Cerâmicas do Seridó tem projeto piloto com apoio da FIERN para uso de poda urbana

Vargas Solis presidente do Sindicato dos Ceramistas do Rio Grande do Norte
Vargas Solis presidente do Sindicato dos Ceramistas do Rio Grande do Norte

Do portal da Fiern – O representante da FIERN no Seminário “Dia Mundial de Luta Contra a Desertificação”, realizado nesta quarta-feira, 17, em Caicó, Vargas Soliz Pessoa, destacou projetos que vem sendo desenvolvidos com o apoio da Federação. Segundo ele, através do Ministério de Meio Ambiente, vinte assentamentos do Seridó potiguar e paraibano estão desenvolvendo novas práticas de manejo florestal da caatinga.

As expectativa é que esses planos se propaguem. Hoje, todo o combustível lenha usado nas cerâmicas deve ser através de plano de manejo, de forma legalizada, autorizada pelo órgão ambiental. As cerâmicas tem se preparado para isso”, destacou Soliz, que é presidente do Sindicato da Indústria de Cerâmica para Construção – SINDICER-RN.

Em entrevista, o representante dos ceramistas falou sobre a experiência piloto no Seridó do uso da poda urbana. “A Cerâmica Tavares (Parelhas) tem recolhido a poda urbana de algumas cidades para atender a demanda de lenha”, exemplificou.

Vargas Soliz disse que o Sistema FIERN está programando uma visita a São José dos Pinhais, no Paraná, onde existe uma cooperativa que faz o recolhimento das podas urbanas e fornece o material para cerâmicas. “A intenção do sindicato é organizar empresas para fazer isso na capital do RN, onde nós temos aproximadamente 40 toneladas de mata por dia. A poda seria triturada e o caminhão que leva a mercadoria das cerâmicas para Natal traria o matéria vegetal para abastecer as cerâmicas”, explicou Soliz.