Anvisa aguarda documentos do Butantan para estudo sobre a Butanvac

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou hoje (6) que aguarda documentos do Instituto Butantan para avaliar o pedido de início de estudos com seres humanos para o desenvolvimento da vacina brasileira Butanvac.

De acordo com a Anvisa, este momento em que são necessárias informações complementares constituem a fase do processo se que o órgão chama de “exigência”. Ainda segundo a Agência, o Instituto Butantan se comprometeu a fornecer os dados faltantes até amanhã (7).

O pedido foi apresentado no dia 26 de março. Conforme a Anvisa, desde esta data durante 48 dias os técnicos aguardaram informações complementares. Os últimos dados recebidos foram sobre o protocolo clínico, que estão sendo analisados pela equipe técnica da Agência.

O esclarecimento foi divulgado após notícias publicadas em meios de comunicação sobre uma suposta iminência da autorização dos estudos pela Anvisa.


Butantan retoma produção da CoronaVac

Paralisada desde o dia 14 de maio, a produção da vacina CoronaVac foi retomada esta madrugada (27) após o recebimento de 3 mil litros de insumos, que chegaram a São Paulo na noite da última terça-feira (25). Com essa quantidade de insumo farmacêutico ativo (IFA) será possível fabricar 5 milhões de doses da vacina.

A CoronaVac é uma vacina contra a covid-19 produzida pelo Instituto Butantan com a farmacêutica chinesa Sinovac. A Sinovac envia ao Butantan a matéria-prima (insumos) para que o envase, a rotulagem, embalagem e o controle de qualidade sejam feitos no Brasil. Todo esse processo dura entre 15 e 20 dias. Só então a vacina é disponibilizada ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) para distribuição para a população.

Até agora, o Butantan já entregou 47,2 milhões de doses ao PNI, cumprindo o primeiro contrato estabelecido com o Ministério da Saúde para entrega de 46 milhões de doses. Agora, o Instituto Butantan trabalha para entregar outras 54 milhões de doses referentes a um segundo contrato firmado com o governo federal, totalizando 100 milhões de doses.


Butantan receberá lote de insumos menor que o esperado

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, confirmou hoje (19) que o volume de insumos para a vacina CoronaVac que chegará ao Brasil na próxima semana será menor do que foi inicialmente previsto. A quantidade confirmada pelo governo chinês é de apenas 3 mil litros de insumo farmacêutico ativo (IFA), mil a menos do que havia sido anunciado pelo Instituto Butantan na última segunda-feira (17).

Os três mil litros de insumos para a vacina devem chegar ao Brasil entre os dias 25 e 26 de maio e são suficientes para fabricar cerca de 5 mil doses de vacina.

A CoronaVac é uma vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan e pela farmacêutica chinesa Sinovac, que tem enviado os insumos para que a vacina seja produzida no Brasil. Segundo o Butantan, a Sinovac já tem 10 mil litros de insumos prontos para enviar ao Brasil, mas aguarda a autorização de embarque do governo chinês.


Facebook anuncia apoio a Butantan e Fiocruz em prol de vacinação contra covid-19

Apoio é oferecido pelo Facebook

O Facebook anunciou nesta sexta-feira, 9, apoio a uma série de campanhas pela vacinação e medidas preventivas contra covid-19 no Brasil, por meio de parcerias com Instituto Butantan e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), além de ONGs e outras iniciativas da sociedade civil.

Segundo o grupo, que também é proprietário do Instagram e do WhatsApp, a empresa doará créditos de anúncios e dará suporte na criação e amplificação de campanhas educativas do Butantan e da Fiocruz, fabricantes dos imunizantes contra o coronavírus no Programa Nacional de Imunização (PNI). Além disso, o Facebook e o Instagram estão articulando parcerias com criadores de conteúdo online e figuras públicas para dar mais visibilidade às iniciativas nas duas plataformas.

De acordo com o Facebook, o WhatsApp está trabalhando para expandir e desenvolver “chatbots” (robôs em conversas) no aplicativo de mensagens para incluir informações confiáveis sobre a eficácia e a segurança de imunizantes e apoiar aspectos operacionais como o pré-cadastro para a vacinação.

Queremos trabalhar em estreita colaboração com agentes de saúde pública, ONGs e sociedade civil para usar a escala de nossos aplicativos e ajudar as pessoas a receber informações confiáveis sobre vacinas e medidas preventivas contra a covid-19“, afirma o gerente de Políticas Públicas do Facebook no Brasil, Eduardo Lopes, em nota ao Estadão/Broadcast.

