Senado derruba veto que impedia reajuste a servidores da saúde

Medida consta da lei da ajuda financeira a estados e municípios – (Foto: Arquivo/Jane de Araújo/ABr)

O Senado derrubou o veto do presidente da República ao projeto que autoriza o reajuste salarial a profissionais de saúde e trabalhadores da educação pública durante o período da pandemia da covid-19. O veto ainda será analisado pela Câmara dos Deputados em sessão prevista para a noite de hoje (19).

Em 28 de maio, o presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que trata da ajuda financeira a estados, municípios e o Distrito Federal para o combate aos efeitos da pandemia do novo coronavírus (covid-19) com vetos ao reajuste a trabalhadores da educação, saúde e segurança pública, servidores de carreiras periciais, profissionais de limpeza urbana e de serviços funerários. O presidente alegou que as exceções que autorizam reajuste de salários violam o interesse público ao diminuir a economia estimada com a suspensão dos reajustes.

Ao derrubar o veto, a maioria dos senadores entendeu que essas categorias atuaram direta ou indiretamente no combate à pandemia, mantendo serviços básicos e essenciais em um período em que parte da sociedade se mantinha em casa, protegendo-se do vírus. Por isso, justificaram a derrubada afirmando que esses profissionais merecem ter o reajuste previsto, a despeito da crise econômica.

Os senadores continuam votando os vetos às partes da lei.

Agência Brasil


Servidores da saúde aprovam paralisações todas as sextas-feiras a partir do dia 20

Servidores da Saúde do Estado param as atividades nas sextas-feiras

Os servidores da saúde do Rio Grande do Norte aprovaram em assembleia realizada na última quinta-feira, 29, a realização de paralisações de 24 horas todas as sextas-feiras. A medida começa a partir do dia 20 deste mês, até que a pauta de reivindicações da categoria seja atendida. Haverá atos nos hospitais do Estado.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde Pública do RN (Sindsaúde/RN), os servidores estão com três folhas salariais em atraso e cobram o pagamento dos salários atrasados, do calendário do pagamento de 2019, reajuste salarial, concurso público, o direito a incorporação das gratificações na aposentadoria e melhorias nos hospitais regionais.

Além das paralisações, também foram aprovadas por unanimidade as seguintes atividades:

Todas às sextas-feiras a partir do dia 20 de setembro, Dia Nacional de Luta, serão realizadas paralisações de 24h nos serviços de saúde, com atos nos Hospitais do Estado, até que a pauta de reivindicações da categoria seja atendida.

Participação dos Servidores da Saúde em mobilização e cobrança dos Deputados Estaduais na Assembleia Legislativa do Estado na terça-feira, 3 de setembro, às 10h.

Os servidores da saúde irão acompanhar a audiência entre o Sindsaúde RN e o TCE para discutir o ataque do órgão e o governo à incorporação das gratificações nas aposentadorias dos servidores da saúde. Audiência está marcada para o dia 6 de setembro às 10h no TCE.

A próxima Assembleia da Saúde Estadual acontecerá no dia 11 outubro às 9h. Em breve, o local será informado.

Convocação de uma plenária unificada com os demais sindicatos e suas bases com a intenção de chamar para a luta e para o enfrentamento aos ataques do Governo de Fátima Bezerra.

Mobilizações de todos os servidores nos locais de trabalho para fortalecimento da luta da saúde.

Encaminhamento para o Governo da proposta para que o dinheiro arrecadado com a Venda da Folha ao Banco do Brasil seja utilizado no pagamento dos salários atrasados.