Polícia Civil confirma que caicoense foi retirado de casa e executado por “Tribunal do Crime”

Polícia Civil confirma que caicoense foi assassinado pelo Tribunal do Crime

O Instituto Técnico-Cientifico de Perícia – ITEP, entregou nesta semana a Polícia Civil de Caicó, o resultado do exame de DNA que confirma ser de Anifrâncio Pereira, o corpo encontrado no dia 20 de janeiro, deste ano, em estado de decomposição, às margens da RN-118, entre Caicó e o trevo de acesso ao Distrito da Palma e São João do Sabugi.

O funcionário público municipal, de 20 anos, que residia na Rua João Benévolo Xavier, Bairro João XXIII, foi retirado de dentro de casa no dia 10 de janeiro e assassinado com perfurações que a investigação indica que foram feitas por disparos de arma de fogo, na cabeça. O local aonde o corpo foi encontrado, foi usado apenas para desova. O crime ocorreu em outro lugar.

O chefe de investigação da Delegacia de Polícia Civil de Caicó, Léo Bruno, disse em entrevista ao Blog Sidney Silva, que Anifrâncio Pereira, foi vítima do “Tribunal do Crime” de uma facção criminosa que atua no Rio Grande do Norte. “Ele respondeu a um processo que corre em segredo de Justiça e por causa do delito que praticou, foi morto. Foi decretada e executada sua morte”, disse.

Outro crimes, foram praticados por esse grupo. A morte de um homem que era conhecido como “Bilicô”, aconteceu em via pública, nas imediações da Ponte Velha, entrada da zona norte. O outro, identificado como Ricardo, foi retirado de casa e assassinado com tiros na cabeça na região do Bairro Frei Damião, zona oeste.

Caicó: Presos membros de “Tribunal do Crime” que puniram mulheres com tiros nas mãos

A Polícia Civil de Caicó conseguiu elucidar delitos praticados pelo chamado, “Tribunal do Crime”, que condenou duas mulheres, em 2017, a serem punidas por que tinham praticado furtos na zona oeste de Caicó. Elas foram punidas com disparos de arma de fogo, nas mãos. O delegado Leonardo Germano, confirmou a prisão de 4 suspeitos. Um outro envolvido morreu vítima de acidente automobilístico.

Grupo agiu no dia 20 de novembro

No dia 20 de novembro de 2017, Juliana Virginia de Medeiros, também conhecida por Cega, foi capturada e levada para dentro um casa no Bairro Frei Damião. Lá, recebeu a punição que já havia sido imposta pelo auto comando da facção Sindicato do RN. Ela foi atingida por um disparo de arma de fogo em uma das mãos. Os executores foram: Maycon Mateus dos Santos (Têtêu), que morreu em acidente automobilístico em 2017; Lucas Tadeu de Farias (Lucas Bombado) e Lázaro Tadeu dos Santos Souza, ambos presos com mandados de prisão.

O delegado disse que “Têtêu”, era um dos líderes da facção nas ruas. No dia do seu sepultamento, foram ouvidos disparos de arma de fogo na região do cemitério, na zona norte de Caicó.

Dupla agiu no dia 21 de novembro de 2017

No dia 21 de novembro de 2017, as ordens foram para capturar, Eliane Lopes da Silva. Ela foi levada para uma casa no Bairro João XXIII e lá também recebeu a punição, um tiro em uma das mãos. Nesse caso, quem agiu foi, Thiago Alves Dantas da Silva e Pedro Paulo do Nascimento, ambos detidos esta semana por força de mandado de prisão preventiva.

O delegado lembrou que eles praticaram crime de tortura e que a facção tenta instalar um estado paralelo. “Esse caso era um verdadeiro desafio ao estado democrático de direito, na medida em que uma facção quer estabelecer um tribunal próprio e executar suas sanções e todas elas de absoluto atentado à dignidade humana”, destacou.