Anvisa autoriza vacina da Pfizer para crianças a partir de 12 anos

Vacina da Pfizer é autorizada para crianças com 12 anos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a indicação da vacina Comirnaty, da Pfizer, para crianças com 12 anos de idade ou mais. Com isso, a bula da vacina passará a indicar essa nova faixa etária para o Brasil.

De acordo com a agência, a ampliação foi aprovada após a apresentação de estudos desenvolvidos pelo laboratório que indicaram a segurança e eficácia da vacina para esse grupo. Os estudos foram desenvolvidos fora do Brasil e avaliados pela Anvisa.

Antes, a vacina Comirnaty estava autorizada para pessoas com 16 anos de idade ou mais. Até o momento, esta é a única entre as vacinas autorizadas no Brasil com indicação para menores de 18 anos.

A vacina da Pfizer foi a primeira a receber o registro definitivo para vacinas contra covid-19 no Brasil.

Agência Brasil


Pfizer testará vacina em grupo de crianças com menos de 12 anos

A Pfizer anunciou nessa terça-feira (8) que vai começar a testar sua vacina contra a covid-19 em um grupo maior de crianças com menos de 12 anos, após selecionar uma dose menor da vacina em um estágio mais inicial do estudo. A pesquisa vai envolver até 4.500 crianças em mais de 90 clínicas nos Estados Unidos, na Finlândia, Polônia e Espanha, segundo a empresa.

Considerando segurança, tolerância e a resposta imunológica gerada por 144 crianças em um estudo de fase 1 da vacina de duas doses, a Pfizer disse que irá testar uma dose de 10 microgramas em crianças com idades entre 5 e 11 anos, e de 3 microgramas para o grupo etário entre 6 meses e 5 anos de idade.

Um porta-voz da Pfizer afirmou que a farmacêutica espera os dados para o grupo entre 5 e 11 anos em setembro e que provavelmente solicitará às agências reguladoras a autorização para uso emergencial no mesmo mês. Os dados para crianças entre 2 e 5 anos de idade podem chegar logo depois, disse. 


Brasil recebe mais 936 mil doses da vacina da Pfizer

O Ministério da Saúde informou que recebeu ontem (1º) um lote de doses da vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19, com 936 mil doses. O desembarque ocorreu nesta noite, no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP).

Ao longo desta semana, a previsão da pasta é que 2,3 milhões de doses do imunizante cheguem ao país, em um total de três voos. Até o final do mês, a estimativa é de que 12 milhões de doses da vacina cheguem ao país.

No dia 28 de maio, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou que as vacinas da Pfizer/BioNTech poderão ficar mais tempo dentro das salas de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS), após decisão sobre novas condições de conservação e armazenamento do imunizante no Brasil.


Mais 629 mil doses da vacina da Pfizer chegam ao Brasil

OMinistério da Saúde recebeu, no começo da noite desta quarta-feira (26), mais 629,4 mil doses da vacina Covid-19 da Pfizer/BioNTech. O imunizante chegou ao Brasil pelo Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). As doses serão transportadas para Guarulhos (SP), onde ficam armazenadas no Centro de Distribuição da pasta até serem distribuídas para todo o País.

Com esse novo lote, o Brasil já recebeu mais de 3,4 milhões de doses da farmacêutica. Em junho, a previsão é de que mais 12 milhões de doses do imunizante cheguem ao País de forma escalonada. Os dois contratos fechados entre Governo Federal e a Pfizer preveem um total de 200 milhões de doses até o fim de 2021. Os imunizantes vão reforçar ainda mais a campanha nacional de vacinação contra a Covid-19.


Vacinas da Pfizer e AstraZeneca são efetivas contra variante indiana do coronavírus

As vacinas da Pfizer/BioNTech e de AstraZeneca/Oxford são “altamente efetivas” contra uma das variantes indianas do coronavírus, diz um estudo da agência de saúde pública da Inglaterra divulgado na noite de sábado (22). O artigo ainda não passou por revisão de outros cientistas e nem foi publicado em revista científica.

