Vivaldo Costa: “Um aviso a essas pessoas que querem me matar: é que minha família vive muito”

Em seu programa de rádio, o deputado Vivaldo Costa (PROS), falou sobre vários assuntos. Relembrou suas lutas em defesa da saúde de Caicó. O parlamentar mandou recado para os que só levam o tempo em tentar denegrir sua imagem de homem público que tem dedicado a vida pela região. Vivaldo disse que viverá muito.

Vivaldo Costa lembrou suas lutas por Caicó e o Seridó
Vivaldo Costa lembrou suas lutas por Caicó e o Seridó

Enquanto tiver vida é para lutar, ninguém vai diminuir meu animo de lutar por Caicó e pelo Seridó. Um aviso a essas pessoas que querem me matar: é que minha família vive muito. Quem está querendo me matar hoje pode ter certeza que vai ter que me aturar alguns anos, se Deus quiser, para continuar lutando por Caicó e pelo Seridó”.

Vivaldo relembrou suas lutas em defesa da saúde

O deputado Vivaldo Costa (PROS) em seu programa de rádio falou sobre sua luta em defesa da saúde do povo seridoense. O Papa Jerimum relembrou que desde recém formado, sempre defendeu sua região e que com quase oitenta anos continua com o mesmo entusiasmo. “Nasci com vontade de trabalhar, numa família pobre e numerosa. Sempre desejei ser homem público para trabalhar. Quem me conhece sabe disso”.

Vivaldo lembrou aos pessimistas que nada fará diminuir seu ânimo. “Pode dizerem o que quiserem, é livre. Pode colocarem nos jornais, nos rádios, nos blogs. Não vão diminuir meu entusiasmo pela vida, pela vontade de trabalhar, pela vontade de fazer. Não vão me atingir mesmo! Caicó me conhece e sabe que sou um homem trabalhador e dediquei minha vida, mais de cinquenta anos, a cuidar da saúde de Caicó e do Seridó. Fiquei pensando: quando era estudante, recém formado, cuidei dos tuberculosos em Natal, quando cheguei em Caicó fui lutar para construir um hospital para os doentes mentais. Levei dez anos fazendo bingo, pedindo auxilio… e conseguimos fazer um hospital para tratar dos doentes mentais. Não teve dinheiro público. Muita gente pensava que aquela casa de saúde era minha, mas não, era da Fundação Carlindo Dantas. Não são estas noticiazinhas que vai atingir minha moral, a honradez e capacidade de trabalho”, disse.