TRAGÉDIA NO MUNDO: Ataque com caminhão deixa 80 mortos na França

Um ataque com caminhão na cidade de Nice, no sul do França, deixou ao menos 80 pessoas mortas e vários feridos, segundo o jornal francês Le Figaro, citando fotes policiais, nesta quinta-feira (14), quando a multidão comemorava o feriado do Dia da Bastilha.

O caminhão avançou sobre a multidão que estava no calçadão à beira-mar Promenade des Anglais, no centro da cidade francesa, informou o jornal local Nice Matin, citando seu próprio repórter que estava no local.

Segundo testemunhas, após o veículo avançar contra a multidão, seus passageiros abriram fogo contra as pessoas presentes, trocando tiros com forças policiais.

O governador da região de Nice, Christian Estrosi, confirmou que o motorista do caminhão disparou contra a multidão e que dentro do veículo havia armamentos pesados e granadas. “É a maior tragédia da história de Nice”, acrescentou o ex-prefeito da cidade, assegurando que “todos os serviços foram mobilizados para acompanhar as famílias” das vítimas.

As autoridades de segurança de Nice chamam o incidente de atentado terrorista. O motorista do caminhão também está entre os mortos. Um cúmplice estaria foragido.

A rede francesa BFM TV afirmou que a prefeitura de Nice está tratando o incidente como um ataque e fez um apelo para que as pessoas fiquem em casa.

Relato

“A multidão passou por aqui apavorada, em pânico”. Esse é o relato do brasileiro Valmir da Costa, que tem um restaurante que fica a 2 quadras de distância de onde ocorreu o atropelamento em Nice e que conversou com a BandNews FM.

Segundo ele, os clientes que estão agora no restaurante não querem ir embora porque estão assustados. Valmir conta que várias ambulâncias estão a caminho do local do atropelamento.

Parecia uma avalanche, diz brasileira

A brasileira Jucirema estava jantando no restaurante Blue Beach Plage no momento do atropelamento em massa. Também em entrevista à Bandnews FM, ela contou que o local fica em um nível mais baixo do que a via principal onde ocorriam as celebrações do Dia da Bastilha no momento do ataque terrorista.

“Nós vimos as pessoas correndo desse caminhão que estava atropelando todo mundo. Elas despencavam da calçada para dentro do restaurante. Como se fosse uma avalanche, de pessoas caindo do céu”, disse. Ouça o relato completo.