A pesquisa, feita entre 5 de abril e 16 de maio, mediu o quanto cada vacina conseguiu reduzir casos sintomáticos de Covid-19 causados pela variante britânica (B.1.1.7) e por uma das variantes indianas (B.1.617.2, uma sub-linhagem da B.1.617).

Os números constatados são os de efetividade, ou seja: o impacto real da vacina na população. A efetividade mede o quanto a vacina consegue reduzir os casos de uma doença na vida real.

Para acessar a matéria completa no G1 clique AQUI


Governo Bolsonaro ignorou 10 emails da Pfizer sobre vacinas

Uma série de emails entregue pela Pfizer à CPI da Covid em caráter sigiloso mostra a insistência da farmacêutica para negociar vacinas com o governo e a ausência de respostas conclusivas do Ministério da Saúde à proposta apresentada pela empresa no meio do ano passado.

De 14 de agosto a 12 de setembro de 2020, quando o presidente mundial do laboratório mandou carta ao Brasil, foram ao menos dez emails enviados pela farmacêutica. A primeira oferta da empresa foi formalizada ao Brasil em 14 de agosto, de 30 milhões e 70 milhões de doses, e tinha validade até o dia 29 daquele mês.

Folha de S. Paulo


Brasil recebe mais 629 mil doses da Pfizer

Mais 629,4 mil doses de vacina covid-19 da Pfizer/BioNTech chegaram ao país nessa quarta-feira (19). O desembarque ocorreu pelo Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), por volta das 18h40. Em seguida, as doses foram transportadas para Guarulhos (SP), onde está instalado o Centro de Distribuição do Ministério da Saúde. O envio dos novos lotes aos estados e DF ocorrerá nos próximos dias.

Com essa nova remessa, o Brasil já recebeu mais de 2,8 milhões de doses da farmacêutica. Os dois contratos fechados entre Governo Federal e o laboratório preveem um total de 200 milhões de doses até o fim de 2021, que reforçarão ainda mais a campanha nacional de vacinação contra a Covid-19.

Nesta sexta-feira (21), também está prevista a entrega de mais 5,3 milhões de doses da vacina da AstraZeneca/Oxford, produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Até agora, o ministério já recebeu 34,9 milhões de doses do imunizante.


Deputado solicita ao ministério da saúde vacinas da Pfizer para Mossoró

O deputado federal Beto Rosado (Progressistas) solicitou ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que doses da vacina Pfizer sejam enviadas à cidade de Mossoró. A possibilidade de o município receber essas doses se deu após a reitora da Universidade Rural do Semiárido (UFERSA), Ludimila Oliveira, informar que a universidade possui um ultrafreezer disponível para armazenar as vacinas de acordo com as recomendações da Anvisa e do Ministério da Saúde. Atualmente, somente Natal foi beneficiada com as doses da Pfizer.

“Nem o Governo do Estado e nem a Prefeitura de Mossoró se organizaram para receber essas doses. A Ufersa já comunicou à Prefeitura, mas não houve nenhum interesse. O que estão esperando?”, questiona o deputado em suas redes sociais.

No ofício enviado ao Ministério, o deputado reforça que Mossoró é a segunda maior cidade do RN e que a pandemia segue com dados alarmantes na região oeste. “Mossoró, com uma população de mais de 300 mil habitantes, vive o pior momento da pandemia do novo coronavírus. É a única região do estado com filas de UTI. A população precisa ser vacinada urgentemente!”, diz.


EUA autorizam vacina da Pfizer para faixa etária de 12 a 15 anos

A Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA) dos Estados Unidos autorizou a vacina contra covid-19 da Pfizer e da parceira BioNTech para uso em crianças a partir de 12 anos, ampliando o programa de vacinação do país.

A vacina está disponível nos EUA sob uma autorização de uso emergencial para pessoas a partir dos 16 anos. A Pfizer/BioNTech disseram que iniciaram o processo de aprovação total para essas idades na semana passada.

A FDA afirmou que estava fazendo alterações para incluir milhões de crianças de 12 a 15 anos. É a primeira vacina contra a covid-19 a ser autorizada nos Estados Unidos para essa faixa etária, vista como um passo importante para levar as crianças de volta às escolas com segurança.


