Capiberibe se manifesta contra o impeachment de Dilma e critica Cunha

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O senador João Capiberibe (PSB-AP) declarou-se contra o impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff, mas frisou que, qualquer que seja a decisão da Câmara em votação neste domingo, não será suficiente para a superação da crise do país. Capiberibe afirmou que tanto Dilma quanto o vice-presidente Michel Temer são fortemente rejeitados pela população, mas o mandato presidencial é legitimado pelo voto e tem que ser respeitado.

O senador acrescentou sua preocupação com os atos do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, que, em sua opinião, arma um “espetáculo grotesco” para escapar da Justiça ao custo da ridicularização da política.

— Caso se concretize o afastamento da presidente Dilma e que o Senado confirme, ele vira vice-presidente da República, mas, como vice-presidente da República, ele não tem condição de afastar as denúncias e as investigações que pesam sobre si.

Capiberibe definiu o processo de impeachment como uma “estratégia do confronto” que aprofunda a divisão da sociedade e pode trazer consequências trágicas. Ele expressou seu temor de um confronto entre manifestantes nos atos públicos de domingo, e defendeu a formação de um grande pacto para desarmar os espíritos e tirar o país da crise.