Batata: “de 300 para 70 mil, a diferença é grande. Porque eu tenho que estar preso e Roberto, não?

O Prefeito Batata Araújo, em entrevista à imprensa nesta segunda-feira (18), falou sobre o processo que responde desde a deflagração da Operação Tubérculo, do Ministério Público, em agosto de 2018, que culminou com a sua prisão e afastamento por 180 dias. Em meio as respostas, fez questão de frisar que Roberto Germano, seu antecessor, foi preso e responde a processo por suposto recebimento de propina no valor de 300 mil reais.

Roberto Germano foi preso acusado de receber 300 mil reais de propina. Ele deveria estar preso, segundo o Ministério Público. Durante o processo, nós vamos mostrar o que foi que aconteceu. Ele foi preso acusado de receber 300 mil. Qual a minha acusação, 70 mil? Porque ele não está preso? Porque eu deveria estar?“, pergunta.

Indagado sobre uma das conversas entre Batata e outra pessoa que consta no processo, ele diz que “nós vamos mostrar durante o processo o que foi que aconteceu. Eu posso lhe garantir que não foi pro meu bolso. Isso aí eu posso garantir com toda a certeza. Até porque, no final da conversa, ela diz mais ou menos assim: vai ter carnaval, não se preocupe“.

Novamente, Batata Araújo mencionando Roberto Germano: “É bom que se diga: de 300 para 70 mil, a diferença é grande. Porque eu tenho que estar preso e Roberto, não?

Ele ainda chegou a dizer que sua prisão foi desnecessária e que se fosse apenas afastado do cargo, já seria o suficiente. “Eu, na minha opinião, acho que minha prisão, não era necessária. O afastamento, já seria o suficiente. O prefeito de Patos foi afastado. Lá, a denúncia é de milhões“, finalizou.



Batata e Roberto Germano são investigados por suposta irregularidade na aplicação de recursos da Cosip

Roberto Germano e Batata são investigados em inquérito do MP

O Ministério Público instaurou Inquérito Civil Público para investigar possível aplicação irregular dos recursos da COSIP, entre os anos de 2013 e 2018, no âmbito da Prefeitura de Caicó.

A promotora Uliana Lemos de Paiva instaurou a peça depois que recebeu da Câmara de Vereadores, cópias do relatório da Comissão Especial de Investigação – CEI, noticiando irregularidades na aplicação dos recursos da referida contribuição social paga pela população. Os fatos são atribuídos ao ex-prefeito Roberto de Medeiros Germano e ao prefeito afastado, Robson de Araújo (Batata).

O Ministério Público determina o prazo de 10 dias úteis para que os dois citados prestem os esclarecimentos acerca do relatório conclusivo elaborado pela Comissão da Câmara Municipal, instaurada para “apurar e investigar a responsabilidade de todas as gestões públicas municipais desde a criação da COSIP, uma vez que a operação BLACKOUT do Ministério Público Estadual investiga o suposto desvio de verbas decorrentes da arrecadação do referido imposto”.

A promotora ainda mandou juntar a este inquérito, os procedimentos que foram base para deflagração da operação BLACKOUT, e ainda cópia do Relatório da CEI e da mídia contendo os depoimentos prestados à comissão especial, por haver relação entre os temas.



Caicó: CEI da Cosip indiciou Roberto Germano, Bibi Costa e Batata

A Comissão Especial de Investigação instalada na Câmara de Vereadores de Caicó, para apurar supostos desvios dos recursos da Contribuição de Iluminação Pública, concluiu pelo indiciamento dos ex-prefeito Roberto Germano, Bibi Costa e o atual gestor, Robson Araújo (Batata).

O relatório conclusivo da investigação foi divulgado na manhã desta segunda-feira (19), pelos vereadores, Rangel Araújo (PDT) e Alisson Jackson (PROS).

De acordo com o relatório, os indiciados incorreram em erros e praticaram atos de improbidade administrativa. Com isso, tendo em vista a aplicação irregular dos recursos da COSIP, ficou estampado e caracterizado o favorecimento ilegal, dos permissionários no município de Caicó/RN.

O atual gestor desrespeitou a Lei 201 de 1967, com infração político-administrativo sujeita ao julgamento pela Câmara de Vereadores, tendo em vista que, respectivamente, praticou ato de sua competência ou omitiu-se na sua prática, e omitiu-se ou negligenciou-se na defesa de bens, rendas, direitos ou interesses do Município, sujeitos à administração da Prefeitura.