*Leia a notícia completa da Tribuna do Norte, AQUI


Instituto Butantan decide suspender a produção da Coronavac por falta de insumos

Vacina tem produção paralisada por falta de insumos

O Instituto Butantan paralisa temporariamente a produção da vacina Coronavac que está sendo utilizada contra a Covid-19. A decisão de suspender foi devido a falta de matéria-prima.

Mas a entrega de vacinas vai permanecer na próxima semana, porque tem 2,5 milhões de doses já prontas aguardando o prazo do controle de qualidade.

O Butantan também informa que vai cumprir os prazos estabelecidos nos contratos com o Ministério da Saúde e ainda se comprometeu a entregar 46 milhões de doses até o fim de abril.

Em novo carregamento de matéria-prima (IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) estava previsto para chegar da China na próxima sexta-feira, dia 09 de abril, mas o prazo precisou ser adiado. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), adimitiu o atraso em coletiva de imprensa nesta quarta-feira 07.

Continue lendo

Butantan entrega mais 5 milhões de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde

O Instituto Butantan anunciou que entregará mais 5 milhões da CoronaVac ao Ministério da Saúde nesta segunda-feira (29). Desde o primeiro lote entregue da vacina produzida em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac são 32,8 milhões de doses repassadas ao governo federal. Com a chegada das novas doses, o Ministério da Saúde fará a distribuição entre os estados.

De acordo com o Instituto Butantan, serão 46 milhões de doses repassadas até o fim de abril. Até o fim de agosto, a previsão é de 100 milhões de doses entregues.


Butantan desenvolve vacina brasileira contra Covid-19 e quer iniciar testes

Butantan desenvolve vacina contra o novo coronavírus

O Instituto Butantan desenvolveu uma nova fórmula de vacina contra a Covid-19. A entidade ligada ao Governo de São Paulo pedirá à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar a testagem.

O governador João Doria (PSDB) convocou uma entrevista coletiva para a manhã desta sexta-feira (26), ao lado do diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, para dar uma notícia “da ciência, que nos enche esperança na luta contra a Covid-19”. Doria não antecipou o assunto da coletiva.

Diferentemente da Coronavac ou da vacina de Oxford, em que os parceiros nacionais podem produzir uma capacidade limitada de doses, na nova vacina o Instituto Butantan é o principal desenvolvedor dentro de um consórcio e poderá produzir a maior parte dos imunizantes.

Continue lendo

Cobrado a entregar vacinas, Butantan pergunta ao Ministério da Saúde quantas doses ficarão em São Paulo

Ministério da Saúde requisitou todas as vacinas que estão no Butantan

O Butantan questionou o Ministério da Saúde nesta sexta-feira (15) sobre quantas doses da CoronaVac serão destinadas ao estado de São Paulo no Plano Nacional de Imunização. A vacina contra a Covid-19 é produzida pelo instituto em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

A pergunta foi enviada após a pasta ter emitido um ofício, na tarde desta sexta, solicitando a entrega “imediata” de todas as 6 milhões de doses prontas do imunizante que haviam sido importadas da China e estão em São Paulo.

A gestão João Doria (PSDB) estima que São Paulo tem direito a cerca de 1,5 milhão de doses – o cálculo é feito com base no tamanho da população do estado.

A CoronaVac foi adquirida do governo paulista pelo Ministério da Saúde, mas ainda é necessária a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que possa ser aplicada na população brasileira.

G1


Butantan inicia fabricação de 60 milhões de vacinas contra gripe para 2018

Butantan inicia fabricação de 60 milhões de vacinas contra gripe para 2018-
(Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Agência Brasil – O Instituto Butantan iniciou nesta semana a fabricação das 60 milhões de doses de vacina contra a gripe que serão usadas na campanha do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde em 2018. Com investimento de R$ 5 milhões, o instituto irá fornecer 15 milhões de doses a mais do que no ano passado.

O início da produção neste ano está ocorrendo concomitante à divulgação das cepas do vírus que estão mais circulantes, feita anualmente pela Organização Mundial da Saúde (OMS). “Esse investimento possibilitou aumentar a produção, garantindo segurança e agilidade nos processos produtivos e, posteriormente, na entrega das doses ao Ministério da Saúde”, disse o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

Em 2016, em 10 meses, o instituto conseguiu produzir 45 milhões de doses. Já em 2017, serão 60 milhões de doses em oito meses de produção. Segundo o Butantan, será necessário o trabalho de 500 funcionários, de setembro até maio de 2018, para a produção de todas as doses.