Agripino sobre medidas econômicas: “Temer submete o valor do rombo a uma bem-educada proposta de ajuste da meta fiscal”

Foto: Rafael Carvalho
Foto: Rafael Carvalho

O presidente nacional do Democratas, José Agripino (RN), disse que a diferença entre as medidas econômicas anunciadas, na manhã desta terça-feira (24), pelo governo Michel Temer e as divulgadas pela gestão Dilma Rousseff é que a presidente afastada gasta e só depois pede autorização do Congresso.

 “A diferença entre Dilma e Temer é que Dilma primeiro gasta sem autorização e depois impõe ao Congresso a aprovação de uma lei para coonestar o delito. Temer assume a ‘herança maldita’ e, sem revanchismo, submete o valor do rombo a uma bem-educada proposta de ajuste da meta fiscal”, frisou o parlamentar pelo Rio Grande do Norte.

Entre as iniciativas divulgadas pelo presidente interino estão a devolução de R$ 100 bilhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ao Tesouro Nacional e a limitação do gasto público.

Outra medida apresentada por Michel Temer é o envio ao Congresso Nacional de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que limita o gasto público. Ele também propôs a extinção do Fundo Soberano, criado em 2008 com a sobra do superávit primário e com royalties do petróleo.

Fotos: Rafael Carvalho