CEI da Cosip vai ouvir Roberto Germano e dois ex-secretários de infraestrutura

Presidente da CEI da Cosip, vereador Rangel, confirmou ouvida de Roberto Germano e dois ex-secretários

Depois de ouvir pessoas que participaram da gestão do prefeito Robson Araújo, “Batata”, a Comissão Especial de Investigação-CEI dos recursos da Cosip, instalada na Câmara de Vereadores de Caicó, fará uma nova convocação para depoimentos. Programada para próxima quarta-feira (29), serão ouvidos, o ex-prefeito Roberto Germano, dois ex-secretários: Teixeira e Jorge Araújo, além de eletricistas que fizeram parte da gestão.

De acordo com o presidente da CEI, José Rangel, a Cosern também foi convocada para dar esclarecimentos à Casa Legislativa e aguarda a disponibilização dos documentos junto ao Ministério Público, já que alguns pontos da investigação são determinantes para a conclusão da apuração dos fatos. “Nós precisamos ouvir a Cosern e acima de tudo das licitações e notas fiscais que estão em posse do MP, para confrontarmos os dados colhidos pela CEI“, apontou.

Encerrada esta fase, o próximo passo será a apuração dos dados dos anos da gestão do ex-prefeito Bibi Costa, que poderá ser concluída até o dia 10 de dezembro, podendo ainda haver convocações de oitivas, se necessário for, e assim, concluir todo o processo de apuração.

A CEI irá se prolongar por mais trinta dias, tendo até o dia 23 de dezembro, para ser concluída e apresentada a população caicoense.



Blackout: Advogados Jr. Germano e Sérgio Magalhães passam a fazer defesa de Roberto Germano

O ex-prefeito Roberto Germano, que foi alvo da operação Blackout deflagrada na semana passada em pelo Ministério Público em Caicó, constituiu os advogados Jr. Germano e Sérgio Magalhães para atuar em sua defesa.

Em contato com o Blog Sidney Silva, Jr. Germano, disse que ainda não irão se pronunciar, pois estão analisando a peça acusatória do Ministério Público e devem montar a estratégia de defesa.

O ex-prefeito, Roberto, além do ex-secretário Jorge Araújo, Abdon Maynard, que era o atual secretário de infraestrutura, Ruth Ferreira, além de representantes da empresa Enertec, são acusados de diversos crimes como corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, fraude em licitação entre outros crimes.



MP descortinou cartel, pressões e pagamentos de propinas na Prefeitura de Caicó

As investigações do Ministério Público que culminaram com a operação Blackout nesta sexta-feira (04) em Caicó com a prisão de diversas pessoas envolvidas em esquema de pagamento de propinas em licitações públicas tem prosseguimento com a análise do material que foi apreendido nos locais/alvo da ação.

Na denúncia feita pelo Ministério Público para embasar os pedidos de prisão e de busca e apreensão, os promotores detalharam como agiam os agentes envolvidos.

Foi encontrado clara participação do que os promotores chamaram que Cartel, formado por empresas para fraudar licitações. Veja:

Os promotores ainda encontraram fortes indícios do pagamento de propina para agentes públicos da cidade de Caicó, tendo alguns deles sido presos na operação Blackout. Veja:

As escutas ainda revelaram que Jorge Araújo fez pressão junto ao Cartel para receber a suposta propina antes combinada. Um dos envolvidos, identificado como Allan fala claramente que Jorge está querendo dinheiro e que não irá pagar a propina. Veja:



Segundo MP, Roberto Germano e Jorge Araújo eram do “núcleo administrativo”

Os elementos levantados na investigação demonstram que a associação criminosa atua de forma serial na prática de crimes como peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e fraude a procedimento licitatório.

Pelo que foi apurado pelo MPRN, há indícios de superfaturamento e pagamento de propina a agentes públicos da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Urbanos de Caicó, em contratos firmados para a prestação de serviços de iluminação pública. O secretário de Infraestrutura e Serviços Urbanos de Caicó, Abdon Augusto Maynard Júnior, cooptado pela associação criminosa antes mesmo de assumir a pasta, foi afastado do cargo por decisão judicial. Também foi afastada do cargo de diretora do departamento de Iluminação Pública de Caicó, Ruth de Araújo Ferreira, nomeada a serviço da associação criminosa para repassar informações privilegiadas.

No caso de Caicó, a associação criminosa contava com o “núcleo empresarial”, composto principalmente pelas empresas Real Energy, Lançar, Enertec e FGTech, que tinha a função de dar uma aparência de competitividade ao pregão realizado para contratação de empesa de iluminação pública, para simular uma concorrência na disputa.

