Incêndio em escola de Parnamirim não foi criminoso, diz perito

Escola pegando fogo em Parnamirim
Escola pegando fogo em Parnamirim – (FOTO: Cedida, via Tribuna do Norte)

O incêndio ocorrido na Escola Municipal Osmundo Faria, de Parnamirim, no último dia 18 de dezembro, não foi causado por vândalos, mas sim pelo curto circuito de um dos equipamentos elétricos afixados na parede da sala de vídeo. Essa foi a conclusão do perito criminal Paulo Vale, após um mês de análises e de identificar marcas características de sobrecarga nos fios.

O fogo foi mais intenso na parte posterior da sala, onde havia uma grande quantidade de material de fácil combustão, e o desabamento do forro de PVC produziu focos secundários, propagando as chamas para a sala de informática e para a biblioteca, o que causou mais destruição”, disse.

Ainda de acordo com o perito, as panes elétricas tem sido a causa da maioria dos incêndios em imóveis, principalmente quando se aumenta a carga por adição de diversos equipamentos elétricos, ultrapassando a corrente máxima suportada pela rede.

No laudo, Paulo Vale, ressalta que não foi encontrado, no local, nenhum vestígio que ligasse a causa do incêndio a uma ação humana intencional e que não existia na sala material orgânico acumulado ou armazenado que potencializasse uma combustão espontânea. Como as condições climáticas eram boas, ele também descartou a possibilidade do fogo ter iniciado após a escola ser atingida por uma descarga elétrica atmosférica (raios).