MPRN denunciou outros réus

Além de Maria Ivoneide, também foram denunciados pelo MPRN o também ex-prefeito de Maxaranguape Amaro Alves Saturnino, o empresário e contador Júlio César da Silva e o pregoeiro Everton Xavier de Oliveira. Segundo as investigações, eles têm envolvimento com as fraudes registradas na cidade.

Amaro Saturnino foi denunciado por peculato, corrupção passiva e associação criminosa. Júlio César responde por fraude em licitação pública, peculato, corrupção ativa e associação criminosa. E Everton Xavier foi denunciado por fraude em licitação pública.

A Justiça bloqueou os bens de Maria Ivoneide, Amaro Saturnino e Júlio César da Silva até o limite de R$ 2.671.663,61, valor supostamente desviado nas fraudes apuradas pelo MPRN.



Caicó: Justiça condena acusados de matar empresário Seví

A justiça condenou os responsáveis pela morte do empresário, Severiano Firmino de Araújo Filho, conhecido como “SEVÍ”. Ele foi assassinado por volta das 19 horas do dia 12 de dezembro de 2016, no interior de sua casa, na Rua Augusto Monteiro, nº. 1.055, Centro, em Caicó/RN.

Várias pessoas apareceram no processo como suspeitos de participação no latrocínio em destaque e três foram condenados.

Kaio Denis da Silva, autor material do crime, ou seja, a pessoa que atirou em Seví. Ele foi condenado a pena de 26 anos e 04 meses de reclusão; 10 (dez) meses e 20 (vinte) dias de detenção e 413 dias-multa.

Petrúcio Railande dos Santos, o “Guiguiu”, autor intelectual, ou seja, a pessoa que planejou o crime, foi condenado a pena de 32 anos, 01 mês e 25 dias de reclusão e 351 dias-multa.

Jardel Ivan dos Santos, o “Del”, que emprestou a moto para ser usada no crime, foi condenado a pena de 17 anos e 06 meses de reclusão e 08 dias-multa.

O outro participando do crime, foi um adolescente que teve uma medida sócio-educativa de internação por tempo indeterminado aplicada. Ele estava no Ceduc de Caicó, mas, participou de motim aonde danificou o patrimônio público. De lá, foi levado para a Delegacia e autuado, depois para o Presídio local e depois para Caraúbas.

Continue lendo



Lula volta a ser interrogado nesta quarta (14) sobre sítio de Atibaia

Os réus que estão sendo processados

O ex-presidente Lula volta a ser interrogado nesta quarta-feira (14), a partir das duas horas da tarde, no prédio da Justiça Federal em Curitiba. Dessa vez, o petista vai depor como réu no processo da Operação Lava Jato sobre o sítio de Atibaia, no interior de São Paulo. Substituta de Sergio Moro, a juíza federal Gabriela Hardt é quem conduzirá o depoimento.

O Ministério Público Federal (MPF) acusa Lula pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Segundo as investigações, o ex-presidente teria se beneficiado pelo fato de empresas privadas reformarem sua propriedade em troca de benefícios irregulares em contratos com a Petrobras.

Continue lendo



Juiz Luiz Cândido marca data para ouvir réus no processo da morte do Cabo Rangel

Cabo PM Rangel foi assassinado em Abril de 2016 na Zona Norte de Caicó

O juiz, Luiz Cândido de Andrade Villaça, titular da Vara Criminal da Comarca de Caicó, vai presidir no próximo dia 15 de março, às 13hs30min, no Fórum Municipal Amaro Cavalcante, a Audiência Instrução e Julgamento do processo da morte do policial militar, Edinaldo da Costa Rangel, que também era conhecido como “Boboca”. Nesse dia, réus e testemunhas, serão interrogados diante do juiz.

A morte do PM Rangel foi registrada na manhã do dia 19 de abril de 2016, por volta das 08hs, nas proximidades do Bar dos Plays, na Avenida Ruy Mariz, no Bairro Alto da Boa Vista, Zona Norte de Caicó. Um homem, na garupa de uma moto, efetuou disparos que lhe tiraram a vida no momento que conduzia seu carro que também era ocupado por sua esposa Rita de Cássia.

Estão presos, apontados pela Polícia Civil como partícipes do crime, Valdinez Fernandes dos Santos, autor material do crime; a viúva do policial morto, Rita de Cássia Medeiros Alves Rangel, (apontada como mandante); Thiago Medeiros Conforte (filho de Rita), que conduzia a moto usada para a prática do crime e Pablo Medeiros Conforte (primo/irmão) de Thiago.

O Ministério Público denunciou os suspeitos por homicídio duplamente qualificado – motivo torpe e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima.

A viúva, Rita de Cássia e Valdinez, estão detidos no Presídio de Caicó, enquanto Thiago e Godoi estão em Alcaçuz.