Médicos alertam para falta de medicamentos usados na intubação de pacientes

Medicamentos usados em pacientes graves podem faltar

Medicamentos insubstituíveis usados para entubar pacientes graves correm o risco de sofrer desabastecimento em todos o país e, na opinião de alguns, gerar caos semelhante à falta de oxigênio; órgão que reúne secretarias municipais de Saúde diz que estoque em seus hospitais dura 15 dias.

Médicos e entidades da saúde estão em alerta para uma potencial crise de desabastecimento de remédios cruciais usados no combate contra a Covid-19 em todas as regiões do Brasil – algo que, segundo parte dos especialistas, tem o potencial de ser tão grave e mortal quanto a escassez de oxigênio que afetou cidades como Manaus.

Alguns sinais preocupantes começaram a surgir ainda no início deste ano: farmacêuticos que trabalham em hospitais paulistas passaram a relatar ao Conselho Regional de Farmácia (CRF-SP) que estoques de alguns medicamentos cruciais no tratamento de pacientes graves com Covid-19 (usados na intubação) estavam ficando em nível perigosamente baixo.

Segundo profissionais da área, a falta desses medicamentos pode levar a um enorme aumento do número de mortes de pacientes com Covid-19 no Brasil.

G1