Ministro anuncia compra de mais 100 milhões de vacinas da Pfizer

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, informou nesta terça-feira (11) que o governo vai comprar mais 100 milhões de doses da vacina produzida pela farmacêutica Pfizer para serem usadas no Programa Nacional de Imunização (PNI) contra a covid-19. A compra foi viabilizada após a edição de uma medida provisória (MP) que abre crédito extraordinário total de R$ 5,5 bilhões, anunciada ontem (10).

Parte desse recurso, cerca de R$ 1,68 bilhão, será destinada à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para a fabricação, em território brasileiro, de 50 milhões de doses da vacina da AstraZeneca. Os R$ 3,82 bilhões restantes serão usados na compra da Pfizer.

“O presidente me incumbiu de impulsionar nossa campanha de vacinação. E é isso que estamos fazendo. O Brasil já é o quinto país que mais distribui vacinas à sua população. Nas mais de 38 mil salas de vacinação, nós temos o potencial de vacinar mais de 2,4 milhões de brasileiros por dia”, afirmou o ministro.


Saúde distribui 1,12 milhão de vacinas da Pfizer a partir de amanhã

O Ministério da Saúde começa a distribuir a partir de amanhã (10) mais um lote com 1,12 milhão de doses da vacina contra a covid-19 da Pfizer/BioNTech. As doses são destinadas para a primeira aplicação em pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas e pessoas com deficiência permanente.

Segundo a pasta todos os estados e Distrito Federal receberão o imunizante de forma proporcional e igualitária. Na semana passada, o governo distribuiu o primeiro lote de vacinas da Pfizer com 1 milhão de doses.

De acordo com a pasta, a logística de distribuição das vacinas da Pfizer foi montada levando em conta as condições de armazenamento do imunizante. No Centro de Distribuição do ministério, em Guarulhos, as doses ficam armazenadas a uma temperatura de -90°C a -60°C.

Ao serem enviadas aos estados, as vacinas estarão expostas a temperatura de -20°C. Nas salas de vacinação, onde a refrigeração é de +2 a +8°C, as doses precisam ser aplicadas em até cinco dias.


Mais 628 mil vacinas da Pfizer chegam ao Brasil nesta quarta-feira

Vacina da Pfizer – Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

Novo lote da vacina contra a covid-19 da Pfizer/Biontech chega ainda nesta quarta-feira (5) ao Brasil. São 628.290 novas doses que serão entregues ao governo brasileiro. O imunizante tem chegada prevista para as 21h no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior paulista. Anteriormente a previsão era 19h55, mas houve atrasos no voo.

De acordo com a empresa, as doses fazem parte do acordo feito no dia 19 de março, que prevê a disponibilização de 100 milhões de vacinas ao país até o final do terceiro trimestre deste ano.

O Ministério da Saúde começou na segunda-feira (3) a distribuir a primeira remessa com 1 milhão de doses da vacina da Pfizer às 27 unidades da federação. A logística de distribuição levou em conta a capacidade das localidades de armazenar as doses do imunizante, que precisa ficar em temperaturas mais baixas do que as demais vacinas.


Vacina Pfizer/BioNTech é 100% eficaz em adolescentes de 12 a 15 anos

A vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19 é 100% eficaz em adolescentes entre os 12 e os 15 anos, segundo os resultados de um ensaio clínico, anunciaram hoje (31) os dois laboratórios.

As empresas esperam que a vacinação dessa faixa etária comece antes do próximo ano letivo.

Os ensaios de Fase 3 realizados em 2.260 adolescentes nos Estados Unidos “demonstraram uma eficácia de 100% e respostas robustas de anticorpos”, declararam as empresas em comunicado.

A norte-americana Pfizer e a alemã BioNTech vão agora submeter os dados às diferentes autoridades de regulação no mundo, “na esperança de começar a vacinar esse grupo etário no início do próximo ano escolar”, declarou em comunicado Albert Bourla, diretor-geral do laboratório farmacêutico norte-americano.

Por parte do laboratório alemão, Ugur Sahin considerou que os resultados sobre a faixa dos 12 a 15 anos são “muito encorajadores, tendo em conta a tendência observada nas últimas semanas relativamente à propagação” da variante do vírus inicialmente detectada no Reino Unido.

