Militares do Exército, Marinha e Aeronáutica começam a atuar no RN nesta quarta-feira (03)

Em razão do recrudescimento das ações de criminosos no Estado do Rio Grande do Norte, o Exército Brasileiro foi convocado para atuar na Garantia da Lei e da Ordem nas localidades mais afetadas. O emprego da Força Terrestre será temporário e episódico, iniciando na noite do dia 3 agosto, com tropa na rua, até 16 de agosto de 2016, para a preservação da ordem pública e incolumidade das pessoas e do patrimônio.

Aproximadamente 1.200 militares (sendo 920 do Exército, 220 da Marinha e 60 da Força Aérea) vão participar da chamada Operação Potiguar, que foi constituída a partir de uma solicitação do Governador do Estado do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, ao Presidente da República, Michel Temer. Esse efetivo que vai compor a Operação vem de diferentes localidades, como Jaboatão dos Guararapes e Garanhuns, em Pernambuco; Campina Grande e João Pessoa, na Paraíba; e Caicó, Rio Grande do Norte.

O Coordenador Político da Operação Potiguar é o Comandante da 7ª Região Militar (Recife/PE), General de Divisão Marcio Roland Heise. O Comandante Operacional é o General de Brigada Jayme Octávio de Alexandre Queiroz, Comandante da 7ª Brigada de Infantaria Motorizada (Natal/RN).

A Operação Potiguar, embora seja comandada pelo Exército Brasileiro, é realizada com o apoio da Marinha do Brasil, da Força Aérea Brasileira e de órgãos de segurança pública nas esferas federal e estadual. Todas esses órgãos e instituições vão trabalhar de maneira integrada e em cooperação, utilizando as boas práticas empregadas nas operações interagências nos grandes eventos e em outras situações.

Desta forma, empregando Operações Tipo Polícia, Operações de Apoio à Informação, Atividades de Comunicação Social e de Inteligência, a Operação Potiguar tem o objetivo de restabelecer a ordem pública e o cotidiano de normalidade da população do Rio Grande do Norte.