a lenços umedecidos.

Também foram apreendidos em poder dos acusados: Celulares,uma pequena quantidade de pedras preciosas (esmeraldas),600 reais, 4 mil euros e 42 mil pesos colombianos.

Indiciados no crime de tráfico interestadual de drogas, os suspeitos foram submetidos a exame de corpo de delito no ITEP e permanecem, à disposição da Justiça, custodiados na sede da PF.

Esta foi a segunda apreensão de drogas realizada pela Polícia Federal em 2017 no aeroporto Aluízio Alves. Na primeira, ocorrida no mês de janeiro, um catarinense foi preso quando desembarcou de um voo, vindo da Europa,trazendo na bagagem 57 mil comprimidos de ecstasy.

PF desarticula quadrilhas especializadas em fraudes bancárias

Polícia Federal deflagra Operação no RN e na Paraíba

A Polícia Federal no Rio Grande do Norte, em conjunto com a Polícia Federal na Paraíba, deflagrou na manhã de hoje, 16/3, a Operação Quimera V, visando desarticular organizações criminosas especializadas em fraudes bancárias que se utilizavam de documentos falsificados para obter empréstimos consignados e sacar precatórios judiciais.

No RN, cerca de 30 policiais federais estão cumprindo 10 mandados judiciais, sendo 5 de busca e apreensão e 5 de prisão preventiva nas cidades de Natal, Parnamirim, Nova Cruz, Tibau do Sul e Lagoa D’Anta.

Há cerca de dois anos, quando as investigações tiveram início, foi estabelecido um trabalho conjunto entre a PF/RN e a PF/PB e, desde então, os suspeitos envolvidos em fraudes bancárias que atuavam simultaneamente nesses dois estados passaram a ser acompanhados.

Com a sequência e o aprofundamento das investigações, ficou comprovado que várias quadrilhas também praticavam os mesmos delitos em Goiás e Pernambuco, enquanto que outras ramificações desses grupos criminosos ainda estão sendo mapeadas pela PF em diferentes estados da Federação.

Será concedida entrevista coletiva às 10h na Superintendência da Polícia Federal, situada na Rua Dr. Lauro Pinto, 155 – Lagoa Nova – Natal/RN.