A vacina da Pfizer/BioNTech, baseada na tecnologia inovadora de RNA mensageiro (mRNA), foi a primeira contra a covid-19 aprovada no ocidente, no final de 2020.

Os Estados Unidos e a União Europeia autorizaram a utilização para as pessoas com 16 anos ou mais.

Até agora, a vacina foi usada em milhões de adultos com mais de 65 anos.

Estudo realizado em 1,2 milhões de pessoas em Israel demonstrou eficácia de 94%.

As crianças são menos propensas a casos graves da doença, por isso a vacinação não é prioritária neste momento.

Agência Brasil


Vacina da Pfizer é capaz de neutralizar variante brasileira, diz estudo

Vacina tem eficácia contra variante

Em artigo publicado nessa 2ª feira (8.mar.2021) na revista científica The New England Journal of Medicine, pesquisadores indicaram que a vacina desenvolvida pela Pfizer/BioNTech conseguiu neutralizar 3 novas variantes do coronavírus: a B.1.1.7 (do Reino Unido), a B.1.351 (da África do Sul) e a brasileira P.1.

O estudo foi conduzido por cientistas da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, e pela equipe de desenvolvimento e pesquisa da Pfizer. Eis a íntegra do artigo, em inglês (376 KB).

No início de fevereiro, a Pfizer já havia dito que o imunizante é eficaz contra as variantes britânica e sul-africana. O novo estudo indica que a vacina também protege contra a P.1, detectada inicialmente em Manaus (AM).

A vacina tem 94% de eficácia contra o Sars CoV-2 original.

Continue lendo

Covid-19: Anvisa certifica Pfizer, uma das produtoras de vacina

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou na noite de segunda-feira (28) ter feito a certificação de Boas Práticas de Fabricação da empresa Pfizer, uma das envolvidas na produção da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Pfizer/Biontech.

Vacina da Pfizer recebe certificação da Anvisa

O processo foi concluído no sábado (26), após a Anvisa ter recebido todas as informações necessárias ao longo dos últimos meses. Das quatro empresas que participam na produção de insumos para a vacina ou em sua formulação, três já receberam a certificação. Uma ainda não enviou as informações requeridas.

A certificação de boas práticas é um dos pré-requisitos para que seja autorizado o uso da vacina no Brasil. A verificação é feita de duas formas: por meio de inspeções da Anvisa ou de relatórios de inspeção elaborados por autoridades reguladoras com equivalência regulatória à brasileira que integrem o Esquema de Cooperação de Inspeção Farmacêutica (PIC/S, na sigla em inglês).

No caso das vacinas desenvolvidas pela Astrazeneca/Oxford e Sinovac, por exemplo, técnicos da Anvisa foram à China inspecionar as instalações de fábricas envolvidas na fabricação dos imunizantes. Isso foi necessário porque o país asiático não integra o PIC/S.

Agência Brasil


Pfizer começa distribuição das doses da vacina nos EUA neste domingo (13)

As primeiras doses da vacina Pfizer/BioNtech chegaram na manhã deste domingo (13) aos Estados Unidos, após a FDA (Food and Drug Administration) ter anunciado no sábado (12) a aprovação em caráter emergencial. A CNN Brasil é a única a transmitir as imagens, captadas pela parceira CNN americana.

Funcionários da Pfizer trabalharam na produção da vacina

Até o dia 1 de Janeiro 2021, 300 milhões de doses deverão ser distribuídas a todos os centros de saúde espalhados pelos estados do país.

A fabricante criou um mecanismo para que todos os caminhões, que fazem o transporte das doses, sejam monitorados em relação à exposição de luz e temperatura. Os caminhões com as doses saíram de uma unidade da Pfizer no estado do Michigan para que a distribuição pelo resto do país comece a ser feita ainda neste domingo (13).

Os estudos apontam que a vacina tem eficácia de 95% para prevenção da Covid-19. A aplicação do imunizante — caso seja aprovada pelo Center for Disease Control (CDC) — deve começar a ser feita na população idosa norte-americana a partir desta semana e até o final do mês de dezembro, 25 milhões da doses já deverão ter sido ofertadas à população.

CNN Brasil