OPERAÇÃO ANDAIME: MPF obtém prorrogação de prisões de grupo acusado de fraudar licitações

O Ministério Público Federal (MPF) em Sousa (PB) obteve, nesta terça-feira, 30 de junho, a prorrogação das prisões temporárias cumpridas durante a Operação Andaime. O objetivo é assegurar que novas diligências investigatórias não venham a ser prejudicadas com a soltura dos investigados. Para o MPF, a medida é imprescindível às investigações do inquérito policial.

Os investigadores preveem para os próximos dias a conclusão da análise dos documentos apreendidos. O exame da vasta documentação está sendo feito por uma equipe interinstitucional, formada por servidores do Ministério Público Federal, auditores da Controladoria Geral da União (CGU) e por integrantes da Polícia Federal.

A Operação Andaime foi deflagrada na sexta-feira, 26 de junho de 2015, numa ação conjunta do MPF, CGU e PF, para desarticular quadrilha especializada em fraudar licitações em obras e serviços de engenharia executados por 16 prefeituras do Alto Sertão da Paraíba. Estima-se em R$ 18.337.000,00 o montante de verbas federais alcançadas pelos criminosos.