Levy acha possível evitar perda do GRAU de investimento

Em teleconferência com investidores do banco J.P. Morgan, nesta quinta-feira, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse que ainda é possível evitar o esperado rebaixamento da nota de risco do Brasil após o anúncio da redução da meta fiscal. “A beleza da economia brasileira é a sua capacidade de reagir rapidamente… Acho que a economia brasileira pode se recuperar significativamente”, afirmou.

O ministro acrescentou que o país é capaz de “mudar as condições macroeconômicas e melhorar rápido“, a respeito das dificuldades do ajuste fiscal. Sobre a capacidade de recuperação do país, Levy citou a crise enfrentada pela Petrobras como exemplo, após os escândalos de corrupção da operação Lava Jato, que paralisaram investimentos e contratos com fornecedores da estatal desde o início do ano.

“Nos últimos três meses, vimos a Petrobras tomando ações decisivas, criando planos e respondendo a questões dramáticas, agindo no mercado internacional e focando em negócios centrais, mostrando a habilidade de responder claramente à crise”, enfatizou.

Nesta quinta-feira, a agência brasileira Austin Rating rebaixou a nota de crédito de longo prazo do país em moeda estrangeira de “BBB-” para “BB+”. Com isso, o Brasil perdeu o grau de investimento pelos parâmetros desta escala.

A Moody’s deve se manifestar sobre a nota brasileira em breve, sem data definida, após visita ao país na semana passada. Já a Fitch informou que irá reavaliar as tendências fiscais e, só depois, decidirá se rebaixará a nota do país.