Atuação da Deicor colaborou na redução de ataques em instituições bancárias no Rio Grande do Norte

De acordo com o delegado da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor), Marcuse Cabral, nos últimos quatro anos, está havendo uma redução de ataques em instituições bancárias localizadas no Rio Grande do Norte. No que refere-se aos números anuais, houve um quantitativo de 82 ataques em 2015; 77 ataques em 2016; 55 ataques em 2017 e 17 ataques em até abril de 2018.

Comparando os números de 2016 com os números de 2015, houve uma redução de 7%; Comparando os números de 2017, com os números de 2016, houve uma redução de 29%; Comparando os números de 2017, com os números de 2015 houve uma redução de 32%. “Isso mostra a eficiência das nossas atividades, sendo fruto de diversas operações que vem sendo desempenhadas ao longo dos anos, como Fogo contra Fogo e Marco Zero, que nos anos de 2016 e 2017 conseguiram prender mais de três dezenas de criminosos. Para a realização das ações, há uma constante troca de informações entre a Deicor e outras unidades de polícias do Nordeste que investigam crimes contra instituições financeiras. Uma outra estratégia que tem surtido bastante efeito são as análises balísticas que requisitamos, as quais nos proporcionam elucidar os crimes com mais fidelidade”, destacou o delegado Marcuse Cabral.

Análise quadrimestral – Analisando os números de ataques em instituições bancárias praticados no primeiro quadrimestre dos anos de 2016, 2017 e 2018, percebe-se que está havendo uma redução sistemática e permanente das referidas ações. No período de 2016 foram 33 ataques, em 2017 foram 29 ataques e em 2018, foram 17 ataques. De 2017 para 2018 houve uma redução de 42%. Comparando os números de 2016 com os de 2018, verifica-se que houve uma redução de 48%. “Isso mostra que está havendo uma redução sistemática e permanente dos ataques contra as instituições bancárias no Rio Grande do Norte”, asseverou o delegado Marcuse Cabral.