Vinda da Plataforma para Caicó pegou comandante do 6º BPM de surpresa

Marcos Dantas noticia em seu Blog que o Comandante do 6º Batalhão da Polícia Militar de Caicó, Major Walmary Costa ficou surpreso com a chegada repentina, na última semana em seu comando, da carreata conhecida como Plataforma de Observação, usada nos eventos da Copa do Mundo de 2014, e que foi cedida pelo Governo do Estado para a cidade de Caicó. O carro não passou 24 horas no município, e retornou para Natal.

Não ficou bem definida qual a finalidade da Carreta, até porque nós não fomos consultados por ninguém. Eu nem sabia que ela vinha para Caicó, e nem a prefeitura tinha falado isso com o Comando, muito menos a Secretaria de Segurança Pública”, explicou durante sua participação no Panorama 95 (Rural FM) desta segunda-feira (06). Major Costa confirmou que um dos empecilhos para que a Plataforma já entrasse em operação, seria a incompatibilidade na tecnologia usada pelo veículo, e as demais viaturas do 6º Batalhão da Polícia Militar, no que diz respeito a comunicação através do rádio freqüência.

Pelo entendimento, depois que começamos a conversar, é o seguinte: nós temos dois tipos de comunicação na PM, um que é analógico, rudimentar e é fácil das pessoas copiarem a freqüência. E o outro é o digital, uma tecnologia muito mais evoluída, mais difícil de copiar. Essa tecnologia é usada em Natal e pretende-se expandi-la para o interior. É o sonho de qualquer comandante ter essa comunicação digital, e dentro dessa Carreta tem essa freqüência, só que ela não vai muito longe. Fizemos testes neste final de semana e a freqüência só é copiada em mais ou menos um quilometro, já a que usamos abrange todo o Seridó. Se trocarmos os rádios, vamos perder essa comunicação”, destacou o Major Costa.

O comandante deixou claro não ser contra a permanência da Carreta na cidade, mas para que seu uso seja melhor aproveitado, é necessária a realização de algumas adequações. “Eu defendo que a Carreta possa ficar em Caicó, sendo usada em eventos na cidade e na região, ficando guardada no quartel. Outro problema que visualizei é que, hoje os ataques a bases da PM são constantes, para minimizar isso, nós verificamos o que poderíamos fazer em termos de adequação no prédio para colocar a carreta no interior do Quartel. A prefeitura se comprometeu em ajudar neste sentido, e vamos fazer um estudo melhor, conversar com as pessoas que entendem da tecnologia, para poder instalá-la no interior do quartel”, finalizou.