Vinte e dois prefeitos do RN não disputarão reeleição este ano

Pelo menos 22 prefeitos eleitos em 2012 não irão disputar reeleição
Pelo menos 22 prefeitos eleitos em 2012 não irão disputar reeleição – (FOTO: ABr)

Da Tribuna do Norte – Vinte e dois prefeitos que foram eleitos em 2012 e teriam direito à reeleição não irão disputar o pleito de 2 de outubro deste ano nos municípios do Rio Grande do Norte. Quatro desistiram de concorrer por decisão individual, dois renunciaram ao mandato e vinte foram afastados dos cargos por decisão das Justiças Comum ou Eleitoral e das Câmaras Municipais.

Até agora, quatro  prefeitos desistiram de ir às convenções partidárias para homologação de candidatos ao cargo majoritário – no período de 15 de julho a 5 de agosto: José Vilton Cunha, em Currais Novos e João Maria Assunção, em Lagoa Nova, ambos da região do Seridó, e Expedito Chimbinha Júnior, em Angicos, e Francisco Santos de Souza, em Bodó, municípios da região Central do Estado.

José Vilton Cunha pretende voltar às atividades empresariais em Currais Novos, onde disputou a eleição passada, em lugar de José Lins, que foi impedido de concorrer ao pleito por impedimento judicial. Lins intenciona voltar a ser candidato a prefeito, mas se não puder, Cunha deve apoiar Milena Galvão, irmã do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Galvão (PMDB).

João Maria Assunção também quer voltar a cuidar dos negócios em Lagoa Nova, mas a dificuldade financeira do município é outra motivação apontada para não concorrer à reeleição. Outra razão é o acordo político feito com o ex-prefeito Erivan Costa, para que este volte a disputar a prefeitura da cidade, situada na microrregião da Serra de Santana.

Assunção explicou que pessoalmente é contra a reeleição no Executivo, “porque geralmente a gestão nem sempre é mesma” em relação ao primeiro mandato. “É questão minha mesmo”, acrescentou ele, pra dizer que “não vê uma luz no fim do  túnel” em relação as dificuldades pelas quais passam os municípios.

“A gente planeja uma coisa pra quatro anos e tenho medo, depois, de não cumprir o que prometi à população”, concluiu ele, que até 2012 nunca tinha exercido cargo público.

Já o prefeito de Bodó, Francisco Souza, o “Tinhá”, enfrenta uma crise política dentro do seu sistema político, que lançou Neuma Assunção, mulher do ex-prefeito Antonio Assunção para disputar a eleição de prefeita, em virtude do ex-prefeito Francisco Avamar Alves ter uma pendência judicial, que pode impedí-lo de sair candidato a prefeito.  Com relação a Expedito Chimbinha, a alegação também é a dificuldade de recursos vivenciada pelo município de Angicos.

Já em outros dois municípios seridoenses, os prefeitos eleitos em 2012 não irão à reeleição, porque renunciaram aos cargos durante o exercício dos mandatos. Em Florânia, o Janúncio de Araújo Júnior alegou dificuldades administrativas e foi substituído pela vice-prefeita Márcia Cunha Nobre, enquanto em Serra Negra do Norte o prefeito Urbano Batista de Faria renunciou ao cargo por razões de saúde, assumindo o vice -prefeito Alysson Moisés de Medeiros.  Portanto, nos dois casos de Florânia e Serra Negra do Norte, os atuais prefeitos Marcia Nobre e Alysson de Medeiros podem disputar a reeleição para o mandato de 2017/2020.

Em Caiçara do Norte, município litorâneo ao Norte de Natal, o prefeito Alcides Fernandes Barbosa renunciou ao cargo no fim de janeiro deste ano, depois de superar pendências judiciais, sendo substituído pelo vice-prefeito Victor de Almeida Ferreira, agora candidato à reeleição.