Anvisa decide conceder registro temporário para testes com Aedes transgênico

Original Title: Aa_FC3_58a.jpg
A tecnologia consiste em produzir mosquitos machos – Foto: Divulgação

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, decidiu conceder um registro temporário para a realização de pesquisas com o mosquito transgênico produzido pela empresa britânica Oxitec. O inseto, desenvolvido em laboratório, tem o objetivo de combater a proliferação de mosquitos transmissores de doenças, como o Aedes aegypti, responsável transmissão da dengue, do chikungunya e do vírus Zika.

A tecnologia consiste em produzir mosquitos machos, que quando acasalam com as fêmeas selvagens, geram ovos com um gene mortal que impede o crescimento e a reprodução dos mosquitos. O município de Piracicaba, no interior de São Paulo, já utiliza o mosquito transgênico, em fase de operacionalização, desde abril de 2015. De acordo com o assessor especial da Secretaria Municipal de Saúde de Piracicaba , Rodrigo Guidi, a população do Aedes aegypti no bairro onde o inseto foi solto foi reduzida em 82%. Ele garante que a ação com o mosquito é eficiente.

“A gente acredita muito nesse projeto. É óbvio que ele não é o salvador da pátria, mas aonde ele foi aplicado ele demonstrou eficiência. Acredito que você aliando essa tecnologia , usando em áreas críticas e mais problemáticas com o combate tradicional uma coisa bem intensa mesmo de informação educação da população a gente vai conseguir vencer a guerra com esse mosquito”, disse Rodrigo Guidi, assessor especial da Secretaria Municipal de Saúde de Piracicaba e coordenador do projeto.Em 2014, a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança, a CTNBio, já havia aprovado, preliminarmente, a liberação comercial da linhagem do inseto transgênico, apelidado de “Aedes aegypti do bem”. No entanto, a Anvisa afirmou que só vai conceder o registro para a comercialização do produto após uma avaliação de segurança e eficácia.

Por isso, a agência reguladora decidiu estabelecer um instrumento análogo ao Registro Especial Temporário, para regularizar a utilização do inseto em pesquisas em todo território nacional.