Para a consecução dos objetivos da organização criminosa, o “núcleo empresarial” cooptou o “núcleo administrativo”, composto principalmente pelos seguintes agentes públicos: o ex-prefeito de Caicó, Roberto Germano; o ex-secretário de Infraestrutura, Jorge Araújo; o atual secretário de Infraestrutura, Abdon Augusto Maynard Júnior; e a atual diretora do departamento de Iluminação Pública de Caicó, Ruth de Araújo Ferreira.

A investigação realizada pela 3ª Promotoria de Justiça de Caicó teve início com a instauração de inquérito civil em 11 de maio de 2017, seguida de um procedimento investigatório criminal, que embasou as medidas cautelares cumpridas nesta sexta-feira.



Envolvidos na Operação Blackout são proibidos de frequentarem prédios da administração

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou na manhã desta sexta-feira (4) a operação Blackout, que investiga contrato de iluminação pública da Prefeitura de Caicó, no valor de R$ 1.138.970,00. Ao todo foram cumpridos seis mandados de prisão e 13 de busca e apreensão. Foram presos preventivamente: Abdon Augusto Maynard Júnior, Ruth de Araújo Ferreira, Jorge Araújo e João Paulo Melo Alves da Silva. Além deles, foram expedidos novos mandados de prisão preventiva para Allan Emmanuel Ferreira da Rocha e Felipe Gonçalves de Castro, que já se encontram presos em cumprimento de prisão preventiva decretada na Operação Cidade Luz, deflagrada no dia 24 de julho de 2017, pela Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Natal.

Os mandados foram expedidos pelo juiz da vara Criminal de Caicó. Na decisão, a Justiça determina que o ex-prefeito Roberto de Medeiros Germano, o atual secretário de Infraestrutura, Abdon Augusto Maynard Júnior; e a atual diretora do departamento de Iluminação Pública de Caicó, Ruth de Araújo Ferreira, estão proibidos de acessar qualquer prédio vinculado à Prefeitura de Caicó e a Controladoria-Geral do município. Além disso, foi proibido o contato de Roberto Germano com os demais investigados. O secretário e a diretora também foram afastados dos cargos que ocupam atualmente.

A operação Blackout é um desmembramento da Cidade Luz e conta com a participação de 16 promotores de Justiça, além do apoio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPRN e do MPPE, e das Polícias Militares potiguar e pernambucana.



Casa do ex-prefeito Roberto Germano também foi alvo da Operação Blackout

Casa de Roberto Germano também foi alvo da operação

Os policiais militares que estavam dando apoio ao Ministério Público na Operação Blackout cumpriram mandado de busca e apreensão na residência do ex-prefeito de Caicó, Roberto de Medeiros Germano.

De lá, foram levados malotes com objetos e diversos documentos, como computadores, celulares, entre outros.

A empresa Enertec, alvo da operação Cidade Luz, ocorrida em Natal, no dia 24 de julho passado, também prestou serviços para a administração de Roberto Germano.



Ex-prefeito Roberto Germano se recupera de cirurgia cardíaca na UTI

Roberto Germano se recupera de cirurgia

O ex-prefeito de Caicó, Roberto Germano, se recupera em Natal da cirurgia no coração que passou na tarde desta terça-feira (18). A cirurgia foi para fazer três pontes de safena e uma mamária e teve duração de cerca de 4 horas.

Por volta das 7 horas da manhã, Roberto deu entrada no Hospital do Coração e somente às 11hs30min é que teve início a intervenção cirúrgica. O termino foi por volta das 16hs30min.

Após o término do procedimento, ele foi encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva – UTI, um procedimento de praxe para que a recuperação seja mais rápida.



Ex-prefeito Roberto Germano passa por cirurgia no Hospital do Coração em Natal

Ex-prefeito Roberto Germano passa por cirurgia no coração em
Natal

O ex-prefeito de Caicó, Roberto Germano, está sendo cirurgiado na manhã desta terça-feira (18), no Hospital do Coração em Natal.

A equipe do cardiologista, Marcos Lima, realiza 3 pontes de safena e uma mamária no político caicoense desde às 7hs da manhã.

De acordo com seu primo, o advogado, Jr. Germano, Roberto se consultou em Caicó e o cardiologista dr. Sérgio identificou entupimento de artérias do coração, a necessidade de realização da cirurgia e fez o encaminhamento do mesmo para Natal.