“Toquei na banda (Recreio Caicoense) e devo muito do que sou a música”, diz Instrutor do Proerd de Caicó

O caicoense, Valdemir Soares, que é policial militar (do Proerd) e Diácono Permanente, escreveu ao Blog Sidney Silva, lamentando a falta de tenção com a Filarmônica Recreio Caicoense, que está sem palhetas, peça usada nos instrumentos de sopro. Isso inclusive, pode inviabilizar a participação da Recreio na Festa de Sant’Ana, como ocorreu com a festa de Nossa Senhora de Fátima, no Bairro Vila do Príncipe.

Caicó não tem nenhum projeto que valorize a música ou mesma a cultura. A banda deveria ser um local muito valorizado, de passagem,  onde as crianças pudessem entrar, passar pela adolescência e sair em busca de um objetivo maior. Um lugar para despertar as potencialidades dos jovens,  mas não é isso que acontece. Não há incentivo, não há interesse. Temos o exemplo de Cruzeta onde quase toda criança da cidade tem o desejo de entrar na banda e aqui é esse flagelo. Toquei na banda e devo muito do que sou a música. Uma cidade sem banda é uma cidade triste. Tenho certeza que a música poderia ser uma poderosa meio para afastar nossas crianças e jovens das drogas e tantos outros males. Pois a música nos dignifica e nos faz ter esperança“, disse Valdemir Soares.