Prefeito Batata disse que empresa Prátika ainda lhe deve R$ 20 mil

O prefeito Robson Araújo (Batata), disse ao Blog Sidney Silva que o dinheiro citado pelo MPF que ele teria recebido, realmente foi para ele, mas, para o pagamento dos serviços de locução prestados para a campanha de Henrique.

Foram 20 mil reais pagos pelo trabalho de locução da campanha. “Eu era o locutor da campanha e recebi 20 mil, mas, ainda estão me devendo 20 mil. Eu estou processando a empresa Prátika porque não me pagou o restante do dinheiro até hoje“, disse.



Lobão disse que dinheiro da Prátika foi usado para a locação de carros de som

O vereador disse ao Blog Sidney Silva no final da manhã desta quarta-feira (21), que o dono da Prátika Locação de Equipamentos LTDA., Fred Queiroz, esteve em Caicó em 2014 e ofereceu os valores citados pelo MPF na denúncia contra Henrique Alves, para a locação de carros de som.

Segundo ele, os carros foram locados e a prestação de contas foi feita. “Eu não tenho porque mentir. Não recebi propina. Os carros foram alugados e rodaram na reta final da campanha“, disse.