Suspeitos morrem em troca de tiros com a polícia em festa de facção no RN; 30 foram presos

Pelo menos 30 pessoas foram presas na ação – |(Foto: Acson Freitas/Inter TV Cabugi)

Três pessoas morreram, uma ficou ferida e mais de 30 foram presas em uma ação conjunta entre as polícias Civil e Militar realizada nesta segunda-feira (11), na zona rural de São Paulo do Potengi, região agreste potiguar. A operação aconteceu durante uma festa de uma facção criminosa.

A Polícia Civil recebeu uma denúncia de que estaria acontecendo uma festividade convocada pela facção Sindicato do Crime do RN em uma granja na região. Os agentes pediram apoio da Polícia Militar e foram até o local. Quando chegaram por lá, foram recebidos a tiros. Quatro homens teriam se levantado das mesas que estavam no terraço da propriedade e atirado contra os policiais. Foi aí que iniciou o confronto.

Três desses homens morreram e o outro foi socorrido em estado grave para o hospital. Mais de 30 pessoas que estavam na festa foram levadas para a delegacia da cidade.

Na granja, os policiais apreenderam ainda três motocicletas, três carros, quatro armas e porções de crack e cocaína. Segundo a polícia, um dos homens que morreu na troca de tiros é suspeito de chefiar o tráfico de drogas na região Agreste e de ser um dos líderes da facção Sindicado do Crime em São Paulo do Potengi e municípios vizinhos.

*Fonte: G1/RN



EMPARN marca presença na Caprifeira de São Paulo do Potengi

De 21 a 23 de abril, a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN) dará início à participação no Circuito Estadual de Exposições Agropecuárias, coordenado pela Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e da Pesca, em parceria com as prefeituras e associações de criadores. A estreia neste 2017 será na 20ª Exposição Agropecuária do Potengi (ExpoPotengi), no Centro de Exposições Francisco Bezerra de Brito, em São Paulo do Potengi.

No estande da EMPARN o visitante encontrará amostras de vários produtos como sementes de milho, feijão e sorgo e mudas de coqueiro para distribuição gratuita, além de mudas de bananeira para exposição. Ao longo do evento também serão distribuídas 1200 raquetes de palma forrageira, sendo 600 do tipo orelha de elefante e 600 miúdas. Para comercialização, 200 pintos de um dia, ao custo de R$ 2,00 a unidade. Nos currais, a EMPARN vai expor exemplares das raças bovinas Gir, Pardo Suíço e Guzerá, além de ovinos e caprinos das raças Canindé e Morada Nova.

PALESTRA

Entre as atividades voltadas para a transferência de tecnologia, a EMPARN participa de um curso para 20 agricultores familiares sobre palma forrageira, adensada e irrigada. A palestra acontece sexta-feira (21) e será ministrada pelo zootecnista e especialista no tema, José Tiago Aires de Souza. No sábado, o pesquisador da EMPARN também participa de um Dia de Campo realizado em parceria com a Emater.



Polícia Civil prende suspeito de estuprar criança em São Paulo do Potengi

Diego Atanazio de Oliveira foi preso pela Polícia Civil – (FOTO: Divulgação/Polícia Civil/RN)

Policiais da 1ª Delegacia Regional de São Paulo do Potengi prenderam, nesta segunda-feira (20), Diego Atanazio de Oliveira, 27 anos, suspeito de estuprar uma criança de 9 anos de idade, em um sítio, localizado na Zona Rural da cidade.

A prisão ocorreu em cumprimento de mandado de prisão temporária, sendo Diego autuado pelo crime de estupro de vulnerável e encaminhado ao sistema prisional onde ficará à disposição da Justiça.



Polícia Civil de São Paulo do Potengi indicia dupla por atear fogo na garagem da prefeitura

A Polícia Civil de São Paulo do Potengi indicia Maciel Cavalcante da Silva, vulgo “Mutante”, 19 anos, e Rafael Henrique Ferrari, por terem ateado fogo em veículos que estavam estacionados na garagem da Prefeitura da cidade, resultando no incêndio de um ônibus escolar.

Rafael Henrique Ferrari e Maciel Cavalcante da Silva fora indiciados

No crime, ocorrido no dia 19 de janeiro, três homens encapuzados e armados teriam rendido o vigilante da garagem e entrado no órgão público com garrafas contendo gasolina. Através de investigações, a polícia identificou quatro pessoas suspeitas pelo crime, as quais são Maciel e Rafael, um adolescente de 17 anos e outro de 15 anos.

Policiais civis prenderam Maciel um dia depois do atentado, após o recebimento de denúncias acerca de um homem que estaria bastante queimado e que estava escondido em uma casa. Os adolescentes responderão pelos crimes análogos à incêndio e organização criminosa. Maciel e Rafael foram autuados pelos mesmos crimes, além de corrupção de menores.