Covid-19: Justiça do RN indefere pedido liminar que defendia volta às aulas

A última coisa que um país precisa é abrir escolas e empresas e ser forçado a fechá-las novamente por causa de um ressurgimento do surto“, disse juíza na decisão

Pedido liminar foi feito pelo Procurador da República, Kléber Martins

A juíza Patrícia Gondim, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Natal, em decisão liminar, indeferiu pedido apresentado em Ação Popular para invalidar a prorrogação da suspensão das atividades escolares presenciais até 31 de maio de 2020, pelo Governo do Estado. Neste momento de análise processual, a magistrada não entendeu que a determinação do Poder Executivo seja lesiva ao patrimônio público e desprovido de motivos que a justifiquem.

A decisão, de 7 de maio, rejeita a suspensão imediata da vigência de um artigo específico em decreto governamental do Estado e indeferiu a tutela de urgência solicitada.

Continue lendo

Crianças da creche Gente Inocente voltam às aulas na próxima segunda-feira (16)

A partir da próxima segunda-feira (16), os alunos da creche Gente Inocente de Janaúba, Minas Gerais, vão estudar em uma nova escola, até que a unidade que foi incendiada seja reconstruída.

Nesta sexta-feira (13), um grupo de arquitetos entregou ao prefeito de Janaúba, Carlos Isaildon Mendes, o projeto arquitetônico para a reconstrução da creche, onde empresários da cidade e de Montes Claros serão os responsáveis pela nova escola. A previsão, é que a obra seja concluída em 80 dias.

O incêndio ocorreu no dia 5 de Outubro, matou 11 pessoas e 18 continuam internadas.


UERJ não retoma aulas do primeiro semestre de 2017

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) decidiu que não voltará às aulas. A decisão foi tomada pelo conselho de diretores da universidade e as atividades foram suspensas. Não há previsão para iniciar o primeiro semestre letivo de 2017.

O reitor, Ruy Garcia Marques, informou que não há condições de retomar as aulas por causa do atraso nos salários de funcionários e pagamentos das bolsas para estudantes. Além disso, professores e alunos não têm dinheiro para o transporte até à Uerj.

De acordo com uma nota emitida, a Uerj atingiu “um patamar insuportável que impede a universidade de bem exercer suas funções de ensino, pesquisa e extensão”.