Júri popular absolve um e condena outro pela morte de adolescente em Caicó

O julgamento popular dos réus Francisco Daniel Ferreira Barbosa e Francisco das Chagas Silva Medeiros, ocorrido no plenário do Fórum Municipal Amaro Cavalcante em Caicó, terminou no início da noite desta quarta-feira (22), por volta das 18hs20min, sendo o primeiro condenado a 13 anos em regime fechado e o segundo, absolvido da acusação de ser o mandante. Eles foram acusados da morte do adolescente Thiago Emídio da Costa, crime registrado em 2012.

Em contato com o Blog Sidney Silva, o advogado, Ariolan Fernandes, que patrocinou a defesa de Francisco Daniel, o seu cliente não foi condenado pela qualificadora de promessa de recompensa, mas, foi por ter praticado o crime em circunstância que dificultou a defesa da vítima. O crime era duplamente qualificado. O réu ainda teve a reprimenda de pena de 1 ano e meio por ocultação de cadáver, mas, esse crime vai prescrever quando a sentença transitar em julgado, ou seja, de nada valerá.

Com relação ao cumprimento da pena, Francisco Daniel,  já estava detido a mais de 60 meses e seu advogado vai ingressar nos próximos meses com o pedido de progressão de regime. Ou seja, provavelmente, em janeiro, ele estará no regime semi-aberto.

O advogado, Bartolomeu Linhares, patrocinou a defesa de Francisco das Chagas. O promotor Geraldo Rufino, atuou na acusação. O juiz Luiz Cândido Villaça, presidiu a sessão.



Julgamento de dupla que matou, queimou e enterrou adolescente em Caicó acontece nesta quarta (22)

Francisco Daniel e Chicó serão julgados pela morte de Thiago Emídio

Nesta quarta-feira (22) às 09hs, serão julgados no plenário do Fórum Municipal Amaro Cavalcante em Caicó, os réus, Francisco Daniel Ferreira Barbosa e Francisco das Chagas Silva Medeiros. Eles mataram no dia 12 de outubro de 2012, o adolescente Thiago Emídio da Costa.

O crime ocorreu em um região de mato no Bairro Alto da Boa Vista, zona norte de Caicó e segundo o apurou a Polícia Civil, o garoto foi morto com disparos de arma de fogo, depois queimado e enterrado.

Os advogados, José Bartolomeu de Medeiros Linhares e Ariolan Fernandes, fazem a defesa de Francisco das Chagas e Francisco Daniel, respectivamente.

O promotor Geraldo Rufino de Araújo Júnior, atua na acusação.

O juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça, preside a sessão de julgamento popular.

As prisões

No dia 22 de novembro daquele ano, policiais civis de Caicó, prenderam, Francisco Daniel. Ele foi detido na cidade de Grossos, sob força de um mandado de prisão expedido pela Justiça.  A delegada que conduziu a investigação, Dulcineia Costa, disse que Francisco Daniel confessou o assassinato alegando que não estaria satisfeito com algumas atitudes tomadas por Tiago, por este ter espancado pessoas na rua.

A outra prisão aconteceu no dia 18 de dezembro do mesmo ano em um sítio nas imediações da Emparn/Caicó. Lá, os policiais detiveram Francisco das Chagas, também conhecido como “Chicó”.