Cordel homenageará doçaria seridoense

Poetisa caicoense Lourdinha Medeiros fará lançamento no Encontro de Doceiras do Seridó

A poetisa caicoense Lourdinha Medeiros lançará durante o 1º Encontro de Doceiras do Seridó um cordel sobre a doçaria seridoense. Lourdinha é professora, cordelista e mamulengueira e, com o marido e os filhos, forma o grupo de Cultura Popular Verso e Prosa.

Se apaixonou pela literatura de cordel quando era criança e admirava a avó paterna recitando poesias. Começou a escrever seus próprios cordéis em 2010 e de lá para cá já lançou seis títulos.

Pela poesia popular, vamos relatar um pouco da história da doçaria seridoense que é um patrimônio cultural, que nasce em nossas cozinhas e conquista o Brasil. Uma linguagem popular e atrativa para que crianças, adultos e idosos se envolvam com o tema”, destaca a cordelista.

O material sobre os doces seridoenses terá distribuição gratuita e também será publicado no Museu Virtual Doces do Seridó.

O 1º Encontro de Doceiras do Seridó é uma realização da JK Produções e da Referência Comunicação, sendo um evento aprovado no Edital de Economia Criativa 2019 do Sebrae RN. Acontecerá nos dias 27 e 28 de setembro, na Praça da Catedral de Sant’Ana, em Caicó.



Familiares de seridoense com leucemia buscam doador de medula óssea

Familiares de Bruno Giordano diagnosticado com leucemia buscam por doadores de medula óssea

Famílias do Seridó estão se mobilizando para conseguir doação de transplante de medula óssea para Giordano Bruno de Lucena Souto. Ele tem 38 anos, e é filho de Francisca Marta de Lucena, com família em São João do Sabugi e Francisco Brilhante de Souto, que era conhecido como “Chico da Padaria”, de Serra Negra do Norte.

A informação que chega ao Blog Sidney Silva, dá conta que Bruno reside com esposa e filho em Uberlândia/MG e há poucos dias foi diagnosticado com leucemia, sendo necessário conseguir transplante em 4 meses.

Qualquer pessoa pode ser compatível. Por isso pedimos a participação de todo povo seridoense e de qualquer lugar que se sensibilizar com esta causa. Agradecemos a cada um de coração e pedimos a Deus que abençoe todos nós nesta luta pela vida do meu filho” disse Francisca Marta, mãe de Bruno.

Qualquer pessoa pode procurar o hemocentro mais próximo, e dizer que quer ser doador de medula. O teste colhe 10ml de sangue e o hemocentro faz o cadastro. Se for compatível, o próprio Hemocentro avisa.

As famílias Lucena de Bruno em São João do Sabugi e Brilhante Souto de Serra Negra estão buscando conseguir o maior número possível de pessoas.