Caso F. Gomes: Se aproxima data do julgamento do Ex-pastor Gilson Neudo

Ex-pastor Gilson vai ser julgado em março
Ex-pastor Gilson vai ser julgado em março

O ex-pastor Evangélico, Gilson Neudo Soares do Amaral, sentará no banco dos réus no salão Júri Popular do Fórum Amaro Cavalcante em Caicó, no próximo dia 16 de março. Ele foi denunciado pelo Ministério Público sob acusação de fazer parte do consórcio de pessoas que matou o jornalista Francisco Gomes de Medeiros (F. Gomes), fato ocorrido no dia 18 de outubro de 2010.

De acordo com os autos do processo, Gilson Neudo, foi preso no dia 19 de março de 2012, acusado de tráfico de drogas. Nesse processo, ele foi absolvido em segunda instância, no Tribunal de Justiça. Sobre a morte do jornalista F. Gomes, o ex-pastor, que está na Penitenciária Estadual do Seridó em Caicó, foi denunciado como sendo um dos partícipes do crime.

A Polícia Civil chegou à conclusão da participação efetiva do Pastor Gilson no crime. Ele possuía ligações estreitas com o Gordo da Rodoviária e com o advogado Rivaldo e inclusive teria ficado incomodado com as acusações feitas por F. Gomes, na ocasião em que fora preso, razão pela qual, adentrou com várias ações exigindo danos morais, tanto da rádio onde a vítima trabalhava, como dos jornais que noticiaram o fato, e o Estado, pois alega ter sido preso injustamente. Segundo Lailson, antes de planejarem a morte do radialista, Pastor e Rivaldo teriam planejado envenenar todos os funcionários da Rádio, como vingança.

No dia 08 de maio, de 2012, a Delegada Sheila Maria Freitas, então titular da Deicor, divisão da Polícia Civil, que também investigou caso F. Gomes, disse que segundo Lailson Lopes em um de seus depoimentos, o dinheiro arrecadado pelo pastor para bancar o crime foi retirado da Igreja onde ele era pastor.

No julgamento de Gilson Neudo, o representante do Ministério Público, que vai atuar é Carlos Henrique Harper Cox, da cidade de Assu. Ele foi designado pela Procuradoria Geral de Justiça, depois da desistência de Geraldo Rufino de Araújo Júnior. A sessão deverá ser presidida pelo juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça. O defensor Público, Serjano Marcos Torquato Vale, deve atuar na defesa do réu.

Elefante Branco

No ano de 2013, Gilson Neudo, estando recolhido no Presídio de Pau dos Ferros, recebeu voz de prisão por parte da Polícia Civil que desencadeou a Operação Elefante Branco de combate ao tráfico de drogas. De acordo com a investigação, um grupo grande de pessoas estava traficante nas regiões Oeste e Seridó do Rio Grande do Norte e no estado do Ceará. O preso Gilson Neudo, de dentro do Complexo Penitenciário de Pau dos Ferros, adquiria drogas de Alcimar Salviano de Araújo (que na época era custodiado em Natal) e repassava para vários varejistas da cidade e no Seridó.

Sobre esse processo da Operação Elefante Branco, os réus ainda esperam por sua conclusão. Apuramos que o processo está aguardando as alegações finais por parte da defesa.